GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

sábado, setembro 05, 2015

Apple, Boeing e Harvard ajudarão EUA a desenvolver wearables militares

By on 5.9.15
Pentágono anunciou planos para criar eletrônicos vestíveis que deverão ser usados por soldados.
Fique atento! O fato da inteligência estar por todos os lados é resultado de um planeta cada vez mais conectado. Talvez, não há nenhum lugar onde isso seja mais aparente do que as recentes notícias sobre a Apple e outras companhias ajudando militares americanos a desenvolverem tecnologias vestíveis.
O Pentágono anunciou planos de trabalhar com a Apple, Boeing, Harvard e outras 160 empresas que integram o Flexible Hybrid Electronic Institute. O objetivo é utilizar tecnologia de ponta para criar eletrônicos flexíveis que possam incorporar sensores, que por ventura serão usados por soldados, disse um oficial em entrevista ao Reuters.
Esses “eletrônicos flexíveis” serão usados por humanos ou envolvidos em outros assessórios militares para monitorar a integridade estrutural. Bem, pense em um kit inteligente para guerras.
“Eu tenho levado o Pentágono a pensar fora da caixa e investir em inovação aqui no Vale do Silício e em comunidades de tecnologia ao redor de nosso país”, disse o Secretário de Defesa Ashton Carter. Carter está também explorando como drones militares autônomos e robôs poderiam ser no futuro.
Conecte tudo
Ao tomar sua parte no consórcio, a Apple se coloca em um contexto de tecnologia de ponta para o setor de impressão 3D, vestíveis, sensores e inteligência artificial. A gigante tem muito a compartilhar, e isso não diz respeito a apenas a sua última pesquisa avançada em tecnologia para sensores vestíveis. A pergunta que fica é como essas lições poderão formar o design da Apple para um planeta mais inteligente ou mesmo para um carro inteligente?
A impressão 3D está se desenvolvendo cada vez mais. Grandes pesquisas em tecnologia de processo de material e desenvolvimento de hardware significa que poderemos diversificar produtos para imprimir com tais máquinas, da mesma forma a velocidade de impressão se acelera. O que falta é a capacidade de imprimir eletrônicos complexos usando diferentes materiais. A exemplo, temos uma impressora 3D operando na Estação Espacial Internacional que é capaz de imprimir pequenas partes isoladas.
Nós todos sabemos que impressão 3D irá tomar uma parte considerável do varejo no futuro, mas fato é que ainda não é possível imprimir um iPhone ou, uma armadura com sensores.
Tecidos inteligentes
 O que o Departamento de Defesa norte-americano descreve aqui não é nada além do que a evolução de tecidos inteligentes. Enquanto o conceito inicial parece focar em sensores para monitorar comportamentos relacionados a saúde e a integridade estrutural, uma vez que a capacidade de produzir em massa materiais inteligentes for atingida, então será apenas uma questão de tempo. Materiais típicos de ficção científica com resposta à mudança extrínseca, tornando-se à prova de bala em batalhas, mas suaves e leves como a seda para longas marchas, de repente, podem ser possíveis.
Sensores e inteligência
A Apple tem investido pesado em tecnologia para sensores, e seu foco particular em saúde significa que a companhia tem muito a proporcionar, assim como aprender, a partir desta aliança. Claro, dados inerentes de sensores também fornecem insights valiosos. A necessidade para tais insights levará a Apple a se envolver, inevitavelmente, com soluções dedicadas a Inteligência Artificial e analytics. Para se ter uma ideia, a empresa já trabalha no assunto em parceria com a IBM.

Do: IDG News Service

0 comentários:

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts