GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

segunda-feira, agosto 27, 2012

EUA e aliados buscam construir escudo antimíssil no Golfo Pérsico

By on 27.8.12
Os EUA e seus aliados árabes estão reunindo forças para construir um sistema de defesa antimísseis no Golfo Pérsico para proteger cidades, refinarias de petróleo, dutos e base militares de um possível ataque do Irã, segundo fontes do jornal "New York Times". A iniciativa tem como objetivo mandar uma mensagem para o governo de Teerã e ganha um caráter urgente, considerando a escalada das tensões com o Irã.

No entanto, a criação vai exigir que os aliados no Golfo Pérsico deixem de lado as desavenças, compartilhem informações e coordenem seus arsenais individuais de interceptação de mísseis para construir um escudo que proteja a todos. A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, que está entre os primeiros líderes a defender a necessidade do sistema, tentou seu estimular a cooperação dos aliados em recente visita à Arábia Saudita.

- Nós podemos fazer mais para defender o Golfo criando uma cooperação na defesa de mísseis balísticos - disse ela, em encontro em março com o Conselho de Cooperação do Golfo, que inclui países como o Bahrein, Kuwait, Omã, Qatar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos - Para defender uma nação com eficiência, às vezes é necessário um sistema de radares com o apoio do país vizinho - afirmou. - É cooperação o que precisamos agora para arregaçar as mangas e começar a trabalhar - acrescentou.

Para a construção do escudo, seria necessária a instalação de mais radares para aumentar o alcance da cobertura de alertas pelo Golfo Pérsico, assim como a introduzir sistemas de controle, comando e comunicação que pudessem facilitar a troca de informações entre os países e impedir o míssil. Sobre o andamento da proposta, o Pentágono anunciou a venda de duas radares antimísseis para os Emirados Árabes, no ano passado, e mais um para o Qatar no início de 2012.
Escudo europeu x escudo no Golfo Pérsico

No entanto, a iniciativa de construir o sistema em território árabe é dividida com iniciativa de tentar construir um escudo semelhante na Europa para deter ataques do Irã e, se necessário, atenuar bombardeios de mísseis em território de aliados e dos EUA.

Apesar das similaridades, a criação do sistema na Europa está sendo abraçada pela Otan e as medidas necessárias estão sendo postas em prática, depois de negociações formais com países que vão guardas radares, interceptadores, e navios equipados para achar mísseis e derrubá-los.

Em contraste, o esforço do Golfo Pérsico parece estar por trás dos holofotes e baseado somente em negociações entre países, com bilhões de dólares negociados bilateralmente pelos EUA e as nações da região. Apesar disso, o próximo desafio é convencer as nações árabes a deixar de lado suas desavenças para criar o sistema integrado que proteja toda a região.

Venda de armas detalha progresso de escudo no Golfo Pérsico

Enquanto autoridades não divulgam a lista total de vendas de armas, uma análise em documentos públicos - anúncios de contratos do Departamento de Defesa dos EUA, notificações de transferências estrangeiras de armas e estudos realizados pelo Congresso oferecem detalhes da iniciativa americana.
Se o sistema de defesa planejado para a Europa está crescendo como um projeto perfeito de engenharia, o escudo do Golfo Pérsico está mais para uma montagem de quebra-cabeça. E com as últimas vendas de armas, importantes peças foram unidas. Há três semanas, o Pentágono informou ao Congresso a última novidade para a iniciativa no Golfo: a venda de 60 mísseis PAC (Patriot Advanced Capability), 20 plataformas de lançamento e quatro radares para o Kuwait, uma venda no valor de US$ 4,2 bilhões. Segundo documentos, o país árabe já havia comprado 350 mísseis PAC dos EUA entre 2007 e 2010.

Os Emirados Árabes adquiriram mais de US$ 12 bilhões em sistemas de defesa de mísseis nos últimos quatro anos, de acordo com outros registros. Em dezembro, o Pentágono anunciou um contrato - avaliado em US$ 2 bilhões - para prover aos Emirados dois lançadores de mísseis de última geração para o sistema chamado de Defesa Terminal para Áreas de Grande Altitude, incluindo radares e sistemas de comando.

Além disso, um outro contrato avaliado em mais US$ 2 bilhões, para a venda de mais um arsenal interceptadores de mísseis - também foi fechado. A Arábia Saudita também comprou US$ 1,7 bilhão em mísseis PAC dos EUA no ano passado.

A própria Marinha americana também contribui significantemente com o sistema de defesa do Golfo Pérsico. De acordo com autoridades das Forças Armadas dos EUA, sistemas Aegis de defesa de mísseis, carregados em embarcações americanas no local, são cada vez mais instalados em bases na região.

Do ponto de vista técnico, nenhum sistema de defesa antimísseis é 100% eficaz. A tarefa de construir o escudo se torna mais difícil por causa das diferenças políticas históricas entre países na região. Estados têm reforçado suas respectivas defesas por contratos bilaterais com os EUA e, mesmo que todos os seis membros do Conselho de Cooperação do Golfo compartilhem dos mesmos temores sobre o Irã, todos eles têm resistido a tomar decisões multilaterais sobre iniciativas de defesa.

Fonte: YAHOO

0 comentários:

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts