GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

sábado, setembro 22, 2012

A Força Exploradora de Bombardeiros da RAF

By on 22.9.12
Em 1941, os britânicos avaliaram a eficácia das missões de bombardeio noturno do Comando de Bombardeiros da RAF. Suas conclusões, com base na análise de seiscentas fotografias aéreas, foram arrasadoras. Em média, um terço das tripulações que alegavam ter atingido seus alvos chegou apenas a 8 km deles, e na região do Ruhr a proporção era de um para dez.

O problema mais sério consistia nas deficiências de navegação. O primeiro sistema de auxílio de navegação aérea da Grã-Bretanha, denominado "Gee", envolvia três estações de rádio em terra, transmitindo sinais de pulsação, de modo que o navegador do bombardeiro pudesse fixar precisamente sua posição. No entanto, o método estava sujeito a perturbações eletrônicas. Em 1943, introduziu-se um sistema de radar montado no próprio avião — o H2S — que fazia a varredura eletrônica da superfície abaixo do bombardeiro, produzindo imagens que podiam ser "lidas" pelo navegador.

A tarefa de detalhar o alvo para os bombardeiros que se aproximavam tomou-se responsabilidade da Força Exploradora. Os navegadores localizavam o alvo, e bombas marcadoras incendiárias eram jogadas sobre o objetivo, antecedendo o bombardeio propriamente dito.

Fonte: VAEVICTIS

0 comentários:

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts