GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

sexta-feira, maio 27, 2011

Operation Unified Protector (Odyssey Dawn): Rússia aceita ser mediadora na Líbia

By on 27.5.11

A Rússia anunciou nesta sexta-feira (27) que aceita atuar como mediadora da crise política na Líbia.

O vice-chanceler, Sergei Ryabkov, disse que os russos acreditam que o ditador Muammar Kadhafi, pressionado por uma revolta popular, "perdeu sua legitimidade". Moscou está disposta a "facilitar sua saída do poder", disse o diplomata à agência RIA.

A Rússia vinha se opondo aos bombardeios aliados que, desde março, atingem as forças de Kadhafi.



Na véspera, representantes de EUA, Reino Unido e França, durante a cúpula do G8 na França, haviam pedido à Rússia que intercedesse no conflito.

Fonte: G1

AF-447: íntegra do relatório parcial

By on 27.5.11

PREFÁCIO ESPECIAL AO TEXTO PORTUGUÊS

Este texto foi traduzido e publicado pelo BEA a fim de facilitar a leitura pelos falantes brasileiros. Tão exata quanto a tradução possa ser, é o texto original em francês que deve ser considerado como o trabalho da referência

Histórico do voo
No domingo, 31 de maio de 2009, o Airbus A330-203, matrícula F-GZCP, operado pela Air France foi programado para efetuar o voo regular AF447 entre o Rio de Janeiro Galeão e Paris Charles de Gaulle. Doze tripulantes (3 PNT, 9 PNC) e 216 passageiros estão a bordo. A partida está prevista para as 22 h 00(1).




Às 22 h 10 a tripulação tem permissão para ligar os motores e deixar o pátio. A decolagem ocorreu às 22 h 29. O comandante de bordo é PNF, um dos copilotos é PF.

O peso na decolagem é de 232,8 t (para um MTOW de 233 t), e inclui 70,4 toneladas de combustível.

À 1 h 35 min e 15 s, a tripulação informou o controlador ATLÂNTICO que passou o ponto INTOL e anuncia a seguinte estimativa: SALPU às 1 h 48 e ORARO às 2 h 00. Ela também transmite o seu código SELCAL e um teste é realizado com sucesso.

À 1 h 35 min 46 s, o controlador pediu que ele mantenha FL350 e informe sua estimativa para o ponto TASIL.

À 1 h 55, o comandante de bordo desperta o segundo copiloto e diz «[...] vá tomar o meu lugar».

Entre 1 h 59 min 32 s e 2 h 01 min 46 s , o comandante de bordo assiste ao briefing entre os dois copilotos, onde PF disse principalmente que «o pouco de turbulência que você acabou de ver [...] devemos encontrar outras mais à frente [...] estamos na camada, infelizmente não podemos subir muito mais agora porque a temperatura está diminuindo menos rapidamente do que o esperado» e que «o logon com Dakar falhou». O comandante de bordo deixou a cabine.

A aeronave se aproxima do ponto ORARO. Ela voa em nível de voo 350 e à velocidade Mach de 0,82; a atitude longitudinal é de cerca de 2,5 graus. O peso e o centro de gravidade do avião são de cerca de 205 toneladas e 29%. O piloto automático 2 e auto-impulsão são ativados.

Às 2 h 06 min 04 s, o PF chamou os PNC e lhes disse que «em dois minutos devemos atacar uma área mais agitada do que agora e devemos tomar cuidado lá» e acrescenta «eu lhe ligo logo que sairmos de lá».

As 2 h 08 min 07 s , o PNF propõe «você pode, possivelmente, levar um pouco para a esquerda [...]». A aeronave começou uma ligeira virada para a esquerda ; o desvio em relação à rota inicialmente seguida é de cerca de 12 graus. O nível de turbulências aumenta ligeiramente e a tripulação decide reduzir o Mach para 0,8.

A partir das 2 h 10 min 05 s , o piloto automático e em seguida a auto-implusão são desativados e PF anuncia «eu tenho os comandos». A aeronave rolou para a direita e PF exerce uma ação à esquerda e de elevação do nariz. O alarme de perda dispara duas vezes. Os parâmetros registrados mostram uma queda brutal de cerca de 275 kt para 60 kt da velocidade mostrada do lado esquerdo e poucos momentos depois a velocidade mostrada no instrumento de resgate (ISIS).

As 2 h 10 min 16 s, o PNF disse «perdemos as velocidades» e em seguida «alternate law {...]».

A atitude da aeronave aumenta gradualmente para acima de 10 graus e leva a uma trajetória ascendente. PF exerce ações de pique e alternadamente da direita para a esquerda. A velocidade vertical, que tinha atingido 7.000 pés/min, diminuiu para 700 pés/min e a rolagem varia entre 12 graus à direita e 10 graus à esquerda. A velocidade mostrada à esquerda aumentou brutalmente para 215 kt (Mach de 0,68). A aeronave se encontra então a uma altitude de cerca de 37.500 pés e a incidência registrada é de cerca de 4 graus.

A partir das 2 h 10 min 50 s, o PNF tentou por várias vezes chamar o comandante de bordo.

Às 2 h 10 min 51 s , o alarme de perda soa novamente. Os manches de controle de impulso são colocados na posição TO/GA e o PF mantém sua ordem de elevar o nariz. A incidência registrada, de cerca de 6 graus no disparo do alarme de perda, continua a aumentar. O estabilizador horizontal regulável (PHR) passa de 3 para 13 graus de levantar o nariz em 1 minuto aproximadamente; ele permanecerá nesta última posição até o fim do voo.

Quinze segundos depois, a velocidade mostrada no ISIS aumenta abruptamente para 185 kt ; ela é consistente com a outra velocidade registrada. PF continua a dar ordens de elevar o nariz. A altitude da aeronave atinge o seu máximo de cerca de 38.000 pés, sua atitude e sua incidência são de 16 graus.

Às 2 h 11 min 40 s, o comandante de bordo retorna à cabine. Em poucos segundos, todas as velocidades registradas se tornam inválidas e o alarme de perda pará.

A altitude está, então, em cerca de 35.000 pés, a incidência ultrapassa 40 graus e a velocidade vertical é de aproximadamente -10.000 pés/min. A atitude da aeronave não excede 15 graus e os N1 dos motores estão perto de 100%. A aeronave sofre oscilações de rolagem que atingem por vezes 40 graus. O PF exerce uma ação no manche no limite para a esquerda e de levantar o nariz, que dura cerca de 30 segundos.

As 2 h 12 min 02 s, o PF disse «eu não tenho mais nenhuma indicação», e o FNP disse «não temos nenhuma indicação que seja válida». Neste ponto, os manches de comando de impulsão estão na posição IDLE, os N1 dos motores estão em 55%.

Quinze segundos depois, o PF faz ações de pique. Nos instantes que se seguem, houve uma diminuição da incidência, as velocidades tornam-se novamente válidas e o alarme de perda é reativado.

Às 2 h 13 min 32 s, PF disse «vamos chegar ao nível cem». Cerca de quinze segundos depois, ações simultâneas dos dois pilotos nos mini-manches são registradas e PF diz «vamos lá, você tem os comandos».

A incidência, quando é válida, está sempre acima de 35 graus.

Os registros param às 2 h 14 min 28 s. Os últimos valores registrados são velocidade vertical de -10.912 pés/min, velocidade de solo de 107 kt, atitude de 16,2 graus de elevação do nariz, rolagem de 5,3 graus à esquerda e um rumo magnético de 270 graus.

Novos fatos estabelecidos

Nesta fase do inquérito, além dos relatórios do BEA, de 2 de Julho e de 17 de Dezembro de 2009, os novos fatos a seguir foram estabelecidos:

A composição da tripulação estava em conformidade com os procedimentos do operador.
ˆˆ
No momento do evento, a massa e o centro de gravidade estavam dentro dos limites operacionais.

ˆˆNo momento do evento, os dois copilotos estavam na cabine e o comandante de bordo em repouso, este último voltou para a cabine cerca de 1 minuto 30 s após a retirada do piloto automático.
ˆˆHouve uma inconsistência entre a velocidade indicada no lado esquerdo e a indicada no instrumento de resgate (ISIS). Durou pouco menos de um minuto.
ˆˆ
Após o desligamento do piloto automático :
„„a aeronave subiu para 38.000 pés ;
„„o alarme de perda soou e o avião entrou em perda ;
„„as ordens de PF foram principalmente de elevar o nariz ;
„„a descida durou 3 min 30 s, durante o qual a aeronave permaneceu em situação de perda.
A incidência aumentou e se manteve acima de 35 graus ;
„„os motores estavam em funcionamento e sempre responderam aos comandos da tripulação.
ˆˆ
Os últimos valores registrados são atitude de 16,2 graus de elevação do nariz, rolagem de 5,3 graus na esquerda e velocidade vertical de -10.912 pés/min.

Fonte: G1


AF-447: Queda durou 3 minutos e meio

By on 27.5.11

O órgão francês responsável pela investigação do acidente com o voo 447 divulgou nesta sexta-feira (27) um relatório preliminar que descreve o que já se sabe sobre a queda do avião, que matou 228 pessoas em 2009.

A análise das caixas-pretas recuperadas, segundo o BEA (Escritório de Investigações e Análise), mostra que os pilotos viram dos registro simultâneos de velocidades diferentes no painel de controle durante "menos de um minuto" e que um delas mostrava uma redução brutal da velocidade, o que impediu que a tripulação pudesse determinar a real.

A queda do avião no Oceano Atlântico, em alta velocidade, durou cerca de três minutos e meio, de acordo com os dados retirados das caixas-pretas, recém-recuperadas do mar. O avião caiu com o bico para cima.

http://2.bp.blogspot.com/_9fNKRyQxUNw/TKLzzz6CmdI/AAAAAAAAGgo/aY58OMGAd-E/s1600/af-447-12441292-mfbq,templateId%3DrenderScaled,property%3DBild,height%3D349.jpg

O acidente, ocorrido em 31 de maio de 2009, começou com um pequeno alerta duas horas e meia após o início da viagem e pouco depois de o capitão deixar brevemente a cabine para descansar.

O relatório transcreve diálogos da tripulação na cabine e conclui que "a composição da tripulação estava em conformidade" com as regras.

Antes da queda, os pilotos tiveram dificuldades por mais de quatro minutos, segundo o relatório.

Um dos pilotos advertiu a tripulação que o avião entraria em uma zona de fortes turbulências por conta do mau tempo.

"Em dois minutos devemos atacar uma área mais agitada do que agora e devemos tomar cuidado lá", disse.

O Airbus A330 subiu para cerca de 11.600 metros de altitude, e começou uma rápida descida de três minutos e meio, girando de esquerda para direita, até tocar o mar.

O mais jovem dos três pilotos entregou o controle ao segundo piloto mais experiente um minuto antes do acidente e um minuto e meio após a retirada do piloto automático, sempre segundo o BEA.

O capitão, de 58 anos, voltou à cabine pouco mais de um minuto após o início da emergência, depois de "várias tentativas" de chamado.


Quando ele chegou ao cockpit, a aeronave caía a 10 mil pés por minuto, com o nariz elevado em 15 graus e em um ângulo inclinado demais em relação à corrente de ar para permitir uma nova ascensão. Ele não estava no comando na hora da queda, sempre segundo o relatório do BEA.

'Informações fragmentadas'
O BEA não entra em detalhes sobre o que teria provocado a inconsistência no registro da velocidade nem sobre como ela teria influenciado no acidente do voo entre Rio de Janeiro e Paris.

queda 447 27/5 (Foto: Arte G1)

A divulgação deste relatório parcial, segundo o escritório francês, ocorreu por causa do que o órgão chamou de "rotina de liberação de informações fragmentadas e muitas vezes aproximadas", pela imprensa europeia, dos resultados da investigação das caixas-pretas, iniciada em 14 de maio.

A nota, segundo o BEA, descreve "de maneira factual" os acontecimentos que levaram ao acidente, mas não apresenta análises.

Isso só acontecerá, segundo o BEA, no relatório de etapa, que será publicado em final de junho, conforme anunciou Thierry Mariani, secretário de Transportes da França.

"Até o momento, estas são apenas observações, não uma compreensão do evento", disse nesta sexta-feira o diretor do BEA, Jean-Paul Troadec.

Até agora, o único fato estabelecido sobre o que poderia ter causado o acidente é uma falha no funcionamento das sondas Pitot, que servem para medir a velocidade da aeronave.

Mas isso não basta para determinar o que causou o acidente.

info af447 corpos air france (Foto: Arte G1)

info af447 corpos air france (Foto: Arte G1)


Foto tirada no sábado (7) e divulgada nesta segunda (9) mostra pessoas colocando no navio francês La Capricieuse uma caixa com o Flight Data Recorder (FDR), uma das caixas-pretas do Airbus A330 do voo 447 (Foto: AP/BEA)
Foto tirada em 7 de maio mostraequipe colocando no navio francês La Capricieuse uma caixa com o Flight Data Recorder (FDR), uma das caixas-pretas do Airbus A330 do voo 447 (Foto: AP/BEA)

quinta-feira, maio 26, 2011

Nova versão para queda de UFO em Roswell liga nazistas a soviéticos

By on 26.5.11
Área 51: livro polêmico


Autora lança livro sobre a Área 51, a base secreta dos EUA mais famosa do mundo, e cria polêmica com nova versão para captura de ETs no Novo México


A suposta queda de um UFO em Roswell, no Novo México, em 1947, acaba de ganhar mais uma versão, que está reacendendo o debate sobre aquele que é considerado o episódio mais famoso e controverso da Ufologia nos Estados Unidos.

As "revelações" divulgadas pela jornalista Annie Jacobsen em seu livro "Area 51, An Uncensored History of America's Top Secret Military Base" (Área 51, história sem censura da mais secreta base militar da América) agora misturam nazistas, soviéticos e um plano para gerar pânico e caos.

Noticiado pela primeira vez poucos dias depois do ocorrido, o Incidente em Roswell, como mais tarde viria a ficar conhecido, foi imediata e oficialmente creditado, pela própria USAF, a Força Aérea dos EUA, a uma visita alienígena.

Algumas horas depois, essa versão foi desmentida e transformou-se numa ocorrência das mais comuns, envolvendo um balão meteorológico.

Mais de 30 anos adiante, o caso foi revisado e, pelas mãos dos pesquisadores Stanton Friedman e Willian Moore, ganhou o status pelo qual realmente se tornaria conhecido: uma queda de OVNI legítima em solo americano, com resgate de criaturas extraterrestres, seguido de uma campanha de acobertamento nunca antes vista por parte do Governo.

A partir dessa história se desdobraram inúmeras outras teorias que povoam o ideário conspiracionista: a descoberta de como funcionariam os discos voadores, tecnologia alienígena patenteada, autópsias em entidades biológicas extraterrestres, acordos secretos entre ETs e Governo, governo secreto e por aí afora...

No final dos anos 1980 e início dos anos 1990, o Incidente em Roswell ganharia proporções ainda mais fantásticas, com a alegação de que o UFO resgatado, bem como seus tripulantes, teriam sido levados para uma instalação altamente secreta do governo dos EUA, localizada em Groom Lake, Nevada: a Área 51.

A história se notabilizou com o físico Robert Scott Lazar, também conhecido por Bob Lazar. Ele alegou ter trabalhado de 1988 a 1989 em uma área chamada S-4, localizada perto de Groom Lake.

Segundo Lazar, S-4 servia como um esconderijo militar para o estudo de discos voadores extraterrestres.

Ele disse ter visto pelo menos 9 tipos de discos lá, onde teria trabalhado na engenharia reversa dos objetos (desmontar para entender o funcionamento), além de fornecer detalhes sobre o sistema de propulsão das supostas naves.

A história de Lazar nunca foi completamente aceita pela comunidade ufológica norte-americana, mas rendeu muita publicidade à Área 51, que rapidamente transformou-se na base secreta mais conhecida do mundo.


Projeto Mogul e manequins de testes


Em 1997, no dia 24 de junho, quando muitos ufólogos celebravam o 50º aniversário da Ufologia, a USAF tentou uma cartada final sobre o "Roswell Incident", divulgando o documento "The Roswell Report, Case Closed" (Relatório Roswell, Caso Encerrado).

Segundo as 231 páginas de relatório, o episódio ocorrido no Novo México não decorria de apenas um evento, mas dois.


Jesse Marcel mostra à imprensa os destroços de um balão para desmentir a notícia do disco voador


Primeiro, a queda de um novo tipo de balão dos EUA na fazenda de William "Mac" Brazel, em Roswell, originário de um projeto secreto chamado Mogul, que visaria detectar possíveis explosões nucleares soviéticas. Os balões também foram utilizados para experimentos com raios cósmicos.

Segundo - e daí viriam as histórias de captura de ETs que permeiam o "folclore" do Novo México - testes com bonecos de testes lançados a partir de balões a alta altitude, como parte do desenvolvimento de cápsulas de escape para os futuros veículos espaciais.

Entre junho de 1954 e fevereiro de 1959, sessenta e sete bonecos foram lançados de balões na região do Novo México.

O relatório detalha que os manequins de prova eram transportados em caixas de madeira, semelhantes a caixões, com roupas de alumínio para evitar danos aos sensores montados em seu interior.

Quando fora das caixas, eram carregados em macas e cobertos com sacos plásticos. Estes fatos, além de sua aparência, teriam contribuído para sua identificação como corpos de alienígenas.


A testemunha de Annie Jacobsen


A versão agora divulgada pela jornalista Annie Jacobsen, editora-colaboradora da revista Los Angeles Times, em seu livro sobre a Área 51, muda completamente a abordagem sobre o incidente em Roswell.

Sua obra apresenta, em 523 páginas, relatos de um total de 74 testemunhas que esmiuçam o funcionamento da base secreta e as provas ali realizadas.

De testes com aeronaves stealth a explosões termo-nucleares na alta atmosfera. Do total, apenas 2 páginas mencionam Roswell e a captura de corpos. E eles não eram extraterrestres.

Conforme revelou Jacobsen, segundo uma de suas fontes - um engenheiro que ela pretende manter anônimo, mas garante ter as credenciais para falar do assunto - o que caiu no Novo México foram disco voadores terrestres baseados nos projetos dos irmãos Horten, do partido nazista. Eles trabalhavam com naves discoides desde 1942.

Depois da queda da Alemanha, em 1945, foram procurados por diversos outros países, incluindo América Latina (sic!), para projetos de novas aeronaves.

Mais ainda, a fonte de Jacobsen revelou que não apenas uma dessas naves nazistas caiu em 47, como seus tripulantes eram nada menos que duas crianças de cerca de 13 anos, resultado de um programa de experiências com humanos que teria sido desenvolvido pela extinta União Soviética.

Um programa para produzir humanos deformados o suficiente para parecerem-se com extraterrestres, numa operação supostamente coordenada por ninguém menos que Josef Mengele.

A idéia era reproduzir em larga escala a histeria coletiva gerada em 1938, com a narrativa de Orson Welles para "A Guerra dos Mundos", na novela de rádio.

Em entrevista ao programa "Fresh Air", da rádio NPR, nos EUA, Jacobsen relatou que "o plano, segundo a minha fonte, era criar pânico nos Estados Unidos com a crença de que um OVNI havia pousado com aliens dentro.

E um dos documentos mais interessantes é o memorando do segundo chefe da CIA, Walter Bedell Smith, para o Conselho de Segurança Nacional, falando sobre o medo de que os soviéticos poderiam criar um embuste contra a América, envolvendo um OVNI, que sobrecarregaria nosso sistema de alerta de defesa aérea, fazendo com que a América ficasse vulnerável a um ataque".

A revelação mais contundente é de que não é por isso que a história teria sido acobertada. Com a União Soviética manipulando crianças para virarem pilotos "alienígenas", aparentemente, segundo a autora, o governo americano teria decidido levar a cabo suas próprias experiências humanas!

Diante de alegações tão ou mais fantásticas que a própria visitação alienígena, o livro foi recebido com descrédito pela comunidade ufológica, e está fomentando intensos debates, sobretudo nas listas de Ufologia internacionais.

Embora tenha recebido elogios em relação à pesquisa sobre a Área 51, a tese da autora para Roswell é criticada por apoiar-se no depoimento de apenas uma testemunha.

Os defensores da hipótese extraterrestre argumentam que há pelo menos seis centenas de testemunhas que corroboram a teoria de um acidente alienígena.

Outros, mais ácidos, como Billy Cox, questionam a própria qualidade da jornalista como escritora.

Enquanto isso, a USAF continua dizendo que eram balões e manequins de testes. Em diferentes épocas, inclusive.


O que é a Área 51



Área 51 é uma base militar e um destacamento remoto da Base da Força Aérea de Edwards. Está localizada na porção sul de Nevada, no oeste dos EUA, 133 km ao norte-noroeste da cidade de Las Vegas.

Na região central, na costa sul de Groom Lake, fica uma gigantesca pista de pouso. Objetivo principal da base é apoiar o desenvolvimento e testes de aeronaves experimentais e sistemas de armas.

Embora as instalações sejam gerenciadas pela Base Aérea de Nellis, a instalação do campo de pouso parece justamente ser operada pelo centro de testes aéreos da Edwards, no Deserto de Mojave, cerca de 300 km a sudoeste de Groom Lake.

Embora o nome Área 51 seja usado na documentação oficial da CIA, o local também é conhecido por outros nomes, tais como Dreamland, Paradise Ranch, Home Base, Groom Lake, e, mais recentemente Homey Airport.

Seu espaço aéreo é restrito e, por terra, placas sinalizam que o uso de força letal contra invasores é permitido.

Fonte: Vigília - Via: Arquivos do Insólito

Sérvia anuncia prisão de acusado de genocídio

By on 26.5.11
O presidente sérvio, Boris Tadic, anunciou nesta quinta-feira (25) a prisão de Ratko Mladic, o homem mais procurado da Europa, que atuou como chefe do exército da Sérvia durante a guerra da Bósnia.

"Detivemos Ratko Mladic hoje [quinta-feira] de manhã. O processo de extradição está em curso", afirmou Tadic, aludindo à transferência do ex-comandante para ser julgado pelo tribunal de Haia. Até
a prisão desta quinta, Mladic era o principal acusado de crimes de guerra foragido desde o conflito dos Bálcãs, nos anos 1990.

Segundo o presidente, Mladic foi preso na Sérvia. "Isto remove um fardo pesado da Sérvia e fecha uma página infeliz da nossa história", disse.

Comandante das forças sérvias durante a guerra da Bósnia (1992-1995), Mladic foi indiciado pela corte internacional de crimes de guerra em 1995 sob a acusação de genocídio no massacre de 8 mil muçulmanos em Srebrenica e o cerco de 43 meses a Sarajevo.

União Europeia
A demora na prisão do ex-general sob acusações de genocídio era tida como um entrave aos esforços da Sérvia para ingressar na União Europeia.

O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, disse nesta quinta, no entanto, que a prisão de Mladic é uma importante condição para a entrada da Sérvia no grupo, mas não significa sua automática adesão.

A Holanda foi um dos principais países membro da União Europeia a exigirem a prisão de Mladic antes da Sérvia ser aceita como parte do grupo.

Fonte: UOL - Via Lages

Funcionários do GP do Bahrein são presos por festejar cancelamento

By on 26.5.11

Os organizadores do GP do Bahrein precisarão aumentar o número de funcionários se a corrida for remarcada para a temporada 2011. De acordo com o jornal inglês "Financial Times", após a repressão da Família Real barenita aos protestos políticos no país, cerca de um quarto dos trabalhadores do circuitod e Sakhir foi preso, suspenso ou demitido.

A revelação foi feita por um funcionário do circuito, que pediu para não ter seu nome revelado. Dois diretores de Sakhir também teriam sido presos. A organização do GP do Bahrein se negou a comentar o ocorrido, mas uma fonte do governo barenita, ouvida pelo "Financial Times", disse que os funcionários foram afastados por terem celebrado o adiamento da corrida.

A organização da Fórmula 1 está avaliando o adiamento do GP da Índia para o dia 4 de dezembro para que a corrida no Bahrein, que abriria a temporada e foi cancelada, possa retornar ao calendário de 2011. De acordo com o site da revista inglesa "Autosport", a prova em Sakhir seria remarcada para 30 de outubro, enquanto a de Nova Délhi encerraria o ano, após o GP do Brasil.

Se o Bahrein for confirmado para o dia 30 de outubro, a Fórmula 1 terá duas semanas de intervalo antes do GP de Abu Dhabi, no dia 13 de novembro. O teste para os novatos está marcado para o período entre os dias 15 e 17 do mês. O Brasil manteria sua data atual, no dia 27 e o evento na Índia seria adiado para 4 de dezembro, encerrando a mais longa temporada da história da categoria.

A FIA decidirá no dia 3 de junho se o GP do Bahrein poderá ser remarcado. Os dirigentes estão consultando a possibilidade das mudanças no fim da temporada antes mesmo de o país do Oriente Médio confirmar a segurança para a realização da prova. Jean Todt, presidente da entidade, disse ter ficado feliz por dar mais tempo aos árabes para tentar realizar a corrida em 2011.

Fonte: G1

quarta-feira, maio 25, 2011

Flanker para Uganda ?

By on 25.5.11

Segundo o Wall Street Journal em sua edição de Em 7 de abril noticiou que Uganda comprou entre seis e oito caças Sukhoi Su-30 Flanker e outros equipamentos militares da Rússia, no valor 740 milhões de dolares. Uganda se prepara para iniciar a produção de petróleo na região do Lago Albert e está comprando o equipamento militar para proteger as atividades de petróleo ao longo da fronteira com o Congo, de acordo com Uganda People's Defence Force (UPDF), porta-voz do tenente-coronel Felix Kulayigye.

Em dezembro passado, o ministério da Defesa de Uganda pagou cerca de 446 milhões de dolares a um fornecedor não identificado que segundo o AngolaPress seria a Russia que forneceu rifles kalashnikov e mísseis anti tanque. Nesta mesma época os 6 MiG-21 de Uganda foram submetidos um up-grade na Russia.

By Vinna com informações do Defense Web

Bolívia comprará aviões e helicópteros russos

By on 25.5.11

A Bolívia está interessada na adquisição de aviões e helicópteros russos, segundo uma declaração feita pelo ministro das Relações Exteriores desse país David Choquehuanca após negociações em Moscou com o MRE russo Serguei Lavrov.

Segundo a agência RIA Novosti, um avião russo é necessário para o presidente Evo Morales.

No ano passado, a Bolívia pediu à Rússia um crédito para comprar um avião presidencial. O novo Antonov AN-148 (foto acima) substituirá o pequeno Sabre, americano, fabricado em 1970.

Choquehuanca lembrou que o assunto da adquisição de An-148 é já conformado, o valor da compra será de mais de 30 milhões de dólares.

A Bolívia está pronta a abrir um Centro de serviço de aviões de fabricação russa no seu território.

Esse país latino-americano pode usar helicópteros em muitas esferas, inclusive na luta contra o tráfico de drogas.

Fonte: A Voz da Russia

Operation Unified Protector (Odyssey Dawn): Otan intensifica ataques a Trípoli em meio a um questionamento crescente

By on 25.5.11

Trípoli foi mais uma vez alvo de intensos bombardeios da Otan, que tenta provocar a queda do líder Muamar Kadhafi, quando em nível internacional surgem novas vozes questionando os ataques da coalizão, que, segundo a Rússia, se distanciam gravemente do mandato da ONU.

Oito fortes explosões abalaram o setor de Bab al-Aziziya, residência do coronel Muamar Kadhafi, na terça-feira por volta das 23h00 (21h00 de Brasília), já atacada intensamente na madrugada de terça-feira pela aviação da Otan, segundo um jornalista da AFP. Uma espessa coluna de fumaça branca podia ser vista no setor.

À tarde, outros ataques foram lançados contra Tajura, subúrbio do leste da capital, e contra Jomas, 100 quilômetros a leste de Trípoli, segundo a agência líbia Jana.

O setor de Bab al-Aziziya já tinha sido na noite anterior alvo dos ataques da Otan. Três pessoas morreram e 150 ficaram feridas nesse bombardeio, segundo o regime líbio.

Esta intensificação dos ataques ocorre no momento em que a questão da saída do coronel Muamar Kadhafi torna-se cada vez mais urgente entre os membros da coalizão liderada pela Otan.

A França indicou que deseja acentuar a pressão militar e acelerar a busca por uma solução política na Líbia para limitar ao máximo em "alguns meses" a duração da intervenção militar estrangeira.

Já os Estados Unidos afirmaram que o líder líbio deveria deixar o poder e abandonar o país, em ocasião da visita ao bastião dos insurgentes em Benghazi, do subsecretário de Estado para os assuntos do Oriente Médio, Jeffrey Feltman.

Alguns na Otan já consideram que o objetivo final da coalizão, que começou a intervir no dia 19 de março por mandato da ONU, é a saída de Muamar Kadhafi.

"Dizem que é preciso acelerar, aumentar o ritmo de nossas operações, para que o fruto caia sozinho", indicou na terça-feira à AFP um alto funcionário da Otan que pediu para não ser identificado, acrescentando que o objetivo é que "no final de junho ou começo de julho Kadhafi tenha caído".

Mas a Rússia considerou que a intensificação dos ataques aéreos contra a capital líbia é um "desvio grosseiro" em relação ao mandato da ONU.

"Mais uma vez, chegam até nós informações preocupantes da Líbia em relação a importantes ataques aéreos em Trípoli por parte das forças da coalizão", indicou o Ministério russo das Relações Exteriores em um comunicado.

"Trata-se de um novo desvio grosseiro em relação às resoluções 1970 e 1973 do Conselho de Segurança da ONU", destaca o comunicado.

No dia 17 de março, a Rússia, membro permanente do Conselho de Segurança, evitou fazer uso do seu direito de veto quando foi votada a resolução 1973 que autorizou a intervenção de uma coalizão internacional na Líbia.

A partir de então, Moscou tem criticado fortemente os bombardeios da coalizão, considerando que extrapolam o mandato definido pelas Nações Unidas.

A França anunciou o envio de helicópteros de combate para efetuar ataques "mais precisos", enquanto Londres ressaltou que ainda não decidiu utilizar essas aeronaves.

No plano diplomático, o presidente sul-africano Jacob Zuma embarcará na próxima segunda-feira rumo a Trípoli, capital da Líbia, para conversar com o líder Muamar Kadhafi sobre a possibilidade deste deixar o poder.

Nesta quarta-feira e na quinta, a União Africana (UA), que nas últimas semanas tem manifestado cada vez mais abertamente a sua oposição aos ataques da Otan contra as instalações do regime líbio, realizará uma reunião de cúpula extraordinária sobre o tema.

"Já praticamente não se respeita a letra nem o espírito (...) da resolução 1973 da ONU, que é de caráter humanitário e está baseada na responsabilidade de proteger" a população civil, disse na semana passada o presidente da Comissão da UA, Jean Ping.

Fonte: UOL

Emergentes, como o Brasil, não ameaçam influência europeia e americana no mundo, diz Obama

By on 25.5.11

O presidente americano Barack Obama afirmou, em discurso feito no Parlamento britânico nesta quarta-feira (25), que a influência da Europa e dos Estados Unidos no mundo não está em declive, apesar do aumento da presença de países emergentes como China, Índia e Brasil como protagonistas na política mundial.

"Países como a Índia e o Brasil, na verdade, só estão crescendo graças a liderança de americanos e britânicos", afirmou.

Para Obama, "a aliança entre Estados Unidos e britânicos seguirá sendo indispensável" para um mundo mais justo, próspero e pacífico.

Obama é o primeiro presidente americano da história a ser convidado a falar para o Parlamento do Reino Unido, no Westminster Hall, reservado, normalmente, para discursos da rainha.

O presidente relembrou a história dos dois países, que começou com uma guerra, mas acabou com uma aliança muito forte. "Nossos caminhos nunca foram perfeitos. Mas, por meio da luta de escravos e imigrantes, mulheres e minoritas étnicas, colonos e perseguidos religiosos, aprendemos que liberdade e dignidade humana não é um valor americano ou ocidental, mas universal", destacou.

Afeganistão

Obama afirmou que o país passa por um momento de transição. "Vamos passar a liderança do Afeganistão para os afegãos. Durante esta transição, iremos buscar a paz com aqueles que se distanciam da Al Qaeda, respeitam a Constituição afegã e deixam as armas", disse. "Precisamos assegurar que o Afeganistão se torne um lugar seguro e longe do terrorismo", completou.

Mundo árabe

Para o presidente americano, o Oriente Médio e o norte da África estão se mobilizando para se libertar do punho de ferro de seus ditadores. Obama comparou o momento da região com o que já se passou em outros lugares do mundo, como o leste europeu e a América Latina.

"A história nos mostra que a democracia não é fácil. Vai demorar anos até que essas revoluções sejam concluídas e prevejo dias difíceis pela frente", disse.

Líbia

Obama também falou que seria "muito fácil dizer que a soberania de um país é mais importante do que a proteção de seus cidadãos", se referindo à Líbia. Segundo o presidente, a comunidade internacional precisa agir quando um líder ameaça massacrar seu povo.

"Não vamos descansar enquanto o povo líbio não estiver protegido e a sombra da tirania for retirada", contou.

Fonte: UOL


Bactéria intestinal causa mortes e assusta alemães

By on 25.5.11

Surto da bactéria EHEC já infectou centenas de alemães, principalmente no norte do país. Doença tem proliferado com rapidez incomum desde meados de maio, causando as primeiras mortes.

Um subtipo da bactéria Escherichia coli encontrada no trato intestinal preocupa a Alemanha, após as autoridades sanitárias terem confirmado nesta terça-feira (24/05) as primeiras mortes depois do início do surto que atinge o país desde meados de maio.

Três óbitos foram verificados em três estados no norte do país. Nos três casos, as vítimas são mulheres. Para uma delas, entretanto, não há ainda confirmação laboratorial de infecção pela doença, e nos três casos não houve confirmação oficial de que a infecção tenha sido a causa principal do óbito. Permanece obscura a razão para a proliferação anormal das bactérias intestinais, que podem causar diarreia hemorrágica e levar a insuficiência renal aguda.

Fonte: UOL

Base síria tinha "muito provavelmente" um reator nuclear--AIEA

By on 25.5.11
Uma base na Síria bombardeada por Israel em 2007 escondia "muito provavelmente" um reator nuclear, disse a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em relatório. Por conta disso, Damasco pode ser questionada pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).
O relatório confidencial da AIEA adicionou dados independentes às alegações dos Estados Unidos de que a Síria estava secretamente construindo um reator na base de Dair Alzour no deserto com fins possivelmente militares.
O relatório foi conseguido pela Reuters na terça-feira, um dia depois que a União Européia impôs sanções contra o presidente da Síria, Bashar al-Assad, e outras autoridades seniores, aumentando a pressão contra o seu governo para acabar com as semanas de violência contra manifestantes.
Ativistas sírios dizem que mais de 1.000 civis foram mortos na repressão policial contra as manifestações de oposição ao regime de Assad.
O Ocidente está ficando cada vez mais frustrado por conta do que é visto como obstrução da Síria à investigação da IAEA em Dair Alzour. De acordo com relatórios de inteligência dos EUA, o local tinha um reator criado na Coreia do Norte que seria usado para fazer bombas.

A Síria, um aliado do Irã, nega ter um projeto de desenvolvimento de bombas atômicas e disse que a AIEA deveria se focar em Israel por conta do seu arsenal nuclear não declarado.
"Com base em toda a informação disponível para esta agência e a avaliação técnica destes dados, a agência avalia que era muito provável que o prédio destruído na base em Dair Alzour tinha um reator nuclear que deveria ter sido declarado para a agência," diz o relatório da IAEA.
Fonte: UOL

Nasa declara “morte” de robô Spirit em Marte

By on 25.5.11
Spirit, o robô –geólogo que cativou o mundo com suas aventuras em Marte antes de ficar preso em uma armadilha de areia, está prestes a encerrar sua vida, após seis anos de intensa produtividade.

O robô não se comunica com a base há mais de um ano, apesar de chamadas diárias da Nasa. A causa para o silêncio do Spirit pode não ser descoberta jamais, mas é provável que o inverno marciano tenha danificado suas partes eletrônicas, impedindo o jipe-robô de seis rodas de acordar.

A agência espacial dos Estados Unidos tem tentado há meses escutar algum sinal de vida do Spirit, sem sucesso. O gerente de projetos John Callas, do Laboratório de Propulsão a Jato, avisou que os últimos comandos serão enviados na quarta (25). Sondas em órbita no planeta vermelho deverão continuar monitorando por sinais do Spirit até o fim do mês, mas as chances de resposta são muito pequenas.

Segundo Callas, o robô é o responsável por “trazer Marte para as massas”.

“Marte não é mais esse lugar distante, misterioso”, disse. “Agora, ele é familiar a nós como nossa cidade natal, e isso é por causa do Spirit”.


Spirit e seu robô-gêmeo Opportunity chegaram de pára-quedas em lados opostos do hemisfério sul de Marte em janeiro de 2004, em uma missão planejada para durar três meses. Os jipes do tamanho de carrinhos de golfe, que funcionavam com energia solar, foram sucesso instantâneo com o público, que acompanhava suas andanças pelas planícies marcianas e suas paradas para perfurar rochas.

Seu maior feito foi descobrir provas geológicas que Marte, atualmente seco e poeirento, foi bem mais tropical, bilhões de anos atrás. O planeta era mais quente e úmido, condições que sugerem que houve ali um ambiente favorável para vida microbiana.

Mas, enquanto o Opportunity era ultra-produtivo, o Spirit só dava azar. Logo depois de chegarem a Marte, o jipe-robô entrou em condição crítica e começou a mandar dados sem sentido para a Terra. Os engenheiros da Nasa tiveram que cuidar dele à distância, e trazê-lo de volta à vida.

Ao contrário do Opportunity, que aterrissou em um leito seco de um lago, repleto de minerais que poderiam formar água, Spirit se aconchegou na cratera Gusev, de área igual a dois terços do estado de Sergipe, mas que continha poucas evidências de água.

O robô não teve escolha senão escalar para as montanhas, a fim de fazer descobertas. E ele conseguiu vários feitos, apesar do começo problemático: em 2005, escalou uma montanha da altura da Estátua da Liberdade. Foi também o primeiro a filmar os redemoinhos marcianos, que viraram filmes da Nasa.

Mas ao longo dos anos, o Spirit foi envelhecendo. Em 2006, uma das rodas da frente parou de girar, forçando o robô a andar de ré, meio manco. Mais frequentemente, começou a ter “ataques de amnésia”, tendo problemas para armazenar dados em sua memória flash.

Conseguiu sobreviver a três invernos marcianos, mas o valente robô não foi páreo para a última temporada de frio. Os problemas começaram em abril de 2009, quando o Spirit tentou atravessar um terreno mais fragmentado e acabou preso em um poço de areia. Durante as tentativas para desatolá-lo, outra roda traseira parou de funcionar, imobilizando o robô de vez.

Sem poder enviar um guincho, Nasa declarou o fim da carreira andante do Spirit em janeiro de 2010 - seis anos após sua chegada a Marte – e ele se tornou uma estação de pesquisa estacionária.

Mas os problemas continuaram quando os engenheiros não conseguiram manobrar os painéis solares do Spirit em direção do sol durante o inverno. Sem energia para continuar aquecido, o robô entrou em modo de hibernação, com sua temperatura chegando a -55°C.

Ainda assim, a agência espacial tinha esperanças de ter notícias do Spirit quando as temperatura saumentassem. Naves em órbita se revezavam diariamente procurando por sinais de vida do Robô, enquanto antenas espaciais na Califórnia, Espanha e Austrália faziam o mesmo na Terra.

Os gerentes da missão estiveram, nos últimos meses, considerando diminuir os esforços de escuta para uma vez por semana, mas ontem (23) Callas avisou à equipe do robô que ele havia decidido encerrar a escuta, alegando que qualquer esforço contínuo poderia prejudicar o financiamento de outras missões.


O Spirit viajou por 7,7 quilômetros desde sua chegada a Marte, enquanto o Opportunity registrou 30 quilômetros, mais de meia maratona, e já escavou três crateras. É a segunda nave de Marte a ser desativada, nos últimos três anos. Em 2008, a Nasa se despediu da Phoenix, após cinco meses de estudos da planície do Ártico marciano.

Mas o Opportunity não ficará sozinho por muito tempo. Os Estados Unidos devem lançar, ainda este ano, um mega jipe-robô, do tamanho de um Mini Cooper, que deverá chegar em Marte em meados de 2012.

Fonte: iG (com informações da AP) - Imagens: NASA - Via: Noticias Sobre Aviação

Paquistão devolve destroços do helicóptero americano usado em ação que matou Bin Laden

By on 25.5.11
O governo paquistanês devolveu os destroços do helicóptero americano que foi destruído na operação que matou o terrorista Osama bin Laden no ínicio do mês, em Abbottabad, no Paquistão. A informação foi confirmada pelo Pentágono.

Helicóptero americano usado em ação militar que matou Osama bin Laden, no Paquistão
"[Os destroços] Foram entregues no final de semana e agora já estão nos Estados Unidos", disse o coronel Dave Lapan, porta-voz do Pentágono. O gesto do governo paquistanês, segundo as agências, foi feito para evitar que a tecnologia do helicóptero chegasse "nas mãos de inimigos".

O helicóptero, modelo Black Hawk, transportou os Navy Seals até o local onde o líder da Al Qaeda morava e depois colidiu com um dos altos muros que cerca a casa. A cauda do avião e outras partes muitos destruídas não foram devolvidas.

O modelo tem características "stealth", que o impede de ser reconhecido pelos radares e explicaria o fato de o Paquistão não ter percebido o cerco à casa do terrorista pelos americanos.

Bruce Riedel, oficial da CIA, disse que a devolução do helicóptero não muda em nada a relação entre os dois países, que segundo ele, já não "eram das melhores" antes da morte de Bin Laden.

Nesta terça-feira, o secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse que apesar das dificuldades, o Paquistão "é muito importante" e, por isso, a tensão entre os dois países deve ser resolvida em breve.

"O Paquistão é muito importante não apenas por causa da fronteira com o Afeganistão, mas pelas suas armas nucleares e para a estabilidade no continente", disse Gates. "Então, temos que continuar trabalhando nisso", completou o secretário.

O ataque que matou Bin Laden prejudicou muito as relações entre EUA e Paquistão. Dúvidas seguem em Washington sobre como Bin Laden conseguiu viver sem ser notado por anos na cidade de Abbottabad, que está apenas 50 quilômetros da capital do Paquistão, Islamabad. Algumas autoridades dos EUA especulam que ele deve ter recebido apoio.

Do outro lado, o Paquistão classificou o ataque como uma violação da sua soberania, já que Islamabad só foi informada sobre a operação dos EUA depois que ela terminou. O Parlamento paquistanês ameaçou cortar as linhas de abastecimento para as forças dos EUA no Afeganistão se houver outra incursão militar.

Fonte: UOL Notícias (com informações da Reuters) - Via Noticias Sobre Aviação

Missil Derby é incorporado a suite de armamentos dos Kfir colombianos

By on 25.5.11

A Força Aérea Colombiana anunciou que incorporou com sucesso a sua suite de armamentos do Kfir o missil de perfil de lançamento alem do alcance visual (BVR-Beyond Visual Range) Rafael Derby.

O equipamento incorpora capacidades a força e sua inclusão faz parte da inclusão de modernos equipamentos em em especial o upgrade dos caças Kfir. Que tambem receberam 'pods' designadores laser, de reconhecimento e de contramedidas eletronicas.

A Força Aérea tambem anunciou a incorporação dos primeiro lote de seis Sikosrky Blackhawks UH-60 repotencializados que receberam melhoramentos em sua estrutura e motores. As aeronaves fazem parte do primeiro lote de Blackhawks comprados pela Colômbia, em 1988, na versão A e receberam modificações para o modelo L que será estendido ao restante da frota.

By Vinna com informações do Defensa.com - Via Desarrollo y Defensa

Operation Unified Protector (Odyssey Dawn): Otan deve começar a usar helicópteros de ataque na Líbia

By on 25.5.11
A França e o Reino Unido devem começar a utilizar helicópteros de ataque contra as forças do ditador líbio Muammar Gaddafi. O emprego dessas aeronaves pode significar uma mudança de estratégia da Otan (aliança militar ocidental).

Segundo o governo francês, o navio de ataque anfíbio Tonnerre partiu para a Líbia no último domingo com ao menos 12 helicópteros de ataque a bordo.

Esse tipo de aeronave é eficaz contra blindados e veículos de transporte. Seus ataques são mais precisos que os dos caças bombardeios e, em tese, podem fazer menos vítimas civis.

Contudo, os helicópteros são alvos mais fáceis para metralhadoras pesadas e para a artilharia antiaérea de Gaddafi. Desde que a zona proibida ao voo foi instituída na Líbia em março, nenhum piloto aliado foi morto.

O uso dos helicópteros representa uma mudança de estratégia na medida em que os bombardeios da aviação e da Marinha da Otan vem perdendo a eficácia durante a campanha -- uma vez que o regime líbio aprendeu a esconder seus veículos militares e confundir os pilotos aliados.

O governo francês disse que o uso dos helicópteros está de acordo com a resolução da ONU que determina a proteção de civis na Líbia. A Otan não confirmou nem desmentiu o uso de helicópteros de ataque na campanha líbia.

Fonte: UOL

FX-2: Atraso na escolha do fornecedor de caças é compreensível, diz Dassault

By on 25.5.11
O diretor da Dassault Aviation, Jean Marc Merialdo, minimizou a demora da presidente Dilma Rousseff em escolher a fabricante que vai vender caças para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Merialdo considerou o atraso compreensível na medidade em que o Brasil passa por um momento de inflação e aperto fiscal. "Estamos com pressa de ver a decisão, mas entendemos a situação. Por outro lado, sabemos que o Brasil precisa aprimorar sua capacidade de defesa", afirmou Merialdo, após participar do Seminário As Oportunidades do Consórcio Rafali para São Bernardo do Campo, região do ABC e Brasil.

"De qualquer maneira, estamos otimistas quanto ao desfecho visto o que fizemos e apresentamos ao governo", acrescentou. Merialdo disse que a compra de caças costuma gerar competição acirrada entre fabricantes, sendo natural a demora do governo. "São contratos de 30 anos. Ninguém pode falhar", ressaltou.

Na semana passada, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, garantiu que a escolha dos 36 caças que serão comprados pela FAB será decidida em 2012. O avião Rafali da empresa Dassault compete com o F18 Super Hornet, da americana Boeing e com o Gripen, da sueca Saab. A Dassault aposta na transferência total de tecnologia para vencer a disputa contra as concorrentes.

A decisão ficou para o ano que vem, depois que o ministro Mantega anunciou cortes no Orçamento e informou que o governo brasileiro não tem recursos disponíveis para realizar as compras em 2011.

Enquanto o governo não decide, o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho aproveita o lobby das fabricantes que estão na licitação federal para atrair investimentos para o município. O prefeito é considerado pelas empresas como um importante aliado da presidente Dilma e do ex-presidente, Lula.

Por isso, a Dassault assumiu hoje o compromisso de ajudar o prefeito a instalar sistemas de segurança por meio de monitoramento digital. Isso faz parte de um compromisso de cooperação de projetos de gestão urbana que ainda serão escolhidos. Além disso, foram firmados acordos para o fornecimento de peças para empresas de tecnologia e transferência da mesma para universidades.

Do contato com a Saab, Marinho conseguiu a instalação de um centro de pesquisa no município. "Entrei no debate dos caças por que nossa região tem riqueza intelectual e cultura industrial. Não sei quem será o vencedor da licitação. O que posso dizer é que, por meio das parcerias que firmamos, podemos ver como as empresas assumem seus compromissos a partir do relacionamento com empresas e universidades", afirmou.

Fonte: Fernando Taquari (Valor Online) via O Globo - Via: Noticias Sobre Aviação

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts