GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

quinta-feira, abril 11, 2013

Heinkel He 177 Greif - O bombardeiro pesado de longo alcance alemão

By on 11.4.13


Na primavera de 1938, a Heinkel recebeu do Reichsluftfahrtministerium um contrato para o desenvolvimento de seu Projekt P.1041, que envolvia especificações para um bombardeiro pesado de longo alcance. A especificação pedia por um bombardeiro pesado/anti-navio com capacidades de bombardeio de mergulho. Essa especificação ridícula se provaria a principal causa das falhas do He 177.

Embora quase 1.200 exemplares do Heinkel He 177 Greif fossem construídos, o modelo nunca mostrou seu potencial e ainda ganhou o apelido de "Caixão Flamejante". O motor Daimler Benz DB 606 tendiam a se incendiar e um grande número de incêndios em vôo ocorreram. Seis das oito aeronaves iniciais foram perdidas, a maioria devido aos incêndios, e muitos dos 35 primeiros exemplares de produção (construídos principalmente pela Arado) tiveram o mesmo destino.

O engenheiro da Heinkel, Siegfried Gunter, requisitou dois motores de 2.000 hp para equipar sua criação, mas um motor que atendesse às especificações não estava disponível e dois Daimler Benz DB 601 que produziam juntos 2.600 hp foram instalados na mesma nacela. Outra complicação no desenvolvimento do Greif era seu trem de pouso, composto de duas pernas gêmeas em cada lado, que se retraíam dentro e fora das nacelas.

 
DESENVOLVIMENTO

O primeiro protótipo voou em 19 de novembro de 1939 em Rostock-Marienehe. Esse primeiro vôo foi encurtado quando houve um superaquecimento do motor e vibração foi notada. As superfícies da cauda também foram condenadas e modificadas após a queda do segundo protótipo, cuja cauda se desintegrou em um teste de mergulho. Esse problema também ocorreu com o quarto protótipo. O quinto foi o primeiro a carregar armamento, compreendendo quatro metralhadoras MG 15 montadas no nariz, dorso, ventre e cauda. Foi também o primeiro a sofrer incêndio do motor e cair.

Três outros protótipos foram construídos, os primeiros dois com nariz modificado em que foram montados dois canhões MG FF de 20 mm e duas metralhadoras MG 131 de 13 mm. Foram encomendados então 35 He 177A-0 de pré-produção. Esses foram usados em testes de desenvolvimento e treinamento de tripulações para voar a produção inicial He 177A-1, que foi iniciada em março de 1942. A Arado construiu um total de 130 exemplares de quatro sub-variantes, cada uma com pequenas variações no armamento, com as designações He 177A-1/R1 à He 177A-1/R4.

Um grande número de He 177A-1s foram entregues em julho de 1942 para operar com o 1./KG 40 em Bordeaux-Merignac, mas uma fraqueza estrutural nas asas levou a mais uma grande revisão no desenho, e os primeiros He 177A-3s modificados a ver serviço na Luftwaffe foram entregues no fim de 1942. Um total de 170 He 177A-3 foi construído, os primeiros 15 sendo designados He 177A-3/R1 e tendo motores DB 606A/B. Os restantes foram equipados com o DB 610 de 2.950 hp. Tinha velocidade máxima de 490 km/h e capacidade para 1.000 kg de bombas.

Foram construídos ainda os He 177A-3/R2 com armamento ampliado, He 177A-3/R3 carregando três mísseis Henschel Hs 293, e o He 177A-3/R4 possuindo uma gôndola contendo o equipamento de controle de míssil FuG 203. A introdução do canhão de 75 mm na gôndola ventral foi feita no He 177A-3/R5, e três He 177A-3/R7 foram construídos e equipados para carregar dois torpedos. A versão final de produção foi a He 177A-5 que apresentava asa reforçada para permitir pesadas cargas presas sob ela; os flaps foram modificados e o trem de pouso encurtado. Foi produzido inicialmente como He 177A-5/R1 à He 177A-5/R4, sendo sub-variantes com mudanças mínimas.

Se seguiu o He 177A-5/R5 que apresentava metralhadora remotamente controlada na traseira do compartimento de bombas, e o He 177A-5/R6 que teve compartimento de bombas reduzido. O He 177A-5/R7 introduziu o cockpit pressurizado, enquanto o He 177A-5/R8 apresentava armamento no queixo e cauda. Interessantes foram os cinco He 177A-5 convertidos para carregar armamento diferente, com o compartimento de bombas sendo usado para carregar 33 tubos lançadores de foguetes, sendo disparados para a frente num ângulo de 60º. Entregues em junho de 1944 e conhecidos como He 177 Zerstörer, serviram inicialmente com o Erprobungskommando 25 em Tarnewitz, mas ao que parece não foram usados operacionalmente. Seis He 177A-6/R1 foram construídos como plataforma de testes para a versão de produção proposta He 177A-6, que incluía proteção extra para a tripulação e tanques de combustível.

EM OPERAÇÃO

Durante a primeira metade de 1944, os alemães empregaram o Greif na Operação Steinbock, uma ofensiva contra alvos britânicos, fazendo seus ataques em mergulhos de alta velocidade a partir de grandes altitudes. Isso os permitiu penetrar as defesas sem grande dificuldade, mas pouco fez para a precisão do bombardeio. O He 177 também serviu no front leste, mas o crítico suprimento de combustível da Alemanha e a concentração da produção nos caças levaram o Greif a ser retirado de ação na Rússia no fim de 1944.

Uma dessas aeronaves, particularmente notável, foi modificada extensivamente em Praga durante 1943-1944, visando ampliar seu compartimento de bombas para carregar a primeira bomba atômica nazista; nunca foi completada.

CONCLUSÃO

O Heinkel He 177 Greif estava, desde o início, fadado ao fracasso. Uma especificação absurda que insistia em um bombardeiro pesado capaz de realizar mergulhos, o fato de nenhum motor disponível ser adequado, e ser empregado em tarefas que nunca foi planejado para desempenhar, realmente demonstraram a coragem e dedicação dos engenheiros que fizeram com que esse avião fosse construído nos números que foi. O Greif foi predecessor dos promissores He 277 e He 274, que foram para sempre abandonados com o fim da guerra.

DADOS TÉCNICOS (He 177A-5)

Tripulação: 5
Comprimento: 22 m
Envergadura: 31,44 m
Altura: 6,7 m
Área alar: 101,5 m²
Peso vazio: 16.800 kg
Peso cheio: 31.000 kg
Motor: 2× Daimler-Benz DB 610 (DB 605 gêmeos) de 2.950 hp cada
Velocidade máxima: 565 km/h a 6.100 metros
Alcance: 1.540 km
Teto operacional: 9.400 m
Armamento: 2× canhões MG 151 de 20 mm, 3x metralhadoras MG 131 de 13 mm, 3x metralhadoras MG 81 de 7,92 mm, 7.200 kg de bombas, 3x mísseis guiados


0 comentários:

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts