GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

quarta-feira, março 31, 2010

E-2C Hawkeye cai no Golfo de Omã

By on 31.3.10
http://4.bp.blogspot.com/_rF7Qy3nL1x8/Rn7vIh9Bp-I/AAAAAAAAAgE/Pyxe2vOfU7k/s400/CHARLES%2520DE%2520GAULLE%2520degaulle-hawkeye001.JPG


Avião radar americano cai no Golfo de Omã (V Frota)

Um avião radar americano caiu nesta quarta-feira no Golfo de Omã com quatro tripulantes a bordo, três dos quais foram resgatados e sem que ainda se tenha notícias do quarto, anunciou, em um comunicado, a V Frota americana, com base do Bahrein.

"Três membros da tripulação foram recuperados e a busca prossegue para tentar localizar o quarto tripulante", afirma o comunicado, precisando que os três tripulantes foram resgatados com vida.

O comunicado assinala que se trata de um aparelho Grumman E-2C Hawkeye, um biturbo-hélice de vigilância embarcado no porta-avioes "USS Dwight Einsehower".

O avião voltava de uma missão da operação Liberdade Duradoura (Enduring Freedom) que acontece no Afeganistão quando apresentou problemas mecânicos.

Fonte: G1

Seul suspende busca submarina de marinheiros do Cheonan

By on 31.3.10

Seul suspende busca submarina de marinheiros desaparecidos

As forças armadas da Coreia do Sul suspenderam devido ao mau tempo a busca submarina de 46 marinheiros desaparecidos na semana passada pelo afundamento misterioso de um navio militar, disseram autoridades nesta quarta-feira, um dia depois de um mergulhador da equipe de resgate.

O porta-voz do Ministério da Defesa, Won Tae-jae, disse que os mergulhadores não poderiam descer até os destroços encontrados do navio Cheonan devido à possibilidade de chuva, ventos fortes e correntes intensas. Algumas partes do barco permanecem no Mar Amarelo perto da Ilha de Baengnyeong, no sul da fronteira marítima entre as duas Coreias.

Antes da suspensão, os mergulhadores chegaram até uma seção onde poderia haver marinheiros presos nas ferragens mas não escutaram sinais de vida, disse o Estado Maior. Tentaram na terça-feira passar por uma porta da parte dianteira mais houve poucos progressos, informou o contra-almirante Li Ki-sik.

Também na terça, um mergulhador de 53 anos de idade perdeu a consciência durante a operação e morreu, enquanto outro foi atendido por lesões.

Vários parentes dos marinheiros desaparecidos se reuniram em uma base naval no sul de Seul e entre prantos exigiram que as autoridades agilizem as manobras de resgate.

Na noite de sexta-feira uma explosão partiu o navio durante uma patrulha de rotina, de acordo com as autoridades. Logo foram resgatados 58 tripulantes, incluindo o capitão.

Entre as autoridades militares não se conhece a causa exata da explosão, enquanto funcionários dos Estados Unidos e da Coreiado Sul afirmam que não há evidências de participação da Coreia do Norte.

Fonte: O Globo

KLM optou por aviões da Embraer para substituir seus Fokker

By on 31.3.10

A KLM fez no sábado passado o último voo comercial com um avião Fokker 50. A empresa pretende trocar todas as suas aeronaves Fokker – 31 ao todo – e optou por aviões da Embraer para substituí-las. Estes aviões, os chamados KLM Cityhoppers, são usados para voos dentro da Europa.

Os Fokker 50 serão inicialmente substituídos por aviões Fokker 70. Já para a substituição dos Fokker 100 a KLM comprou dezessete Embraer 190, dos quais treze já estão voando. Dois novos devem chegar na semana que vem. Esta é a maior renovação de frota em 44 anos da subsidiária regional da KLM.

Boet Kreiken, diretor da KLM Cityhopper, fala com entusiasmo sobre o Embraer 190. “É, em todos os sentidos, um passo além do Fokker 100”, declarou Kreiken em entrevista publicada ontem pelo vespertino holandês Het Parool. “Há mais espaço para passageiros e bagagens, eles são mais econômicos e têm maior autonomia de voo. Com os aviões da Embraer nós adicionamos distância à KLM Cityhopper, com um raio de ação de 4500 quilômetros. Agora nós voamos para destinos que têm uma duração de voo maior que duas horas, como Helsinki.”

Nova geração

Enquanto isso, a holandesa Fokker, que faliu em 1996, tenta um renascimento. Há preparativos para a construção de um novo avião Fokker.

Os planos são para o Fokker NG, ou 'New Generation', no qual a empresa NG Aircrafts já trabalha há dezoito meses. A aeronave tem a mesma estrutura do Fokker 100, mas é equipada com os mais recentes motores e equipamentos eletrônicos. O ministério holandês de Assuntos Econômicos disponibilizou para isso um crédito de 20 milhões de euros. A NG Aircraft agora aguarda a autorização da Comissão Europeia, que é esperada para junho, para tocar o projeto.

O avião concorreria com aeronaves similares, para até 120 passageiros. A expectativa é de que o primeiro Fokker NG esteja voando em 2015.

A escolha da KLM pelos aviões brasileiros, no entanto, já está feita. “Isso não quer dizer que este projeto não seja interessante e desafiador”, disse Boet Kreiken em sua entrevista ao Het Parool. “Este desenvolvimento é bom para a Holanda e para o ramo da aviação.”

Fonte: Mariângela Guimarães (Rádio Nederland) - Noticias Sobre Aviação

Número de mortos após novas explosões na Rússia chega a 12

By on 31.3.10

Número de mortos após novas explosões na Rússia chega a 12

Explosões ocorreram em Kizlyar, localizada no Norte do Cáucaso.
Na última segunda (29), ataque ao metrô de Moscou deixou 39 mortos.

http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/foto/0,,39152022-EX,00.jpg
Região atingida por uma da explosões na cidade russa de Kizlyar. (Foto: Zaur Halikov/AFP Photo)

Subiu para 12 o número de mortos após duas explosões no centro da cidade russa de Kizlyar, na república do Daguestão, região do Norte do Cáucaso, nesta quarta-feira (31), informou o Ministério do Interior local às agências internacionais de notícias. Os ataques ocorreram dois dias após os atentados no metrô de Moscou matarem 39 pessoas.

Segundo a polícia, uma das explosões parece ter sido detonada à distância, enquanto a outra teria sido provocada por um suicida.

As informações sobre vítimas ainda não são definitivas e o número de mortos pode aumentar. O índice de feridos ainda não foi oficialmente divulgado, mas as agências de notícias falam em ao menos 18 feridos.

De acordo com a polícia, há nove policiais das forças de segurança entres as vítimas fatais, um investigador e um civil.

Explosões

A primeira explosão ocorreu às 8h30 (1h30 em Brasília): um veículo estacionado a cerca de 300 metros de edifícios do Ministério do Interior, do Serviço Federal de Segurança e de um instituto de educação secundária explodiu no momento em que passava um carro da polícia.

Vinte minutos depois a segunda bomba explodiu, acionada por um suicida vestido de policial.

Na segunda-feira (29), duas mulheres-bomba mataram 39 pessoas no metrô de Moscou. O ataque elevou o temor da população quanto a uma suposta ofensiva de rebeldes baseados no Norte do Cáucaso.


Fonte: G1

Mergulhadores não encontram "sinais de vida" no Cheonan

By on 31.3.10


Coreia do Sul: Mergulhadores não encontram "sinais de vida" no navio de guerra afundado no mar

As equipas de mergulhadores não encontraram "sinais de vida" na popa do navio de guerra sul-coreano afundado sexta feira na sequência de uma explosão no mar Amarelo e onde 46 membros da tripulação terão morrido.

Segundo o ministério da Defesa sul-coreano, as equipas de mergulhadores chegaram hoje à popa, localizada domingo à noite por um sonar e que está a cerca de 50 metros do local do naufrágio, perto de uma fronteira sensível com a Coreia do Norte no mar Amarelo.

"Os nossos mergulhadores sondaram o casco à tarde mas até ao momento não houve resposta do interior", declarou Won Tae-jae, porta-voz do Ministério da Defesa, numa conferência de imprensa.

"Nós não descobrimos outros sobreviventes até agora", adiantou.

Cinquenta e oito marinheiros de 104 membros da tripulação foram rapidamente salvos depois do naufrágio do Cheonan, uma corveta de 1.200 toneladas, ao largo da ilha de Baengnyeong, mas depois não foi encontrado qualquer outro sobrevivente apesar da adoção de importantes buscas marítimas e aéreas.

A proa do navio, que tinha sido localizada mais cedo, e a popa, separadas em cerca de 230 metros, repousam a cerca de 40 metros de profundidade.

Segundo o ministro da Defesa, a explosão poderá ter sido provocada por uma mina norte-coreana do tempo da guerra da Coreia de 1950-53.

"È possível que uma mina norte-coreana se tenha deslocado para a nossa zona", declarou Kim Tae-young.

A Coreia do Norte colocou cerca de 3.000 minas soviéticas no mar Amarelo, oeste) e no mar do Japão durante a guerra da Coreia, indicou.

"Apesar de numerosas minas terem sido retiradas, parece impossível que estejam todas retiradas", adiantou.

Uma destas minas foi descoberta em 1959 e uma outra em 1984. A Coreia do Sul tinha lançado uma vasta busca destas minas em 2008 mas não foi encontrada nenhuma.

Fonte: Lusa

Após ser libertado, militar refém das Farc reencontra família

By on 31.3.10
Após ser libertado, militar refém das Farc reencontra família

Pablo Emilio Moncayo foi entregue pela guerrilha.
Helicóptero emprestado pelo Brasil participou da missão.


O sargento Pablo Emílio Moncayo, libertado nesta terça-feira (30) após 12 anos em poder da guerrilha colombiana das Farc, chegou a Florencia, no departamento colombiano de Calquetá, onde reencontrou sua família.

A missão humanitária que negociou a libertação de Moncayo contou com a participação do Brasil. O helicóptero do Exército brasileiro que o tirou da selva chegou ao aeroporto de Florencia, no departamento (estado) de Caquetá, às 17h40 (19h40, Brasília), após uma operação bem-sucedida, mas que atrasou devido ao mau tempo.

Foto: Reprodução / AFP
Imagem de TV mostra o momento que o sargento Pablo Emilio Moncayo reencontra o pai, após 12 anos em poder das Farc (Foto: Reprodução / AFP)

Imediatamente após descer do helicóptero, Moncayo, que foi sequestrado quando tinha apenas 19 anos, abraçou os pais, Gustavo e María Estela, para depois falar com a irmã de 5 anos que ainda não conhecia.

O sargento foi recebido por outros parentes, cumprimentou as irmãs, o sobrinho, que também não conhecia, e voltou para abraçar o pai, que ergueu os braços para mostrar as correntes que prenderam seu filho durante o cativeiro.

Moncayo, hoje com 32 anos, caminhou então pela pista do aeroporto de Florencia e mostrou aparentemente bom estado de saúde.

A missão

A aeronave, pilotada pelo coronel do Exército Carlos Aguiar, partiu do aeroporto de Florencia, no departamento de Caquetá (sul da Colômbia), às 11h15 local (13h15 de Brasília). Ele já havia participado de missões de libertação de reféns das Farc em ocasiões anteriores.

A missão é integrada pela senadora colombiana Piedad Córdoba, mediadora das negociações com as Farc, dois delegados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), o bispo Leonardo Gómez, em representação da Igreja Católica, e seis militares brasileiros.

Foto: Reprodução / AFP
Imagem de TV mostra o sargento Pablo Emilio Moncayo na selva pouco antes de ser oficialmente libertado, após mais de 12 anos em poder das Farc (Foto: Reprodução / AFP)

Foto: AFP
A senadora colombiana Piedad Córdoba (à dir) e um integrante da Cruz Vermelha acenam, de dentro de helicóptero brasileiro, no começo de operação para resgatar o militar Pablo Emilio Moncayo nesta terça-feira (30), em Florencia, no departamento colombiano de Caquetá. (Foto: AFP)

Córdoba disse que partia na busca de Moncayo com um rosário para pedir a Deus "que tudo saia bem".


Pablo Emilio Moncayo, sequestrado em dezembro de 1997, será o último refém que as Farc libertarão por decisão unilateral, já que os demais 22 reféns, segundo números do Governo, só serão libertados mediante uma troca humanitária.


Essa é a condição imposta pela guerrilha para libertar os demais reféns. Segundo as Farc, os demais reféns totalizam 21, e não 22 como afirma o governo.


Fonte: G1

Com orçamento baixo e projetos cancelados USAF espera aumentar a vida útil das aeronaves de caça existentes

By on 31.3.10


USAF prefere estender a vida útil de caças antigos ao invés de adquirir novos

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) disse nessa terça-feira, dia 30, que espera aumentar a vida útil das aeronaves de caça existentes tanto quanto for necessário ao invés de adquirir novas aeronaves de modelos antigos que poderiam eliminar com os investimentos para o caça de quinta-geração F-35 Lightning II da Lockheed.

O Chefe da Força Aérea dos EUA Norton Schwartz informou aos jornalistas que ao adquirir novos caças F-15, fabricados pela Boeing, ou caças F-16, fabricados pela Lockheed, o dinheiro direcionado para o programa do F-35 poderia deixar de existir.

Como alternativa, a USAF prefere estender a vida operacional dos caças já em operação, o que custaria entre 10% e 15% do custo avaliado para aquisição de novos caças.

“Não não achamos sensato dissipar os escassos recursos que nós temos disponíveis para o F-35 para adquirir uma nova, mas menos capaz aeronaves que não permaneceria muito tempo em operação,” disse Schwartz durante um evento da Associação da Força Aérea.

Ele também deixou claro que a USAF necessita verificar se são possíveis as extensões das vidas úteis do caças antigos.

“Nós não achamos prudente utilizar nossos preciosos investimentos para qualquer coisa que não seja uma aeronave de quinta-geração,” ele disse.

Fonte: Reuters – Texto: Cavok

terça-feira, março 30, 2010

Equador autorizado (pela França) a usar os Mirage 50 doados pela Venezuela

By on 30.3.10

Equador autorizado a usar os Mirage 50 doados pela Venezuela

A França emitiu uma autorização formal de uso dos caças Mirage-50 que foram vendidos originalmente ao governo venezuelano em 1976 este doou ao Equador em Dezembro segundo informou o Ministro das relações Exteriores do Equador Sr. Ricardo Patiño. Apesar de antigas as aeronaves foram modernizadas em 1995 pela Venezuela.

By Vinna com informações do Univision

Mergulhador morre durante busca ao Cheonan

By on 30.3.10
http://1.bp.blogspot.com/_MsSh3EyzOEs/SuYVH1i1NhI/AAAAAAAADLM/DjFxzkp8XAk/s400/20.JPG

Mergulhador morre durante busca em navio sul-coreano

Um mergulhador de 53 anos perdeu a consciência e acabou morrendo hoje durante uma missão para localizar tripulantes do navio da Marinha da Coreia do Sul que naufragou após uma misteriosa explosão na noite de sexta-feira nas águas geladas próximas da ilha Baengnyeong, perto da fronteira com a Coreia do Norte. Segundo autoridades do país, um segundo mergulhador estava sob tratamento após ficar ferido. Um total de 58 tripulantes foi salvo.

As equipes se recusam a paralisar o resgate, já que pode haver dezenas de pessoas presas na embarcação. "O trabalho está ocorrendo na crença de que pode haver sobreviventes", afirmou um porta-voz militar, no quarto dia dos trabalhos de resgate. Apesar da versão oficial, a esperança de encontrar os 46 marinheiros desaparecidos diminui a cada dia. Ontem, mergulhadores encontraram pedaços do navio e bateram na estrutura, mas não houve sons de resposta.

Com 1.200 toneladas, o Cheonan afundou no Mar Amarelo, perto da tensa fronteira marítima do país com a Coreia do Norte. Autoridades de Seul não culparam Pyongyang pelo ataque, mas já houve em 1999 e 2002 confrontos na área.

O ministro da Defesa sul-coreano, Kim Tae-young, afirmou que uma mina naval da época da Guerra da Coreia (1950-53) pode ter causado a explosão. Ele disse ainda que a Coreia do Norte pode ter lançado intencionalmente a mina à deriva. Não houve sinais de ataque com torpedo antes da explosão, segundo Kim afirmou a parlamentares sul-coreanos.

O presidente Lee Myung-bak pediu que os militares fiquem em estado de alerta com qualquer movimentação na Coreia do Norte. O governo comunista não fez qualquer comentário sobre o caso até o momento.

AE-AP - Agência Estado

Armada Potuguesa tem cinco fragatas mas agora faltam orçamento e missões

By on 30.3.10
Fragata "Vasco da Gama"

Marinha já tem cinco fragatas mas agora faltam as missões

Cortes orçamentais fazem com que a Armada não integre, pela primeira vez, a força naval permanente da NATO (SNMG1).

A Armada acaba de receber a quinta fragata para a sua esquadrilha de escoltas oceânicos, mas os cortes orçamentais vão deixar o ramo sem missões para cumprir.

A informação foi confirmada ao DN pela Marinha e por fontes do Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA), quando questionados sobre quanto tempo iria estar, este ano, um navio português na frota naval permanente da NATO (SMNMG1, sigla em inglês)

"A Marinha permanece, como sempre, pronta para assumir os compromissos internacionais que forem assumidos por Portugal no âmbito das alianças" que integra, disse o porta-voz, comandante João Barbosa, adiantando: "A Marinha compreende as restrições orçamentais do País, não possui uma visão de curto prazo sobre estas matérias e não comenta estas questões na praça pública."

Portugal integra anualmente a SNMG1, por períodos que variam até aos seis meses - não havendo memória de ter ficado de fora. Nos anos em que lidera essa frota, o tempo de permanência prolonga--se por um ano, como sucedeu no ano passado (até Janeiro de 2010).

Essa missão coincidiu com o envolvimento da NATO na luta contra a pirataria na Somália. Para a Marinha, isso deu à SNMG1 "o reconhecimento nacional e internacional pelo seu papel fundamental nesta luta, que visa garantir a segurança marítima e a livre circulação numa região particularmente afectada pela pirataria marítima".

Segundo fontes do EMGFA, a decisão de não envolver a Armada em missões no exterior em 2010 resultou das restrições orçamentais e, ainda, "das opções" sobre as forças no exterior - leia-se o aumento da presença no Afeganistão, agora com forças de combate (ver texto em cima).

O próprio ministro da tutela já tinha dito que o montante destinado às tropas no Afeganistão ia aumentar este ano de 10 milhões de euros para 25 milhões (num total de 75 milhões de euros para as forças no exterior, mais cinco milhões do que em 2009).

O problema, para a Armada, é que as verbas das missões no estrangeiro ajudavam a certificar as suas guarnições em exercícios internacionais, bem como a participar em missões reais (como é a luta contra a pirataria). Este ano, além de ficar fora da SNMG1, a Marinha também não convenceu a tutela - em especial o comandante das Forças Armadas, general Valença Pinto, frisaram fontes do ramo - a enviar um navio para a missão da UE contra a pirataria.

Assim, quando finalmente tem cinco fragatas de topo (três "Vasco da Gama" e duas "Bartolomeu Dias"), a Armada fica sem missões reais para lhes dar durante um ano - a não ser a rotina das missões ao largo da costa.

Fonte: Diário de Noticias Portugal

OGMA negocia produção em Portugal do KC-390

By on 30.3.10
OGMA negocia produção em Portugal de novo avião militar

Oficinas de Alverca concorrem para fabricar componentes para o KC-390 (imagem abaixo), o novo avião militar da Embraer. Montagem do avião em Portugal ainda é uma hipótese.


A OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal está a negociar o fabrico de componentes para o novo avião militar da Embraer, apurou o Diário Económico. O processo, que está a ser intermediado directamente pelo Ministério da Defesa e a quem cabe a decisão final, ainda se encontra numa fase embrionária, mas o Governo português e a fabricante brasileira têm trabalhado no sentido de integrar Portugal no programa do CK-390, que poderá substituir os actuais C-130H da Força Aérea Portuguesa.

Os contactos intensificaram-se desde o Verão passado, após o lançamento da primeira pedra da primeira fábrica da Embraer, em Évora. O argumento, do lado português, é a valência da OGMA no fabrico de materiais compósitos (peças em plástico e fibra, que são mais leves).

Para já, a possibilidade da montagem final do avião também ser feita em Portugal ainda não foi definida, mas também não está afastada, de acordo com as fontes contactadas pelo Diário Económico. Até porque, garantem, ainda é cedo para definir essas questões.

Fonte: Cátia Simões e Ana Maria Gonçalves (Económico - Portugal) - Noticias Sobre Aviação

Bandeirante laboratório da Universiadade Estadual do Ceará volta a fazer pesquisas

By on 30.3.10

Avião da Uece volta a fazer pesquisas

Aeronave laboratório é a única da América Latina que possui equipamento de microfísica de nuvens

Após sete anos e seis meses parado para manutenção, o avião-laboratório da Universidade Estadual do Ceará (Uece), voltou a ativa. Agora, os cientistas poderão avançar nas pesquisas meteorológicas e esclarecer dúvidas sobre as mudanças climáticas no País. A aeronave é única no Nordeste e segunda no Brasil, que está sendo usada no projeto intitulado "Pesquisa de Infraestrutura e Estudos das Mudanças Climáticas sobre o Nordeste Brasileiro e o Papel das Nuvens e Aerossóis".

O avião é o mesmo que foi operado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), na década de 1980. O equipamento passou a fazer parte do Laboratório de Física de Nuvens e Mesoescala (LFNM), extinto no fim da década de 1990.

No ano 2000, a aeronave passou a ser da Uece e se tornou avião-laboratório. Em 2002, fez seus dois últimos voos, e precisou parar para manutenção.

Foram mais anos de espera por financiamento e somente esse mês, ele voltou a funcionar novamente. Em seu primeiro voo, o equipamento fez parte da "Operação Pre-Chuva", realizada em Alcântara, no Maranhão. O objetivo foi de recolher dados iniciais sobre a chuva quente na região.

Segundo coordenador do mestrado em Ciências Físicas Aplicadas da Uece, professor Alexandre Araújo Costa, as pesquisas que deverão ser realizadas com a ajuda da aeronave, são cruciais para esclarecer dúvidas sobre as mudanças climáticas em várias regiões do Brasil.

Importância

Segundo ele, além de medir as gotículas da chuva, diâmetro e o volume das nuvens, será possível provar o quanto a ação do homem pode ser prejudicial para o clima, ocasionando mudanças meteorológicas. Ele cita o exemplo de uma pesquisa realizada na Amazônia, em 2002, quando o avião identificou o processo de inibição da formação de chuva na fase liquida, devido ao impacto das queimadas nas nuvens.

O professor Carlos Jacinto, coordenador do Laboratório de Pesquisas Atmosféricas da Uece, explica que a aeronave é de grande importância para a pesquisa mundial, já que é a única da América Latina que possui um equipamento capaz de medir a microfísica das nuvens.

Para a reativação da aeronave, foi preciso uma revisão estrutural do cubo da hélice e das turbinas, com o custo de R$1 milhão e 100 mil, financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Estado.

No fim deste ano, o avião-laboratório vai participar da "Operação Chuva", que irá mapear os processos de formação de chuva e identificar alteração nas propriedade das nuvens em todo o litoral nordestino.

GOVERNO ESTADUAL
Convênio com UFC garantiu estudos

O Laboratório de Física de Nuvens e Mesoescala (LFNM) originou-se no Departamento de Física da Universidade Federal do Ceará (UFC), em 1989. Ele foi resultado de solicitação do Governo do Estado, que buscava parceria para estudar temas relacionados ao tempo e clima da região Nordeste brasileiro, particularmente do Ceará.

Àquela época, foi assinado convênio entre a UFC e a Funceme. Neste convênio a UFC se comprometia realizar pesquisas na área da Física da Atmosfera, além de atuar diretamente na formação de recursos humanos especializados nessa área.

Fonte: Diário do Nordeste

Acorda Alice! Rosoboronexport segue em seu pleito pela reinclusão do Su-35 no FX-2

By on 30.3.10


http://3.bp.blogspot.com/_dTibRPk7UfE/SoyW3FckZvI/AAAAAAAAALk/20YFefu6oWM/s400/su35l10.jpg
Não vale a pena desconsiderar o Sukhoi Su-35

A empresa russa Rosoboronexport continuará no seu pleito pelo direito de participar na licitação no âmbito do Programa F-X2 e fornecer ao Brasil os caças multimissão Sukhoi Su-35. Moscou tem uma certeza absoluta de que o Sukhoi Su-35 é a melhor opção para a FAB. Não se trata, entretanto, apenas da superioridade técnica da aeronave russa sobre os concorrentes. É proposto ao Brasil uma oportunidade única de transferência de tecnologias para a montagem em série desses caças super-modernos por empresas brasileiras.

Superioridade total

Os concorrentes do caça multimissão russo Sukhoi Su-35 são: o Rafale francês, o F/A-18E/F “Super Hornet” norte-americano e o Gripen NG sueco. Quais são, então, as vantagens do Su-35 para a conquista da superioridade aérea e atacar alvos terrestres ou navais, independente da hora, do dia ou das condições meteorológicas?

Além de ser o mais veloz de todos (2.400 km/h à altitude de 11 km), o Su-35 possui a maior relação empuxo/peso. O seu raio de ação é impressionante, com 3.600 km atende perfeitamente às necessidades do Brasil, levando em consideração o tamanho do seu território e a extensão das fronteiras terrestres e navais do país.

Ademais, o Su-35 tem uma eficiência operacional mais alta que a dos seus concorrentes. O caça é capaz de carregar mais de 8 toneladas de diversas armas em 12 pontos sob as asas ou fuselagem, número maior do que os outros participantes da licitação. A aeronave é propulsionada por dois sofisticados motores 117C de empuxo vetorado, uma versão avançada do famoso AL-31F. Os motores são dotados de novos compressores, turbinas de alta e baixa pressão, sistema de controle digital. O empuxo dos dois motores foi aumentado para 29.000 kg, sendo igualmente aperfeiçoados certos indicadores de vida útil. Estas inovações associadas às excelentes qualidades aerodinâmicas proporcionam ao Su-35 sua conhecida supermanobrabilidade, invejável para outros caças, garantindo uma grande vantagem no combate aéreo.

A cabine de piloto apresenta novas soluções ergonômicas, sendo introduzidos novos meios de apresentação das informações segundo o princípio da cabine de vidro (Glass Cockpit), o que facilita o trabalho do piloto, permitindo a sua concentração máxima no cumprimento das missões de combate. Uma outra particularidade importante da aeronave são os seus aviônicos integrados ao sistema de informação operacional e ao controle digital responsável pela integração dos equipamentos embarcados. O radar de varredura eletrônica ativa, conhecido por sua sigla inglesa AESA (Active Electronically Scanned Array), quando comparado com os similares dos concorrentes, apresenta 1,5-2 vezes mais eficiência no alcance de detecção dos alvos aéreos e navais (até 400 km) e também superior em outras características técnicas. O radar é capaz de rastrear até 30 alvos aéreos simultaneamente, além de poder atacar 8 destes simultaneamente.

Os novos sistemas integram os equipamentos de rádio e navegação avançados, sistemas de operação dos caças em grupo e um sistema altamente eficiente de contramedidas eletrônicas. Cabe dar um destaque especial a que no Su-35 são empregadas as tecnologias de quinta geração, sendo deste modo garantida a superioridade sobre os caças concorrentes da mesma classe em toda uma série de aspectos técnicos e operacionais.

Convém notar que as características supracitadas permitem economizar recursos financeiros importantes. Primeiro, quanto maior for o raio de ação da aeronave, tanto menor será o número de Bases Aéreas a serem usadas no território do país. Segundo, quanto mais alta for a eficiência operacional de cada aeronave, tanto menor será o número de caças necessários para o cumprimento das missões atribuídas.

Ao parceiro estratégico – as melhores tecnologias

Segundo os peritos, a proposta da Rosoboronexport atende aos requisitos da licitação não só do ponto de vista técnico. Recentemente, no Brasil foi aprovada uma nova doutrina militar, a Estratégia Nacional de Defesa, conforme a qual a aquisição de novos sistemas de armamento obrigatoriamente requer a transferência simultânea de tecnologias, permitindo às empresas brasileiras, independentemente de outros países, procederem com garantia a manutenção e revisões de todos os níveis de complexidade, assim como a produção do armamento e material bélico ou dos seus componentes. Este requisito consta da documentação da licitação relativa ao Programa F-X2. Mais ainda, o volume e a profundidade das tecnologias transferidas são especificados como fatores decisivos.

Dado isso, em abril de 2009, foi entregue ao Ministério da Defesa brasileiro a Proposta Revisada integrando um extenso programa de transferência de tecnologias que prevê um ciclo completo de manutenção técnica, revisões, ou mesmo, a produção dos Su-35 no Brasil.

Convém notar que a amplitude da implantação deste programa pode ser limitada exclusivamente pela capacidade econômica ou tecnológica das empresas brasileiras. Mas, o mais importante é que Su-35 tem muitas das tecnologias de quinta geração, é de duvidar que o Brasil as receba dos Estados Unidos, que participam na licitação com um caça da geração mais antiga, ou da França ou da Suécia que não possuem tais tecnologias.

As negociações levadas a efeito evidenciaram que, mesmo hoje, se pode contar com a parceria das empresas brasileiras no equipamento do Su-35 com os aviônicos embarcados, integrados com os sistemas atuais e futuros das aeronaves da FAB (avionicos, sistemas de comunicações, sensores embarcados, computadores, etc.), assim como na integração do armamento aéreo de produção brasileira, inclusive mísseis e foguetes, que possibilite o seu emprego operacional no Su-35.

Uma vantagem incontestável da proposta da Rosoboronexport frente aos concorrentes é que somente a Rússia tem uma experiência real de transferência de tecnologias de produção de caças a outros países. Para a China foram transferidas as tecnologias relativas aos caças Su-27, à Índia - aos caças Su-30. Hoje, estão sendo implementados no Brasil os programas análogos no âmbito do projeto de fornecimento de helicópteros russos à FAB. Esta experiência verdadeiramente valiosa, com certeza, será aproveitada em caso do fornecimento dos Su-35.

***
A Rússia e o Brasil são parceiros estratégicos. Os Presidentes dos dois países declararam-no reiteradamente. Portanto, o projeto de fornecimento dos Su-35 poderia vir a ser uma etapa qualitativamente nova no desenvolvimento das relações russo-brasileiras, contribuindo para a ampliação e consolidação da cooperação técnico-militar. O Su-35 é um caça único e um dos melhores entre atualmente existentes, inclusive segundo o critério custo-eficiência. O Ministério da Defesa da Rússia já celebrou o contrato de fornecimento para a Força Aérea russa de 48 destas aeronaves que nos próximos quatro anos irão equipar as unidades aéreas. Talvez, a FAB seja a seguinte?

Uma referencia:

A Empresa Federal Estatal Unitária Rosoboronexport – é única na Rússia que está fornecendo toda a variedade de Material de Emprego Militar, Serviços e Tecnologias de Uso Militar e Uso Dual.Representando de fato o Governo da Federação Russa , está celebrando todo suporte governamental. A Rosoboronexport é uma das maiores empresas no mercado mundial de armamentos, com mais que 80 per cento do volume da exportação total de armamentos e equipamentos militares da Rússia. Tem relações de cooperação com mais de 70 paises do Mundo.

Fonte: DEFESANET

Chile: marinheiro devolve US$ 7,6 mil achados em destroços

By on 30.3.10
Talcahuano, Chile, after an aftershock on March 5
Residents wait in the street after an aftershock hit Talcahuano, Chile, today. Photograph: Evaristo Sa/AFP/Getty Images
Chile: marinheiro devolve US$ 7,6 mil achados em destroços

Um marinheiro chileno devolveu ao dono quatro milhões de pesos - o equivalente a 7,6 mil dólares - retirados de uma caixa-forte encontrada no meio do lodo e de destroços das casas do arquipélago Juan Fernández, depois do tsunami que atingiu a região em fevereiro, informou nesta sexta-feira o jornal La Segunda.

"Recolhi tudo o que caiu e coloquei dentro. Enquanto fazia isso, pensei que o dono sentiria falta do dinheiro. Aí liguei para um policial e depois avisamos a polícia chilena", disse o cabo Carlos Gómez, marinheiro da fragata Almirante Latorre.

Esse grupo foi o primeiro a chegar à ilha depois da destruição deixada pelo tsunami, com a missão de limpar a região devastada pelo terremoto de 27 de fevereiro.

O ministro do Interior do Chile, Rodrigo Hinzpeter, revelou nesta sexta-feira que o terremoto que atingiu o país no final de fevereiro deixou 452 mortos, 96 desaparecidos, 200.000 casas destruídas e 800.000 danificadas no país.

Fonte: G1

Portugal: Helicópteros NH90 para o Exército 'impõem' acordo com Força Aérea

By on 30.3.10

http://2.bp.blogspot.com/_9meF9S6NvA4/SWqBsPs1IAI/AAAAAAAAG-g/Lk0JqeCK1-Y/s400/NH-90_TTH_1.jpg
Helicópteros para o Exército 'impõem' acordo com Força Aérea

Custos da operação de 10 helicópteros médios e de recuperar aeródromo quase sem uso há anos 'ensombram' programa

O Exército está a marchar a toda a velocidade para receber e operar os helicópteros médios NH90 em 2012, mas o que está por fazer e as dificuldades financeiras do País mantêm alguma incerteza sobre a evolução da Unidade de Aviação Ligeira (UALE) do ramo.

A formação e qualificação atempada das tripulações (pilotos, mecânicos), a modernização das infra-estruturas do aeródromo militar de Tancos (AMT) ou a colaboração com a Força Aérea - na sua qualidade de Autoridade Aeronáutica - são aspectos críticos para o bom funcionamento da UALE, segundo diferentes fontes.

Uma primeira interrogação tem a ver com o número de helicópteros. O Exército conta receber 10 NH90 (projecto cooperativo no âmbito da NATO, onde Portugal está desde o início e em cuja construção participa através da empresa OGMA) entre 2012 e 2014. "Será que vão receber mesmo esses hélicópteros todos?", interrogou-se uma das fontes ouvidas pelo DN, lembrando o caso do avião militar europeu A400M - a Alemanha integra o consórcio original, financia o programa, mas reduziu o número de encomendas devido às dificuldades financeiras.

Outra interrogação surge no domínio da certificação, área onde entra a Força Aérea. Só que os atritos entre os dois ramos sobre esse programa, desde meados dos anos 1990, têm sido uma constante (com razões de parte a parte, segundo o que se foi ouvindo) - ao ponto de o Exército ter mandado formar pilotos em Espanha.

Actualmente, o Exército tem quatro pilotos (e brevemente vai mandar mais um) ao serviço do Exército espanhol, 10 colocados na Empresa de Meios Aéreos (EMA) do Ministério da Administração Interna - e nenhum na Força Aérea, à excepção de 10 dos 16 mecânicos.

Note-se que compete à Autoridade Aeronáutica - leia-se Força Aérea - certificar as infra-estruturas (se são adequadas a que aeronaves, para operar em que condições e com que equipamentos) de um aeródromo praticamente sem uso há duas décadas, fazer as reservas de espaço aéreo requeridas ou definir onde, quando e a que altitudes podem voar os meios aéreos, entre muitos outros aspectos. A par do apoio diário aos helis (meteorologia, controlo do tráfego aéreo), também a investigação a acidentes com helis do Exército deverá ser feita pela Força Aérea, admitiram fontes do ramo ao DN.

Questionado pelo DN sobre o relacionamento com a Força Aérea, o chefe do Estado-Maior do Exército (CEME) respondeu de forma lacónica: "Teremos de ver como isso irá ser feito." No caso dos pilotos, o ramo assume que "desejavelmente será a Força Aérea a fazer a certificação nacional".

Em matéria de tripulações, o Exército prevê ter "no mínimo" 21 pilotos, pois cada NH90 opera com dois em simultâneo e se estima uma taxa de operacionalidade na ordem dos "70%" (os restantes correspondem a helicópteros que estão parados para manutenção e ou reparação).

Fonte: Diario de Noticias - Portugal - Por: MANUEL CARLOS FREIRE

Evektor apresenta bimotor EV-55 Outback para até 14 passageiros

By on 30.3.10
Fabricante europeia apresenta bimotor para até 14 passageiros

A fabricante de aeronaves Evektor apresentou nesta terça-feira em Kunovice, na República Checa, a nova geração do bimotor turbo-hélice EV-55 Outback.
O modelo, inteiro feito de aço, comporta de nove a 14 passageiros ou peso máximo de 1,8 t. Segundo a marca, a aeronave alcança 407 km/h e é capaz de pousar em vias não asfaltadas.
Os assentos do EV-55 Outback podem ser arranjados em três posições diferentes para aproveitar ao máximo o espaço útil do avião.
FONTE: Terra Brasil - Via 12 Horas Aérea News Aviation

Potências querem tirar dos desarmados até estilingue, diz brasileiro

By on 30.3.10

Potências querem tirar dos desarmados até estilingue, diz brasileiro

http://2.bp.blogspot.com/_vlspvPOsm_0/Sw2bkyBbcXI/AAAAAAAAByg/nxKK03gNSwk/s1600/timthumb.jpg

Para Samuel Guimarães, caso do Irã pode repetir “manipulação ideológica” pré-invasão do Iraque

CLAUDIA ANTUNES

DA SUCURSAL DO RIO

O ministro de Assuntos Estratégicos, Samuel Pinheiro Guimarães, disse ontem que os países “extraordinariamente armados” pretendem “desarmar os desarmados totalmente, até o último estilingue”, e convencer o mundo de que são estes últimos os “perigosos e que oferecem grandes riscos à paz internacional”.

Foi uma das referências indiretas à pressão das potências ocidentais sobre o programa nuclear do Irã, em palestra na Escola de Políticas Públicas do Iuperj (Instituto Universitário de Pesquisas do Rio) na qual o ex-secretário-geral do Itamaraty falou sobre “as perspectivas do Brasil para o mundo de 2022″.

Ele se referiu às negociações de defesa ao mencionar a criação de normas destinadas a “consagrar privilégios” como uma das tendências globais que o Brasil enfrentará.

Ao apresentar o ministro, o acadêmico Candido Mendes, reitor da universidade à qual o Iuperj é ligado, saudou o esforço brasileiro para “readmitir o Irã na comunidade internacional” e perguntou por que o país persa não pode ser potência nuclear “se Israel o é”.

Guimarães não entrou nesse mérito, mas disse que a manutenção de privilégios no sistema internacional envolve uma “manipulação ideológica permanente”, que segundo ele parte de universidades para organismos internacionais e a imprensa, e conseguiu, em 2003, “convencer” que o Iraque tinha armas de destruição em massa.

“Quem sabe não estamos diante de uma outra formulação do tipo, que se articula gradualmente?”, perguntou.

Antes, ao lembrar que países hoje no Conselho de Segurança da ONU, como França e Reino Unido, já estavam em posição de poder no início do século 19, o ministro disse que “uma das características do sistema internacional é o racismo, a ideia de civilizações superiores e inferiores”.

Disse que japoneses foram considerados “brancos honorários” para fazer negócios com a África do Sul do apartheid e comparou: “Fiquem sabendo os senhores que nós também somos brancos honorários. Mesmo aqueles aqui de pele mais alva”.

América do Sul

Guimarães disse que a crescente disparidade econômica entre o Brasil e seus vizinhos da América do Sul, e a penetração de empresas brasileiras na região, onde o “capital estrangeiro, como sabemos, nem sempre é bem-vindo”, exige que o país seja mais generoso.

“Será necessária uma política de grande audácia para reverter essa tendência, promover o desenvolvimento dos vizinhos e permitir o desenvolvimento equilibrado da região”, disse, citando também a intensificação do ativismo indígena, desconfiado da exploração de recursos naturais.

Ele sugeriu a formação de um mercado único sul-americano, mas não “ao estilo neoliberal”, no qual o Brasil continue a acumular superavit. Seria, disse, um esquema “em que o Brasil abra seu mercado, mas permita aos países menores proteger seu sistema econômico para poderem se desenvolver”.

Guimarães disse ainda que o Brasil sofrerá “danos extraordinários” se cair na tentação de se intrometer na política interna dos vizinhos, movido por interesses econômicos. “Será necessário manter o princípio da não intervenção e da autodeterminação”, afirmou.

Primeiro helicóptero leve de combate projetado e produzido na India realizou o seu primeiro voo

By on 30.3.10



Photos Courtesy Anantha Krishnan. M. - Via LiveFist

Primeiro helicóptero leve de combate projetado e produzido na India realizou o seu primeiro voo

O Primeiro helicóptero leve de combate projetado e produzido na India realizou o seu primeiro voo (pairado) na última segunda-feira (29) durante 15 minutos.

O projeto do Helicóptero Leve de Combate - (Light Combat Helicopter - LHC) da Índia teve início em 2005, na Hindustan Aeronautics Limited – HAL que tem encomendas firmes de 65 helicópteros para Força Aérea da Índia e 114 para o Exército.

O LCH é baseado na tecnologia desenvolvida para o helicóptero médio Dhruv da Índia. O LCH será equipado com mísseis, e em seu “nariz” será montado um canhão de 20 milímetros. Ele será capaz de combater tanques e veículos blindados, além de dar apoio no campo de batalha.

By Vinna com informações do NDTV

Brasil tem peso para virar potência mundial, diz Wall Street Journal

By on 30.3.10

the_journal_report_wall_street_journal__.jpg

Capa do caderno especial: ‘finalmente é amanhã’ (imagem: reprodução)


Brasil tem peso para virar potência mundial, diz Wall Street Journal


O diário norte-americano The Wall Street Journal publica nesta segunda-feira um caderno especial sobre o Brasil abrangendo “da sua notável moeda forte e seu explosivo mercado de ações até o ardente debate sobre um astro do futebol [o Ronaldinho Gaúcho]”.

“Para o país do futuro, finalmente é amanhã”, diz a chamada da reportagem principal. “O Brasil virou a esquina e agora é uma nação de peso, ambição e fundamentos econômicos para se tornar uma potência mundial. Mas o país tem enormes desafios que precisa enfrentar até aproveitar integralmente esse potencial.”

Entre os obstáculos que o Brasil tem a encarar, o jornal cita a corrupção “cravejada” no País, o “crime galopante”, a “infraestrutura em mau estado” e o “ambiente de negócios restritivo (”com um código trabalhista arrancado das cartilhas econômicas de Benito Mussolini”). Ainda há ”trabalhos colossais” a serem feitos, diz a reportagem, assinada pelo correspondente Paulo Prada.

Uma das reportagens trata das eleições deste ano e conclui que os brasileiros “querem mais do mesmo”. No plano internacional, o jornal escreve que “de repente”, o que o Brasil fala passa a ter importância no exterior, mas afirma que o País “escorrega no palco global”.

O jornal traz textos, ainda, sobre o projeto de expansão do BTG Pactual (um dos maiores bancos de investimento do País), o crescimento e os desafios da Embraer, a tentativa do governo de resolver os problemas das conexões de internet no País, a dupla de artistas conhecida como Os Gêmeos (veja galeria de imagens), os restaurantes de São Paulo, eventos culturais e dados estatísticos.

O Brasil foi escolhido como o primeiro de uma série de países que serão objetos de reportagens do caderno “The Journal Report”. O objetivo do jornal, diz a “Nota do Editor”, é dar aos leitores “uma compreensão sobre um dos mais vibrantes e importantes lugares do mundo hoje”.

Fonte: Wall Street Journal - Via Estadão Por: Sílvio Guedes Crespo

The Wall Street Journal: Corrupção ‘relativamente’ baixa ajuda Brasil,

By on 30.3.10
http://3.bp.blogspot.com/_mBAPy_ry4LM/Rl8wNFdpprI/AAAAAAAAAIM/6snFsEL6agE/s400/CORRUP%C3%87%C3%83O+III.jpg
Corrupção ‘relativamente’ baixa ajuda Brasil, diz jornal

O que se fala nas ruas do Brasil talvez não chegue a Wall Street. O artigo desta quinta-feira publicado na seção “Heard on the Street”, do diário norte-americano The Wall Street Journal, faz uma afirmação que vai de encontro a muitas das conversas que se ouvem no País.

Assinado por Liam Denning, o texto aponta a corrupção “relativamente” baixa como um dos fatores que explicam que “ainda há apetite” dos investidores estrangeiros pelo mercado brasileiro de ações.

“O Brasil se beneficia de uma reputação relativamente melhor em relação à corrupção”, diz o texto, ao comparar o mercado brasileiro com o russo. “Classificado em 75º no Índice de Percepção da Corrupção da Transparência Internacional, [o Brasil] não é uma Suíça. Mas é o mais bem classificado entre os Brics [grupo que reúne Brasil, Rússia, China e Índia]”, afirma o articulista.

Além da questão da corrupção, o texto aponta as projeções de capitalização da Petrobrás como outro fator para acreditar que há “apetite” pelo mercado brasileiro. A expectativa é de que a petrolífera levante US$ 25 bilhões.

Um terceiro sinal de que a bolsa brasileira ainda traz boa perspectiva, diz o artigo, foi a oferta de ações da Gafisa na quarta-feira (24), que movimentou US$ 520 milhões, além os papéis da empresa terem terminado o dia em alta.

O texto não deixa de citar os pontos negativos, entre eles o fato de “metade do mercado brasileiro estar exposto a matérias-primas e energia”.


Fonte: Estadão - Sílvio Guedes Crespo

VÍDEO: PAK FA - segredos revelados

By on 30.3.10
http://1.bp.blogspot.com/_WAvRAmT7O3E/S2dxxkPJTvI/AAAAAAAAA4w/bjcbz52vf6Q/s400/pak_fa+(13).jpg
VÍDEO: Alguns segredos revelados sobre as tecnologias utilizadas no caça PAK FA da Rússia



Interessante vídeo onde são entrevistados técnicos que trabalharam no desenvolvimento de algumas tecnologias utilizadas no novo caça de quinta geração da Rússia, o Sukhoi T-50 PAK-FA. (Vídeo em russo com legendas em inglês).

Fonte: CAVOK

Helicóptero militar cai no sul do Afeganistão

By on 30.3.10

Helicóptero militar cai no sul do Afeganistão

Um helicóptero da força militar internacional no Afeganistão caiu nesta segunda-feira no sul do país, informou a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e assegurou que as informações iniciais descartavam vítimas fatais.

Todo o pessoal a bordo foi levado a instalações médicas próximas, disse a Otan sem dar outros detalhes.

Jilani Farah, subchefe da polícia na província de Zabul onde aconteceu o acidente, disse que houve 14 feridos, incluindo membros da coalizão internacional e três soldados e um policial afegãos.

O grupo extremista Talibã assumiu em um mensagem em seu site a responsabilidade pelo incidente, que aconteceu no distrito de Atghar.

A Otan dise que o caso está sendo invetigado, mas que não havia sinais de que os rebeldes tenham derrubado a aeronave.

Fonte: AP via O Globo - Noticias Sobre Aviação

Pentágono anuncia revisão de estratégias de informação bélica

By on 30.3.10
http://1.bp.blogspot.com/_BorhIGs04xA/Sc7hfMRkmRI/AAAAAAAAAGg/r_-zW2PeRQM/s400/pentagono.jpg
Pentágono anuncia revisão de estratégias de informação bélica

Departamento suspeita que fundos foram usados em operações de espionagem não oficiais no Afeganistão

O Pentágono anunciou nesta terça-feira, 23, uma revisão de 15 dias das operações de inteligência nos esforços bélicos norte-americanos, devido a acusações contra um empregado que usou terceirizados para caçar militantes no Afeganistão.

O Pentágono informou na semana passada que investiga a acusação de que um empregado do Departamento de Defesa, ao invés de entregar detalhes sobre o panorama tribal e social do Afeganistão a comandantes americanos, havia canalizado fundos para operações de espionagem não oficiais.

A revisão ordenada pelo secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, não irá interferir nesta investigação, mas revisará de modo geral as operações de inteligência do Pentágono, que recebem mais de US$ 500 milhões no ano fiscal de 2010.

"Esta investigação vai revisar de modo geral os programas de operações de informação e se há ou não uma supervisão apropriada, diretrizes, e esse tipo de coisas", disse à imprensa Geoff Morrell, porta-voz do Pentágono.

As operações de inteligência abarcam desde a guerra eletrônica até o recolhimento de dados de fontes abertas sobre o panorama tribal afegão, assim como a transmissão de mensagens militares na rádio local.

"Gastamos muito dinheiro nisso", disse Morrell. "O secretário quer garantir que os programas executados com esses fundos são realizados segundo nossas diretrizes e com a supervisão adequada, e que alcançam os objetivos desejados", acrescentou.

As acusações sobre as operações de espionagem não registradas, inicialmente detalhadas em uma matéria do jornal New York Times, se centraram em Michael D. Furlong, que, segundo o diário, contratou empresas de segurança privada que empregavam ex-agentes da CIA e das Forças Especiais.

Furlong negou qualquer crime e disse em uma entrevista na semana passada que seu programa de espionagem, atualmente suspenso, estava completamente autorizado pelo Exército norte-americano.

O Exército reconheceu que Furlong era um empregado civil no centro de operações de informação de guerra do comando dos EUA, que fica no Texas.

Fonte Estadão

Adilson Kindlemann estreia em penúltimo no Air Race, mas ganha elogios do campeão

By on 30.3.10

Brasileiro estreia em penúltimo no Air Race, mas ganha elogios do campeão

Adilson Kindlemann cai para a repescagem e fica em 14º; inglês Paul Bonhomme vence a prova de abertura do Mundial em Abu Dhabi

O estreante Adilson evitou a desclassificação e cumpriu o percurso até o fim na prova no sábado

O brasileiro Adilson Kindlemann terminou em 14º e penúltimo lugar em sua estreia no Mundial de Air Race, na etapa de Abu Dhabi, realizada no sábado. O fato de ter completado a prova como calouro, no entanto, atraiu elogios do vencedor da prova e atual campeão mundial, o inglês Paul Bonhomme. Para Adilson, levar o avião em perfeitas condições até o fim, mesmo com ventos fortes e temperatura alta. foi uma vitória pessoal.

- Foi uma condição totalmente diferente do treino de sexta, com um vento muito mais forte, então é como se fosse novamente meu primeiro dia no circuito de Abu Dhabi - explicou Adilson.

O estreante Adilson evitou a desclassificação e cumpriu o percurso até o fim na prova deste sábado

Ao fim da prova, Bonhomme elogiou o brasileiro:

- No Air Race, estamos no nível mais alto de pilotagem do mundo. Para qualquer estreante, é um grande passo. Não se esqueça de que Hannes Arch passou de estreante inexperiente em 2007 para campeão do mundo no ano seguinte - lembrou o inglês.

Com a vitória deste sábado, Bonhomme garantiu seu 12º triunfo na carreira ao cravar o tempo de 1m14s06. O também inglês Nigel Lamb e o húngaro Peter Besenyei completaram o pódio.

- Foi uma das etapas mais difíceis que já disputamos. Espero que ano que vem as temperaturas estejam mais baixas. Ar quente e aviões de corrida não combinam muito bem - disse.

Paul Bonhomme faturou a primeira etapa

Adilson vai competir novamente em Perth, na Austrália, daqui a três semanas, nos dias 17 e 18 de abril. Nos dias 8 e 9 de maio, será realizada a etapa do Rio de Janeiro.

Confira os resultados da etapa de Abu Dhabi:

FINAL FOUR:

1) Paul Bonhomme, GBR, 1:14.06
2) Nigel Lamb, GBR, 1:14.92
3) Peter Besenyei, HUN, 1:21.18
4) Michael Goulian, EUA, DNS (problema mecânico)

SUPER EIGHT:

5) Peter McLeod, CAN, 1:20.40
6) Kirby Chambliss, EUA, DSQ
7) Matthias Dolderer, ALE, DSQ
8) Matt Hall, AUS, DNS (problema mecânico)

TOP-12:

9) Nicolas Ivanoff, FRA, 1:22.76
10) Yoshihide Muroya, JAP, 1:23.76
11) Hannes Arch, AUT, DSQ
12) Alejandro MacLean, ESP, DNS (problema mecânico)

REPESCAGEM:

13) Martin Sonka, TCH, 1:39.78
14) Adilson Kindlemann, BRA, 1:56.57
15) Sergey Rakhmanin, RUS, DSQ

Confira aqui a galeria com as melhores fotos da etapa de Abu Dhabi.

Fonte: Globoesporte.com - Fotos: Divulgação / Getty Image - Noticias Sobre Aviação

Google é acusado de espionagem por Partido Comunista chinês

By on 30.3.10
http://1.bp.blogspot.com/_vFMeuUoMdtM/Sidx-30sJMI/AAAAAAAAARw/wiahMfgDJiI/s400/Tiananmen_Tank_Man_Google_China.gif

Google é acusado de espionagem por Partido Comunista chinês

Para Partido Comunista, o povo chinês é contra ameaças e pessão externa

O jornal do Partido Comunista chinês “O Diário do Povo” acusou a Google de estar sendo conivente com espiões do governo americano.

De acordo com a Reuters a última edição do jornal diz, em sua primeira página, que “a Google não é imaculada quando se trata de valores. Sua cooperação com a inteligência dos EUA e agências de segurança é bem conhecida”, afirma.

A acusação veio depois que a gigante de buscas na internet tirou do ar o Google.cn e começou a redistribuir as pesquisas a uma base em Hong Kong. O jornal ainda trouxe outras afirmações. Primeiro, disse que “para o povo chinês, o Google não é Deus, e mesmo quando ele se sobrepõe a assuntos sobre política e valores, continua não sendo Deus”. Depois afirmou que a empresa está “completamente enganada a respeito da situação, e não percebe que o povo chinês é extremamente avesso a ameaças externas e a pressão”.

De acordo com o site TechRadar o Partido Comunista da China afirma que a decisão da Google de tirar do ar o site de buscas, que sofria uma série de censuras do governo, ajuda o país a investir em esforços para promover o desenvolvimento de sua própria tecnologia.

O jornal termina deixando no ar um questionamento sério: "Tudo isso faz muito sentido. Se pensarmos a respeito do grande esforço que os Estados Unidos têm tido nos últimos anos para entrar numa guerra na Internet, essa pode ser a prévia de uma batalha iminente”, conclui.


Fonte: Geek - por Fabiana Baioni

Wing Walking: Piratas do Ar em ação...

By on 30.3.10
Wing Walking: Piratas do Ar em ação...

A equipe brasileira de Wing Walking em ação

A equipe Piratas do Ar, uma das mais famosas do mundo - e loucas também!

Os Piratas do Ar em ação. o Wing Walking é dos esportes radicais mais perigosos do planeta

Wing Walking com passagem de um lado para o outro da asa. Não é para qualquer um...

Convenhamos que uma vida sem um pouquinho de aventura não tem a menor graça, certo? Afinal, todo mundo gosta de sentir aquele friozinho na barriga. E a busca por adrenalina parece não ter mesmo limite.

Pense que a ideia de deixar a terra firme para trás em um avião deixa muita gente com medo. Agora, imagine-se, durante o voo, saindo da aeronave para dar um passeio em suas asas. Nesse cenário maluco você ainda pode inventar de plantar bananeira e, pra marcar um grand finale, dar um salto de paraquedas. Parece loucura demais para ser real? Pois esse é o Wing Walking.

O esporte surgiu nas primeiras décadas do século passado de forma bem amadora. Conforme foi conquistando adeptos e encantando as pessoas em apresentações, foi se profissionalizando. Hoje existem aproximadamente 200 praticantes, em equipes espalhadas pelo mundo todo, inclusive no Brasil.

O show, que geralmente acontece em um modelo biplano, é basicamente composto por acrobacias. Mas se torna ainda mais inusitado quando o wingwalker decide passar para um segundo avião, ou mesmo para um trem, um carro ou até um barco.

Se você se empolgou com a maluquice, antes de pensar em procurar um instrutor é bom se lembrar de que esse é um passo mais perigoso do que se alistar para uma guerra. Não, não é exagero! A matemática é simples: um soldado estrangeiro no Iraque tem probabilidade cinco vezes maior de voltar para casa vivo do que quem decide dar uma voltinha para fora do avião.

Pois é, quando falamos que não existe limites para deixar a adrenalina nas alturas não estávamos brincando. E aí, tem pouco juízo para encarar a aventura?

Serviço
Equipe Wingwalking
Tel.: (11) 3904-4542 begin_of_the_skype_highlighting (11) 3904-4542 end_of_the_skype_highlighting

Fonte: Redação Custom Editora (Especial para Terra) - Noticias Sobre Aviação

Reino Unido reduz encomenda do A400M para RAF

By on 30.3.10
Ministério da Defesa do Reino Unido divulga novos contratos, e anuncia que serão somente 22 A400M para RAF

O Ministério da Defesa do Reino Unido divulgou novos contratos de compra de armas e pacotes militares, e confirmou que a Royal Air Force receberá 22 aeronaves de transporte Airbus A400M, um corte de três unidades das 25 originalmente necessárias.

O Secretário de Defesa Bob Ainsworth disse que a Airbus Military entregará “pelo menos” 22 aeronaves. “Eu estou grandemente encorajado pelo progresso feito no programa do A400M,” adicionou ele.

As aeronaves ficarão na base aérea da RAF de Brize Norton, em Oxfordshire.

No mesmo dia, o Ministério da Defesa do Reino Unido também assinou um contrato de £120 milhões com a BAE Systems pata manter as aeronaves Hawk T Mk2 da RAF em operação, conhecido como Jato de Treinamento Avançado, uma aeronave essencial para oferecer um moderno treinamento aos pilotos de caça.

Foi feito um progresso também na direção da entrega de 22 novos helicópteros Chinook, visto que o Ministério de Defesa assinou um contrato com a Boieng para começar os trabalhos necessários para entregar as dez primeiras aeronaves em 2012 e 2013.

Nos últimos 30 anos, os helicópteros Chinook provaram seu valor incalculável para os comandantes, mais recentemente durante as operações no Afeganistão.

Fonte: CAVOK

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts