GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

segunda-feira, maio 13, 2013

Soldado dos EUA é considerado culpado de matar colegas no Iraque

By on 13.5.13
O militar americano John Russell foi considerado culpado do assassinato de cinco colegas em uma clínica psiquiátrica no Iraque, há quatro anos, informou um porta-voz da corporação.
Depois de chegar a um acordo para escapar da pena de morte, o sargento John Russell foi condenado pelos assassinatos cometidos em maio de 2009 em uma clínica em Camp Liberty, a maior base americana no Iraque, dedicada a soldados que sofrem de estresse ligado à guerra.

Russell, que inicialmente negou sua responsabilidade no caso, admitiu os assassinatos no mês passado, em um acordo fechado por seus advogados na Base Conjunta Lewis-McChord (JBLM), no Estado de Washington.

Nesta segunda, "o sargento Russell foi considerado culpado de assassinato premeditado", disse à AFP o porta-voz da base militar no sul de Seattle, Gary Dangerfield.

O sargento enfrentará a prisão perpétua sem recurso à liberdade condicional, além de pagar uma multa e receber a "baixa por desonra" do corpo dos Marines, disse o porta-voz.

No momento dos fatos, Russell servia no Iraque pela terceira vez, e sua unidade se preparava para deixar o país. Devido a preocupações com seu estado de saúde, uma semana antes do tiroteio, seu comandante havia ordenado que o suboficial entregasse suas armas e recebesse tratamento.

As vítimas foram três soldados que também estavam em tratamento e dois médicos.

"Fiz isso por raiva, meritíssimo", declarou Russell ao juiz militar, coronel David Conn, no mês passado, quando se declarou culpado.

Russell foi de quarto em quarto matando funcionários e pacientes.

"Estava transtornado. Não me lembro de estar transtornado, mas todos que me viram na clínica de combate ao estresse disseram que parecia transtornado", contou o réu ao jornal local "Los Angeles Times".

Fonte: UOL

0 comentários:

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts