GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

terça-feira, outubro 28, 2014

NASA lança biblioteca sonora gratuita das Missões Espaciais

By on 28.10.14
Conhecida de praticamente todos os seres humanos ao redor do mundo, a NASA (que em inglês significa: Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço) é a agência espacial dos Estados Unidos.
Famosa pelos lançamentos de foguetes e de ônibus espaciais, e também pelos vários programas espaciais que já levaram, entre outras coisas, o homem até a lua, além de também já ter visitado a superfície de Marte com a ajuda de robôs, a NASA chama a atenção das pessoas sempre que é notícia.
No entanto, a notícia que chamou a atenção da população mundial para a NASA tem a ver menos com alguma missão espacial atual, e mais com seu histórico de missões, já que a agência espacial dos Estados Unidos acaba de anunciar a criação de uma biblioteca que contém todos os áudios de suas missões realizadas até os dias de hoje.
A notícia de que a NASA criou uma biblioteca que disponibiliza os áudios das missões realizadas pela agência espacial dos Estados Unidos agradou em cheio a quem gosta de missões espaciais em geral.
E o melhor de tudo é que todo o material será disponibilizado pela NASA de graça, sem a cobrança de qualquer centavo, para que qualquer pessoa possa ouvir o que foi dito durante as principais missões da agência espacial estadunidense até hoje.
Segundo informações da própria NASA, a biblioteca irá contar com nada menos do que 60 amostras de áudios de missões das mais diversas realizadas por ela ao longo de sua gloriosa história.
Esta ferramenta, possivelmente virá a receber mais amostras de áudios futuramente, ficando ainda mais abrangente e ainda mais completa, dando um recorte preciso do que foi a realidade da agência espacial mais importante do mundo nas últimas décadas.
No entanto, a conta da NASA no Soundcloud só permite que se escutem os áudios das missões, sem permitir aos usuários que sejam feitos comentários, mas isto não deverá ser um problema para o sucesso da ferramenta.
Segundo se sabe, há avisos de lançamentos de ônibus espaciais, bem como sons da nave russa Sputnik, além de comunicação entre astronautas, o que pode dar uma ideia de como é o trabalho da agência espacial estadunidense.
No entanto, um dos destaques fica por conta da possibilidade de poder ouvir a famosa e icônica frase que diz o seguinte: “Houston, we have a problem”, que traduzido significa “Houston, nós temos um problema”. 



segunda-feira, outubro 27, 2014

Embraer revela novo avião de transporte militar KC-390

By on 27.10.14
A Embraer lançou, nesta terça-feira, seu novo avião de transporte militar, o KC-390, em um momento em que o Brasil intensifica sua entrada no mercado global de transporte aéreo de segurança e Defesa.
A aeronave foi apresentada na instalação de testes da empresa em Gavião Peixoto, São Paulo, em uma cerimônia assistida pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, e pelo comandante Juniti Saito, da Força Aérea Brasileira (FAB).
"Esse estágio significativo do programa KC-390 demonstra a capacidade da Embraer em desenvolver um projeto completo e de alta tecnologia e torná-lo realidade", disse Jackson Schneider, presidente de segurança e Defesa da empresa.



Nelson During, analista do site especializado Defesanet, considera o avião o maior veículo militar desenvolvido no Hemisfério Sul, o que pode levar a Embraer "a um novo patamar de negócios".
"A Embraer encontrou um nicho de mercado. Os Hércules C-130 da Lockheed têm muitas atualizações, mas são naves que podem ser substituídas. É um mercado que a Embraer pode atender", comentou à AFP.
O desenvolvimento da aeronave, a maior já construída pela indústria aeronáutica brasileira, custou R$ 4,6 bilhões (US$ 1,9 bilhão), financiados pela Força Aérea em parceria com Argentina, República Tcheca e Portugal. O preço unitário do avião não foi informado.
Saito disse que a nova aeronave representaria "a espinha dorsal da aviação de transporte da Força Aérea", uma vez que o avião é capaz de operar em diferentes condições, "da Amazônia à Antártica".
A intenção é de que sejam vendidas 728 unidades da nova aeronave em 77 países, um negócio no valor de 50 bilhões de dólares. O preço unitário do avião não foi informado.
Amorim afirmou que os países co-desenvolvedores - Argentina, República Checa e Portugal - demonstraram a intenção de compra, assim como a Colômbia e Chile.
Esse projeto, largamente financiado pela FAB, foi iniciado em 2009.
Com 35,20 metros de comprimento, 35,50 metros de envergadura e dois motores de reação, o KC-390 tem capacidade para transportar 23 toneladas de carga e alcança velocidade máxima de cruzeiro de 860 km/h.
O Hércules existe em diferentes modelos, mas têm quatro motores turbo-hélice, "que são mais lentos", explicou Claudio Moreira, consultor da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Segurança e Defesa.
O avião proverá back-up logístico em missões militares, humanitárias e de busca e salvamento.
A Embraer, a terceira maior manufatureira de aeronaves comerciais do mundo, atrás da gigante americana Boeing e da europeia Airbus, ainda não indicou o preço unitário do avião, que estará disponível até o final do ano.

Ao menos 15 caças Gripen serão montados no Brasil, diz executivo da Saab

By on 27.10.14

Ao menos 15 dentre os 36 caças Gripen que a Força Aérea Brasileira (FAB) comprou do grupo de armamento Saab serão montados no Brasil, informou nesta segunda-feira (27) Lennart Sindahl, chefe da divisão de Aeronáutica da indústria sueca.
A assinatura do contrato para a venda de 36 aviões militares de nova geração, por US$ 5,4 bilhões (R$ 13,4 bilhões), foi divulgada também nesta segunda-feira. Um contrato de cooperação inclui ainda transferência de tecnologia à indústria nacional nos próximos 10 anos.
Segundo Sindahl, que repassou a informação à imprensa durante uma entrevista por telefone, entre as 15 aeronaves que serão montadas totalmente no Brasil estão 8 que serão de duas posições (biplace), usado para o treinamento de pilotos. O desenvolvimento e a produção deste modelo do novo Gripen com dois assentos será realizado em conjunto entre a empresa brasileira Embraer e a Saab.
O contrato assinado entre o governo brasileiro e a Saab inclui 28 unidades do Gripen NG de apenas um assento e mais 8 de duas posições. O Brasil é o primeiro comprador do Gripen NG de dois assentos. O governo da Suécia já encomendou cerca de 60 aviões do novo modelo, mas todos com apenas um banco.
Sindahl assinalou que as demais aeronaves, que serão montadas na Suécia, terão também ajuda brasileira, seja com peças, seja com mão de obra. Uma equipe de técnicos, engenheiros e mecânicos brasileiros irá à Suécia atuar conjuntamente no trabalho.

"A montagem final de ao menos 15 será feita no Brasil. Mas é claro que as peças e suprimentos da indústria brasileira vão estão incluídos em muito mais do que estas 15 aeronaves, o maior número que puder, certamente. O restante será montado conjuntando com equipes brasileiras e suecas na Sueca. Então, as mãos brasileiras estarão na construção de mais do que estas 15 aeronaves", assinalou ele.

"Não vamos duplicar os fornecedores ou os suprimentos. As aeronaves que serão montadas tanto no Brasil quanto na Suécia terão as mesmas peças", afirmou, salientando que o país possui uma base industrial de tecnologia aeronáutica de suceso.

As entregas dos aviões estão previstas para ocorrer entre 2019 e 2024. Ele não especificou um cronograma de montagens e nem quando será finalizada a primeira aeronave no Brasil. Os aviões bipostos devem ficar para o final do plano de entrega.

"Estamos muito felizes e orgulhosos por termos sido selecionados para este contrato", acrescentou.
Preço superior
O preço que o Brasil pagará, previsto no contrato final, é quase US$ 1 bilhão superior ao previsto em dezembro de 2013, quando o governo brasileiro escolheu o modelo sueco em uma disputa denominada "FX-2". Na época, a proposta apresentada pela Saab era considerada a mais barata entre as concorrentes e estava em US$ 4,5 bilhões.

Conforme o executivo da Saab, a mudança no valor refere-se a "adaptações para as necessidades brasileiras" da aeronave, como modificações na parte de aviônica e exigências para a comunicação eletrônica e via rádio.

A disputa do "FX-2" incluía o caça Rafale da empresa francesa Dassault e o F/A-18 Super Hornet americano.
Atualmente, o Gripen é utilizado pela Aeronáutica da Suécia, República Tcheca, Hungria, África do Sul e Tailândia.
 
Do G1

China e Irã fortalecem laços militares em encontro

By on 27.10.14
O ministro da Defesa chinês, Chang Wanquan, se encontrou nesta quinta-feira com o comandante da Marinha iraniana, Habibollah Sayyari, em mais um sinal de que os países estão fortalecendo laços militares. Na visita, Wanquan disse que a China espera "novas cooperações práticas" e o desenvolvimento ininterrupto de vínculos entre os dois Exércitos.
Segundo Wanquan, o Irã sinalizou no encontrou que dá grande importância às relações com o país asiático e que também espera fortalecer as relações militares.
A China tem estabelecido laços com os militares de países rivais aos Estados Unidos, como a Rússia, para tentar reduzir o domínio naval dos norte-americanos na região Ásia-Pacífico. Com o Irã, Pequim também mantém ligações econômicas próximas, apesar do governo chinês participar de esforços internacionais para forçar o parceiro a cooperar com a comunidade global em relação ao seu programa nuclear.
Ainda que evite criar bases permanentes no exterior, a presença ocasional de embarcações no golfo pérsico permite ao país avançar em sua meta de ter uma Marinha capaz de operar longe do litoral da China. Em um exercício de cinco dias no mês passado, um destroier e uma fragata chinesa realizaram atividades com embarcações iranianas.
Navios chineses já participam de patrulhas regulares contra piratas na costa da Somália desde o fim de 2008, algo considerado como uma grande melhora na sua capacidade de atuar em longas distâncias, além de ajudar a proteger o importante oceano que conecta o país às fontes de energia do Oriente Médio.
Fonte: Associated Press - Via Yahoo.

Obama, Putin e Merkel parabenizam Dilma pela vitória

By on 27.10.14
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, cumprimentou a presidente Dilma Rousseff pela sua reeleição conquistada ontem, segundo nota divulgada nesta segunda-feira pelo governo americano. “O Brasil é um parceiro importante para os Estados Unidos e nós estamos comprometidos a continuar a trabalhar com a presidente Rousseff para fortalecer a nossa relação bilateral”, afirma a declaração do secretário de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest. Segundo a nota, Obama espera ligar para Dilma nos próximos dias para felicitá-la pessoalmente e discutir como aumentar a “colaboração para promover a segurança global, a prosperidade e o respeito pelos direitos humanos”.
O presidente americano também pretende conversar sobre como aperfeiçoar “a cooperação bilateral em educação, energia, comércio e outros assuntos de interesse mútuo”.



Os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, da Rússia, Vladimir Putin, e a chanceler alemã Angela Merkel parabenizaram nesta segunda-feira Dilma Rousseff pela vitória na eleição presidencial brasileira. Segundo o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, no telegrama de felicitação de Obama à presidente reeleita do Brasil, ele qualificou o país como “grande parceiro” para os EUA. “Estamos comprometidos em seguir trabalhando com a presidente Dilma para fortalecer nossa relação bilateral”, afirmou o porta-voz de Obama.
Além disso, Earnest detalhou que o presidente americano espera “nos próximos dias parabenizá-la pessoalmente” por sua vitória nas eleições de ontem e dialogar sobre como aumentar a parceria bilateral em educação, energia e comércio, entre outros assuntos. A relação entre os dois países foi seriamente afetada por causa das revelações do ex-analista da Agência de Segurança Nacional (NSA) americano Edward Snowden, que denunciou que Washington espionou as comunicações pessoais de Dilma Rousseff, assim como de ministros e de empresas nacionais.
Rússia – Putin congratulou Dilma e destacou que a vitória nas urnas é uma prova do respaldo popular a suas políticas, informou o Kremlin. Em seu telegrama, Putin manifestou que “os resultados da votação demonstram que a população apoia a política de Dilma Rousseff que procura o desenvolvimento econômico do país e o fortalecimento de suas posições internacionais”, detalhou o comunicado da presidência russa. O presidente russo avaliou como muito boa a atenção que Dilma presta ao “fortalecimento da associação estratégica russo-brasileira”.
Putin confirmou a disposição da Rússia de continuar o “diálogo construtivo e o trabalho conjunto para aumentar a cooperação bilateral em todos os âmbitos, assim como a interação na ONU, no G20 [grupo dos 20 países mais ricos do mundo], nos Brics [Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] e em outras estruturas multilaterais”.
Alemanha – A chanceler alemã Angela Merkel, em seu telegrama, também cumprimentou Dilma pela reeleição, manifestando em texto a possibilidade de manter os laços entre os países. “A felicito pela reeleição como presidente do Brasil. Me alegro que possamos continuar nossa cooperação”, escreveu Merkel. A chanceler disse também que Alemanha e Brasil diante de grandes desafios, expressando que está convicta que “apenas juntos e como parceiros, poderemos superá-lo”'.
América do Sul – Neste domingo, pouco depois da confirmação oficial da vitória de Dilma, os presidentes da Venezuela e da Argentina deram felicitações à brasileira. “Vitória de Dilma no Brasil. Vitória do Povo. Vitória de Lula e seu legado. Vitória dos povos da América Latina e do Caribe”, afirmou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que tem no Brasil um de seus principais aliados políticos.
Cristina Kirchner publicou uma carta aberta à “querida companheira e amiga Dilma” em seu perfil no Facebook. “Esta nova vitória representa um passo a mais rumo à consolidação da nossa Grande Pátria sul-americana, à qual tanto empenho temos dedicado desde nossas funções no governo e da militância de uma vida inteira”, escreveu ela.
Da Veja (Com agências Reuters e EFE)

EUA EM JOGOS DE GUERRA NO ALASCA! CANADÁ MOBILIZA TROPAS, RÚSSIA REATIVA BASE NO ÁRTICO!

By on 27.10.14
Uma força de implantação rápida do Exército vai praticar exercícios estratégicos na base de defesa antimísseis do Pentágono no Alasca, esta semana, como parte de exercícios anuais que envolvem ambas as forças convencionais e nucleares.
Funcionários da Defesa disseram que uma Força de Reação Rápida do Exército (QRF) de 55 tropas aerotransportadas, junto com armas e veículos, com pára-quedas em Fort Greely, no Alasca, na quinta-feira, como parte de exercícios chamados Vigilant Shield.
O QRF, composta de altamente treinados, forças móveis, rapidamente descompactam veículos e armas e movem-se para criar um perímetro de segurança em torno do campo de interceptação terrestre (GBI) na base, tudo em poucos minutos de atingir o solo, disseram autoridades familiarizadas com alguns detalhes do exercício. Os exercícios continuarão até 28 de outubro.
O Pentágono implantou 26 interceptores de longo alcance em Fort Greely e quatro na Base Aérea de Vandenberg, na Califórnia. Os interceptores são um elemento-chave limitadas de defesas estratégicas americanas dos militares contra ataques de mísseis de longo alcance, previstos principalmente da Coréia do Norte.
O porta-voz militar se recusou a revelar os cenários para os exercícios citando temores de "segurança operacional".
Os exercícios militares norte-americanos, no entanto, seguem um aumento em grande escala de vôos de bombardeiros estratégicos nucleares russos tanto no Alasca e na Califórnia.
E os jogos de guerra, envolvendo a implantação de centenas de tropas canadenses, também estão sendo realizadas, como a Rússia anunciou no mês passado que está reabrindo uma base naval da era soviética no ártico norte em Ilhas da Sibéria. Seis navios de guerra russos, incluindo dois navios de desembarque, que partiram para a ilha com tropas e suprimentos em 6 de setembro.
A base da ilha siberiano é cerca de 1.000 km da costa do Alasca e faz parte de um grande esforço por Moscou para construir suas forças militares em toda a região, rica em recursos do Ártico.
Tenente-general aposentado da Força Aérea, Thomas McInerney, um ex-comandante do Comando Aéreo do Alasca, disse que os exercícios norte-americanos não estão limitados a defesas antimísseis e parecem ser uma resposta a exercícios nucleares recentes de grande escala russos e atividade de bombardeiros.
"Isso claramente é uma resposta aos extensos exercícios nucleares russos que foram realizados recentemente e é um sinal de boas-vindas de que esta administração não desarmou completamente nossa prontidão de dissuasão nuclear", acrescentou.
O secretário de Defesa Chuck Hagel, em novembro, delineou uma nova estratégia do Pentágono para proteger o Ártico. A estratégia é seguida de aumento das incursões russas e chinesas na região. Hagel disse em um discurso em 22 de novembro no ano passado, que o derretimento do gelo polar aumentou rotas marítimas e como resultado há um aumento do risco de um futuro conflito na região.
Rússia tiveram como alvo as defesas de mísseis dos EUA no passado.
Documentos do Departamento de Estado classificados tornados públicos pelo Wikileaks revelou há vários anos que os exercícios militares ofensivas russas no Ártico são parte de um esforço de Moscou para "emergir como o poder dominante no ártico."
Além da base de ilhas siberianas, militares da Rússia estão abrindo bases aéreas do Ártico, no extremo norte em Naryan-Mar, em Nova Zembla, e Franz Josef Land.
A Rússia também anunciou que está criando uma brigada do Ártico de 8000 tropas para ser implantado na Península de Kola perto da Finlândia e Noruega.
Protegendo o campo interceptor de defesa de mísseis é um dos elementos do campo de jogos de guerra em larga escala que ocorrem esta semana. O lançamento aéreo faz parte do Vigilant Shield, um exercício anual de defesa da pátria gerido pela sede no Colorado US Northern Command e do Comando de Defesa Aeroespacial EUA-Canadá na América do Norte.
Os exercícios de campo em Fort Greely inicialmente eram para envolver um lançamento aéreo de 400 tropas aerotransportadas a partir do 4 º Brigada da Divisão de Infantaria 25 baseado em Fort Richardson, Alasca. O exercício foi reduzida para apenas o QRF, no entanto.
Cerca de 550 efetivos militares canadenses e 20 aeronaves também foram participar no jogo de guerra com a implantação de Goose Bay, Labrador, no nordeste do Canadá no que Northcom disse que será a primeira grande implementação para Norad em mais de uma década.
A principal missão do Norad é para evitar ataques aéreos sobre a América do Norte.
O governo do Canadá recentemente manifestou preocupações sobre incursões estratégicas de bombardeiros russos.
O Washington Free Beacon informou em 8 de setembro que os bombardeiros estratégicos russos conduziram ataques de mísseis de cruzeiro nucleares práticos de áreas próximas a nordeste do Canadá.
Concomitantemente com Vigilant Shield, o Comando Estratégico dos EUA na segunda-feira lançou em grande escala de jogos de guerra nuclear chamada Global Thunder, projetados principalmente para testar o comando e o controle nuclear, juntamente com as operações militares de comando envolvendo espaço, ciberespaço, defesa antimísseis, combate às armas de destruição em massa, e inteligência, vigilância e reconhecimento, disse o comando, em um comunicado.
Os jogos de guerra Stratcom será simulações e exercícios de campo em vários locais. O exercício é baseado em um cenário fictício e não está relacionada a eventos do mundo real, disse o comando, em um comunicado.
 

Brasil assina compra do Gripen NG por US$ 5,4 bi.

By on 27.10.14

 O grupo sueco de armamento e aeronáutica Saab anunciou nesta segunda-feira (27) a assinatura do contrato com o governo do Brasil para a venda de 36 aviões militares Gripen de nova geração, por US$ 5,4 bilhões (R$ 13,4 bilhões).
Saab informou que também assinou um contrato de cooperação industrial, que incluirá transferências de tecnologia à indústria brasileira nos próximos 10 anos.
A empresa sueca e o governo brasileiro "assinaram um contrato para o desenvolvimento e a produção de 36 caças Gripen NG, além dos sistemas e equipamentos relacionados", afirma a empresa em um comunicado, que informa o valor do contrato: 39,3 bilhões de coroas suecas (US$ 5,4 bilhões).

O contrato inclui 28 aviões de apenas um motor e oito aeronaves bimotores. Segundo a Aeronáutica, o contrato foi assinado na sexta-feira (24), em Brasília, e envolve o treinamento de pilotos e mecânicos na Suécia.

A empresa sueca informou que as entregas às Forças Armadas brasileiras acontecerão entre 2019 e 2024.

O preço assinalado no contrato final é superior ao previsto em dezembro de 2013, quando o governo brasileiro escolheu o modelo sueco em uma disputa denominada "FX-2". Na época, a proposta apresentada pela Saab era considerada a mais barata entre as concorrentes e estava em US$ 4,5 bilhões. A entrega inicial prevista também era estipulada para 2018.

A Aeronáutica diz que o valor reajustado ocorre devido a novos parâmetros exigidos pelo Brasil e que o preço inicial era apenas uma previsão.

A disputa do "FX-2" incluía o caça Rafale da empresa francesa Dassault e o F/A-18 Super Hornet americano. Segundo a Aeronáutica, a assinatura do contrato, assinado na sexta-feira, antes do 2º turno das eleições presidenciais, só foi divulgado nesta segunda-feira (27) devido à publicação do acordo no Diário Oficial da União.
"Estamos orgulhosos de estar ao lado do Brasil dentro deste programa tão importante", afirmou o presidente da Saab, Marcus Wallenberg.

O Brasil será, ao lado da Suécia, o primeiro país a utilizar a nova geração dos caças Gripen. O contrato deve entrar em vigor no primeiro semestre de 2015.

Atualmente, o Gripen é utilizado pela Aeronáutica da Suécia, República Tcheca, Hungria, África do Sul e Tailândia. A aeronave pode chegar a até duas vezes a velocidade do som e é caracterizada por ser multimissão (com poder de ataque e defesa, podendo atingir alvos em terra e no ar, e também de reconhecimento).
Brasil opera apenas F-5
As 36 aeronaves serão usadas para defesa aérea, policiamento do espaço aéreo, ataque e reconhecimento. A primeira unidade aérea a receber o novo modelo deverá ser o 1° Grupo de Defesa Aérea, com sede em Anápolis (GO), informou a FAB.

A unidade, que atua na defesa do Planalto, está sem aeronaves desde dezembro de 2013, quando foram aposentados os caças Mirage 2000. Atualmente, é usada apenas para proteção das fronteiras os jatos F-5, que foram modernizados e são menos potentes que o Mirage.

Aluguel "tampão"
As negociações prosseguem agora para a cessão temporária de uma versão anterior do Gripen ao Brasil pela Força Aérea que poderia ser usado nas Olimpíadas de 2016.

Até 12 unidades das versões C/D do caça podem ser alugadas temporariamente pelo governo até a chegada dos novos, mas o valor e os termos do acordo ainda estão sendo conversados pelo governo, diz a Aeronáutica.

Do G1

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts