GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

quinta-feira, junho 28, 2012

28 de junho de 1942 - O Afrika Korps conquista Tobruk

By on 28.6.12
Em 20 de junho de 1942, as tropas alemãs iniciaram o ataque decisivo ao porto líbio de Tobruk, cuja importância era estratégica para o avanço do Afrikakorps de Hitler. A batalha foi o ponto alto da carreira de Rommel. 

Às 5h20 da manhã de 20 de junho de 1942, o Afrikakorps alemão atacou a cidade portuária de Tobruk, na Líbia. Sob o comando do general Erwin Rommel, uma infantaria e duas divisões de tanques, apoiadas pela Força Aérea e pelo 20º Exército italiano, abriram fogo.

Por volta das 9 horas, os agressores atingiram o cruzamento da Via Balbia com a estrada para El Adem, chamada King's Cross pelos ingleses. A contraofensiva da 32ª brigada de tanques britânicos chegou tarde demais. Com a tomada do King's Cross, às 13h30, a queda de Tobruk estava praticamente selada.


A resistência ainda continuou até o dia seguinte. Vinte e quatro horas depois do primeiro tiro, os alemães chegaram ao porto. Um correspondente de guerra narrou assim os acontecimentos: "São 5h10 da manhã.

Começou o segundo dia da batalha por Tobruk e, a verdade, ele prenuncia o fim da operação. A noite passada foi iluminada pelos lança-chamas. Agora, aqui no porto de Tobruk, ergue-se uma enorme coluna de fumaça, uma parede que se estende de Leste a Oeste. A nuvem de fumaça sobe de um depósito de petróleo, incendiado por soldados em fuga. Ela paira como um sinal de infortúnio sobre a fortaleza".

Valor estratégico para abastecimento

Tobruk, que em tempos de paz tinha só uma população de 4 mil habitantes, situa-se na costa da Líbia, junto a uma ampla baía de águas profundas. Era, portanto, um dos melhores portos naturais da costa norte-africana, o que lhe dava um imenso valor estratégico como centro de abastecimento. Foi disputadíssima durante toda a Segunda Guerra Mundial.

Utilizada primeiramente pelos italianos como base para seus ataques à Cirenaica, em janeiro de 1941 passou ao controle dos ingleses.
 
Rommel já havia tentado ocupar Tubruk um ano antes. Na ocasião, as tropas inglesas no norte da África, enfraquecidas por perdas sofridas na Grécia, tiveram de recuar até a fronteira do Egito, mas conseguiram defender Tobruk. Rommel fracassou devido a excessivas perdas no flanco sul e porque Tobruk era abastecida constantemente pelo mar. Além disso, foi surpreendido pela resistência de unidades neozelandesas, que se destacaram por sua bravura na defesa do porto, como lembra o historiador Barton Maughan.

Depois de sitiar a cidade durante 242 dias, Rommel viu-se obrigado a interromper a campanha.

Esse fiasco, porém, não deveria se repetir em junho de 1942. A Operação Veneza, destinada a expulsar os ingleses da África do Norte, tinha sido mais bem preparada. Subestimando o significado estratégico de Tobruk, os ingleses haviam deixado ali apenas a inexperiente segunda divisão sul-africana.

Desta vez, as tropas alemãs levaram apenas um dia para conquistar a cidade. Às 6h30, o comandante da fortaleza, general Klopper, entregou-se aos nazistas, fato que a rádio oficial alemã registrou com a seguinte notícia:
 
"Do quartel geral do Führer, 21 de junho de 1942. O comando superior da Wehrmacht (Forças Armadas) informa: tropas alemãs e italianas, comandadas pelo general Rommel, tomaram a maior parte da cidade de Tobruk. 

Em consequência, um parlamentar inglês propôs a comandantes do Exército italiano a entrega da fortaleza. A cidade e o porto estão ocupados. Até agora, foram presos mais 25 militares, entre eles vários generais, e apreendido um volume inestimável de armas."

A conquista de Tobruk representou o auge da carreira de Rommel. Mas sua tentativa de avançar até o Egito fracassou.

 Na primeira batalha de El Alamein, o Afrikakorps foi contido e derrotado pelos ingleses. Outra consequência da batalha de Tobruk foi a nomeação do general Bernhard L. Montgomery para o comando do 8º Exército dos Aliados, que também acabaria sendo promovido a marechal de campo por suas vitórias no norte da África.

Fonte: DW



 Erwin Johannes Eugen Rommel (Heidenheim, 15 de Novembro de 1891 – Herrlingen, 14 de Outubro de 1944) (conhecido popularmente como A Raposa do Deserto, Wüstenfuchs) foi um marechal-de-campo do exército alemão durante a Segunda Guerra Mundial.

Rommel ficou mundialmente famoso por sua intervenção na África do Norte entre 1941 e 1943, no comando do Afrika Korps, um destacamento do exército alemão destinado a auxiliar as forças italianas que então batiam em retirada frente ao exército britânico. Por sua audácia e domínio das táticas de guerra com blindados, granjeou o apelido de A Raposa do Deserto e entre os árabes como O Libertador, sendo temido e respeitado tanto por seus comandados quanto por seus inimigos.

Tomar Tobruk era de vital importância para a continuação da campanha na África pois era o melhor porto de todo o Norte da África, podendo facilitar a logística para o Afrika Korps e para chegar até o Egito teriam de acabar com a resistência Aliada que estava neste porto, pois poderiam facilmente atacar as tropas que levariam suprimentos para o fronte.

Rommel se aproximou de Tobruk e iniciou o ataque no dia 11 de Abril tendo o avanço iniciado às 4:45 com o 8º Batalhão de Metralhadoras pelo sul enquanto que mais de 20 avançaram pela direita. O avanço dos blindados não durou muito pois havia uma barreira antitanques que impossibilitava a passagem No dia seguinte Rommel decidiu retomar a ofensiva utilizando uma tempestade de areia como cobertura. Pouco antes do ataque a tempestade parou, mas o ataque se iniciou mesmo assim.

A batalha durou até o domingo, dia 13 de abril, quando iniciou um ataque de artilharia seguido após pelas tropas batalhão que tinham como objetivo estabelecer uma cabeça-de-ponte que possibilitaria a chegada das tropas. Mas o ataque não deu certo pois eram 500 soldados alemães com 20 blindados contra os 34 000 defensores do Exército Britânico. Ao sair de lá na noite seguinte as tropas de Rommel contavam com apenas 116 soldados, sendo o resto feito prisioneiro ou morrido durante os combates. Rommel pensou em realizar um novo ataque, mas decidiu permanecer na defesa até o final do mês.

O novo ataque ocorreu no dia 30 de Abril quando Rommel se dirigiu para a linha de frente onde observou a tomada da Colina 209 na noite do mesmo dia, conseguindo o controle da colina às 9:00 da manhã do dia seguinte. Mas neste dia a 15ª Divisão Panzer, comandada por Hans-Karl Freiherr von Esebeck, sofreu grandes baixas contra as tropas aliadas, tendo as perdas em algumas unidades chegado a 50%. As baixas do lado alemão chegado a 1 200 soldados, entres estes estavam os mortos, feridos ou desaparecidos em ação.

Mesmo não tendo conseguido tomar Tobruk, a linha de frente alemã avançou mais 700 milhas em território inimigo, estando a esta altura a 1 110 milhas de distância de Tripoli, de onde vinham os seus suprimentos, que nesta época eram de 24 000 toneladas por mês, sendo necessários mais 20 000 toneladas para continuar com o avanço.

Durante este tempo em que esteve lutando em Tobruk, a outra parte da Afrika Korps havia capturado a passagem de Halfaya. Este fronte era muito importante para Rommel, pois era nesta passagem e em Sollum onde os tanques podiam facilmente alcançar o deserto e chegar até à Líbia, deixando-o vulnerável a um ataque britânico vindo do Egito.

Foram realizadas duas ofensivas aliadas (Operação Brevity e Operação Battleaxe) para tentar romper o Cerco de Tobruk mas ambas falharam, sendo que para a Operação Battleaxe foram enviados 238 novos tanques para auxiliar os aliados, tendo a batalha iniciado no dia 14 de Junho. Os aliados atacavam com os tanques pesados Matilda que tinham uma blindagem elevada sendo necessário o uso dos Flak 88 para destruí-los, tendo, ao final do dia 15, sido destruídos 11 dos 12 Matilda no alto do planalto e outros quatro haviam sido destruídos em minas pela costa, sendo destruídos ainda um total de outros 60 tanques.

Foi realizado no dia 16 um contra-ataque que tomou de volta o Forte Capuzzo que os britânicos haviam capturado na noite passada. Mas este contra-ataque não durou muito, sobrando apenas 35 de seus 80 tanques. Enquanto isso a 5.ª Divisão Leve estava enfrentado uma grande ofensiva aliada em Sidi Omar. Numa das mensagens interceptadas dos aliados, o comandante da 7ª Brigada Blindada diz: A situação é desesperadora e pede reforços de Cairo para continuar com os combates, assim Rommel iniciou uma grande ofensiva contra os aliados. Nestes poucos dias as unidades sob comando de Rommel destruíram um total de 180 a 200 blindados inimigos, enquanto que as forças de Rommel perderam apenas 12.
Panzergruppe Afrika

Estas suas vitórias na África voltaram a atenção da mídia alemã para Rommel que passou a ser visto como um heroi, tendo o Oberkommando der Wehrmacht decidido criar um Panzergruppe Rommel onde iria comandar o Afrika Korps e o 21º Corpo de Infantaria Italiano, mas depois foi nomeado oficialmente como Panzergruppe Afrika.

Mais tarde, passada meia hora da meia noite de 17-18 de novembro de 1941 ocorreu um ataque ao QG do Panzergruppe Afrika com a intenção de matar Rommel, terminando com a morte dos invasores, como o Major Keyes que foi morto acidentalmente por um de seus homens e morreram ainda dois oficiais e dois soldados alemães. Todos estes mortos, inclusive o Major Geoffrey Keyes, foram enterrados com honras militares dias mais tarde.

Esta ação era o inicio de uma grande ofensiva aliada quejá havia sido detectada na metade de Outubro, quando se percebeu a grande movimentação de tropas no Egito. Esta ofensiva iniciou no dia 18 de Novembro, quando os britânicos atacaram o flanco sul. Estas eram tropas do 8º Exército Britânico que tinham como objetivo: destruir as forças alemãs-italianas, libertar Tobruk e avançar para ocupar a Tripolitania. Pelo deserto avançou o XXX Corpo Britânico em direção a Tobruk.

A vantagem britânica era bem evidente, contava com 724 tanques e 1 100 aeronaves enquanto que Rommel tinha a disposição 414 blindados, dos quais 154 eram italianos e 50 estavam em manutenção e tinha 120 aeronaves alemãs e em torno de 200 italianas a disposição. Por estas ações, Rommel decidiu não continuar com o ataque a Tobruk e concentrou as atenções na parte norte, onde as forças britânicas avançaram por Gabr Saleh. Esta ofensiva forçou Rommel a recuar pela primeira vez na vida.

Com sua brilhante intervenção naquele teatro de operações, não obstante as enormes dificuldades logísticas que enfrentou, foi capaz de desequilibrar o combate a favor das forças do Eixo, por pouco não conseguindo uma vitória decisiva sobre as forças britânicas.

Durante o período de comando no Norte da África, tornou-se mundialmente conhecido como "A Raposa do Deserto" devido à sua reconhecida astúcia como líder militar.

Mesmo com todo o empenho de Rommel, as forças do Eixo na África acabaram sendo derrotadas, principalmente por falta de apoio logístico e de ênfase do Alto Comando Alemão do que por incompetência. Rommel retira-se para a Itália e trabalhou no comando da organização das linhas de resistência contra as tropas aliadas que haviam invadido o país.

0 comentários:

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts