GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

domingo, setembro 29, 2013

FX-2: Saab tem nesete momento a sua melhor chance

By on 29.9.13
A possibilidade de adiamento da compra de 36 caças de combate para a Força Aérea Brasileira (FAB), programa conhecido como F-X2, pode reduzir as oportunidades oferecidas pela sueca Saab para desenvolver em conjunto a nova geração de seus caças Gripen.
Segundo o diretor da Saab no Brasil, Bengt Janer, a produção será iniciada em 2014, a partir de uma encomenda de 82 aeronaves feita pelos governos da Suécia e da Suíça. “Este é o momento ideal para a decisão de compra dos caças pelo Brasil, pois nos próximos dois anos a produção do Gripen NG estará a todo vapor”, afirmou. A proposta da Saab para o programa F-X2 prevê que 40% do caça e até 80% da sua estrutura sejam feitos no Brasil.
Já Jean-Marc Merialdo, representante do Consórcio Rafale Internacional no Brasil, formado pelas companhias francesas Dassault Aviation, Thales e Snecma, disse que se houver o adiamento de dois anos da compra de novos caças de combate, a empresa aproveitará este tempo para firmar novas parcerias estratégicas com empresas Brasileiras e ampliar a oferta de transferência de tecnologia.
O consórcio francês participa do programa F-X2 da FAB com o caça Rafale. O executivo disse desconhecer a possibilidade de adiamento da concorrência e que no próximo dia 30 termina o prazo de validade das propostas enviadas pelas três empresas que participam do programa F-X2.
“O pedido de extensão da validade das propostas, feito a cada seis meses, normalmente acontece dias antes do vencimento do prazo”, disse. Até o momento, segundo o executivo, a FAB ainda não teria feito o pedido. ”Não vemos problemas nisso”, disse.
Sobre as informações de que existem dificuldades nas negociações com os franceses quando o assunto envolve transferência de tecnologia, fator de maior peso na avaliação das propostas, Merialdo afirma que o consórcio francês oferece transferência de tecnologia abrangente e irrestrita e com garantias do governo da França. “Não precisamos de autorização de outros países para repassar nossas tecnologias”. O executivo ainda minimizou a proximidade entre a americana Boeing e a Brasileira Embraer. “Não vejo reflexos disso na compra dos caças”.
A diretora de comunicação da Boeing no Brasil, Ana Paula Ferreira, disse que a oferta da empresa americana para o programa mantém-se competitiva independentemente do cenário político. Trata-se, segundo a executiva, de uma questão a ser resolvida entre governos, sem nenhuma participação da Boeing.
FONTE: Valor Econômico - Via NOTIMP

1 comentários:

Edson Technologies disse...

Olá Gente bom Dia!!

As propostas para o projeto FX2 se encerram hoje e parece que não foram revalidadas o que Vai ajudar a Russia para entrar novamente na licitação se houver é uma pena pois nós estamos quase que totalmente desguarnecidos com nosso espaço aéreo uma vez que os mirage vão ser desativados agora no, final do ano faltando praticamente mais dois meses para manter a tradição se é que também vai o Brasil deve ter o famoso tampão coisa que já aconteceu com os Mirage deveríamos então nos aproveitas e comprar então os Gripem da Africa do Sul que vão ser vendidos por que a Aviação não tem dinheiro para opera-los são novinhos ou Senão comprar os F 16 e mais um lote de A$ que estão sendo oferecidos por Israel então fica aqui a sugestão!

Edson

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts