Os Indianos vão acabar voltando atrás e comprando o Gripen NG

Geopolitica: A "Crise Chinesa" por um outro ponto de vista...

Postado por Vinna quarta-feira, setembro 02, 2015

A China continua a crescer nada desprezíveis 7%. Mesmo assim, por causa da desvalorização do yuan e de uma queda abrupta no mercado de ações, em muitas capitais a narrativa circulante é de que um Armagedon ter-se-ia abatido sobre o modelo econômico que ao longo dos anos gerou crescimento que sextuplicou o PIB da China.

Poucos sabem que Pequim, simultaneamente, está engajada numa tarefa titânica: mudar seu vetor de crescimento, das exportações para investimento massivo em serviços; enfrentar o papel negativo ou só de autossatisfação das empresas estatais; e desinflar pelo menos três bolhas - da dívida, da especulação imobiliária e do mercado de ações -, no contexto de uma virtual estagnação econômica global.

Tudo isso, enquanto praticamente não há qualquer cobertura na mídia ocidental, sobre o impulso puxado pela China rumo à integração do comércio eurasiano, que ajudará eventualmente a consolidar o Império do Meio como a maior economia do planeta.

O que nos leva a uma subtrama crucial no Grande Quadro: o Sudeste da Ásia.

Daqui a quatro meses, a Associação de Nações do Sudeste Asiático,ANSA [ing. Association of Southeast Asian Nations (ASEAN)], de dez membros, estará integrada, via a Comunidade Econômica da ANSA, CEANSA [ing. ASEAN Economic Community (AEC)].

A Comunidade Econômica da Associação de Nações do Sudeste Asiático não é pouca coisa. Estamos falando da integração econômica de um mercado combinado de 620 milhões de pessoas, e PIB coletivo de $2,5 trilhões.

Claro, ainda é uma ANSA dividida. Em termos gerais, os países do interior do continente do Sudeste da Ásia são mais próximos da China; a franja marítima do mesmo Sudeste da Ásia é mais confrontacional - dentre outros motivos porque os EUA só fazem insuflar o confronto. Vai demorar até que haja um código de conduta baseado em regras para o Mar do Sul da China, assinado por todos os participantes.

Mesmo assim, ainda que haja contraste visível entre a área continental e a área marítima do Sudeste da Ásia, e a integração das duas áreas possa conter mais retórica que fatos - pelo menos no curto prazo -, Pequim não parece estar preocupada com o grande jogo. Afinal de contas, a China é inextrincavelmente conectada ao sudeste asiático continental.

Considerem Cambodia, Laos, Myanmar e Tailândia. É mercado coletivo de 150 milhões de pessoas e PIB de mais de $500 bilhões. Inclua esses quatro no contexto da sub-região do Grande Mekong, que inclui as províncias de Guangxi e Yunnan do sul da China, e tem-se mercado de 350 milhões de pessoas e PIB de mais de $1 trilhão. A conclusão, como Pequim vê as coisas, é inevitável: o Sudeste Asiático é o quintal do sul da China.

TPP versus PERA

A Parceria Trans-Pacífico [ing. Trans-Pacific Partnership (TPP)] comandada pelos EUA é amplamente considerada, em inúmeras latitudes da ANSA, como componente chave da 'pivotagem para Ásia'.

Se a ANSA já é dividida, a TPP só acentua a divisão. Só quatro países da ANSA - Brunei, Malásia, Cingapura e Vietnã - estão envolvidos em negociações dos acordos da [parceria] TPP. Os outros seis países preferem a Parceria Econômica Regional Ampla, PERA [ing. Regional Comprehensive Economic Partnership (RCEP)].

A PERA é ideia ambiciosa que aspira a converter-se maior acordo de livre comércio do mundo; 46% da população da Terra, com PIB conjunto de $17 trilhões e 40% do comércio mundial. A parceria PERA inclui 10 nações da ANSA plus China, Japão, Coreia do Sul, Índia, Austrália e Nova Zelândia. Diferente da [parceria] TPP, liderada pelos EUA, a [parceria] PERA é liderada pela China.
Ainda que haja substancial grau de vontade política, será impossível para esses 16 países concluir suas negociações nos próximos quatro meses - para anunciar a constituição da [parceria] PERA simultaneamente ao início da Comunidade Econômica da ANSA, CEANSA. Seria forte estímulo à noção partilhada da "centralidade" da ANSA.

Problemas e mais problemas por todos os lados. Para começar, a grave disputa China-Japão pelas ilhas Diaoyu/Senkaku. E a sempre crescente confusão entre China/Vietnã/Filipinas no Mar do Sul da China. Competição e desconfiança é a norma. Muitas dessas nações veem a Austrália como um cavalo de Troia. Assim sendo, é pouco provável que se alcance algum consenso antes de 2017.

A ideia da Parceria Econômica Regional Ampla, PERA, nasceu em novembro de 2012 numa reunião de cúpula da ANSA no Cambodia. Até hoje já aconteceram nove rodadas de negociações. Curiosamente, a ideia inicial partiu do Japão - de um mecanismo que combinasse a multidão de acordos bilaterais que a ANSA construíra entre seus parceiros. Mas atualmente a China está na liderança.

E como se não bastasse a disputa entre as 'parcerias' TPP e PERA, há também a Área de Livre Comércio do Pacífico Asiático, ALCPA [ing.Free Trade Area of the Asia-Pacific (FTAAP)]. Foi introduzida na reunião da Associação dos Países Exportadores de Petróleo (APEP) em Pequim, ano passado, pela - obviamente - China, para distanciar do ideário da [parceria] TPP as nações cujo principal parceiro comercial é a China.

Joseph Purigannan de Foreign Policy in Focus resumiu bem todo esse frenesi: "Se se conectam todos esses desenvolvimentos de 'mega acordos de livre comércio", o que se vê é na verdade a intensificação do que se pode chamar de guerra por território entre os grandesplayers." Quer dizer que, mais uma vez, é guerra China vs. EUA, guerreada por procuração.

A Big Pharma manda

A parceria trans-Atlântico, TPP, é divulgada nos EUA como se visasse a fixar padrões comuns para quase a metade da economia mundial.

Mas essa parceria TPP - negociada sob máximo segredo poderososlobbies empresariais bem longe de qualquer controle, longe até de qualquer conhecimento, público - é essencialmente a OTAN 'comercial' (e parceira íntima da outra 'parceria' orientada para a UE, a TTIP). ATPP foi desenvolvida como braço econômico/comercial do 'pivoteamento para a Ásia' - com dois sonhos ardentes embutidos: excluir a China e diluir a influência do Japão. E, sobretudo, a TPP visa a impedir que grande parte da Ásia - e dentro dela, as nações da ANSA - consigam chegar a qualquer acordo que não inclua os EUA.

A reação da China é sutil, não frontal. Pequim está apostando, de fato, em multiplicar os acordos - da Parceria Econômica Regional Ampla, PERA, para a Área de Livre Comércio do Pacífico Asiático, ALCPA. O objetivo final é reduzir a hegemonia do dólar norte-americano (não esqueçamos: a TPP é baseada no dólar).

Mesmo depois de ter assegurado a aprovação no Congresso, mês passado, para uma tramitação rápida que leve a um acordo, o presidente Obama e o todo poderoso lobby comercial pró TPP estão encontrando muita dificuldade para convencer os 12 parceiros - muito desiguais - nessa 'parceria' TPP].

Para a futura geração de drogas biológicas, por exemplo, a 'parceria'TPP privilegia abertamente as gigantes da indústria farmacêutica, "Big Pharma", como a Pfizer, e a Takeda do Japão. A TPP opõe-se a empresas de propriedade estatal - muito importantes em economias como Cingapura, Malásia e Vietnã -, em benefício de concorrentes estrangeiras, na disputa por contratos com os governos desses países.

TPP quer pôr fim ao tratamento preferencial que a Malásia garante a malaios étnicos no business, moradia, educação e contratos com o estado - um dos fundamentos do modelo de desenvolvimento da Malásia.

Sob o pretexto de cortar tarifas sobre tecidos "sensíveis", as grandes corporações têxteis dos EUA, como Unifil, querem impedir o Vietnã de vender roupas baratas, feitas na China, no mercado dos EUA.

E EUA e Japão continuam em séria oposição na agricultura e na indústria automobilística, ainda discutindo, por exemplo, em que ponto um veículo inclui conteúdo local suficiente para qualificar-se à isenção de impostos.

O primeiro-ministro general Prayut Chan-ocha está convencido de que a 'parceria' TPP tanto pode salvar como pode quebrar a Tailândia - com ênfase na parte "quebrar". Foi o que disse a importante grupo de visitantes do Conselho de Comércio EUA-ANSA.

Bangkok está aterrorizada, temendo que aquelas leis sobre patentes de medicamentos - por exemplo, o direito de fabricar medicamentos genéricos - sejam substituídas por leis extremamente restritivas, ditadas pelos suspeitos de sempre: a "Big Pharma".

http://3.bp.blogspot.com/-h0LaKmsKVnU/VZxoxkqGjOI/AAAAAAAABFw/HzykOoiflEs/s1600/CRISE%2BNA%2BGR%25C3%2589CIA%2BAFETA%2BA%2BECONOMIA%2BCHINESA%2BE%2BA%2BECONOMIA%2BBRASILEIRA%2BTAMB%25C3%2589M%2BPODE%2BSOFRER.jpegUm cinturão, uma Rota, um banco

No final, tudo sempre volta à fórmula hoje legendária do presidente Xi Jinping da China, I Tai I Lu ("Um Cinturão, Uma Rota"). Também conhecida como a estratégia da(s) Nova(s) Rota(s) da Seda, da qual um dos componentes chaves é a exportação de todos os modos de tecnologia chinesa de conectividade para outras nações ANSA.

Começa com o Fundo Rota da Seda, de $40 bilhões, anunciado no final do ano passado. Mas outras vias de investimento para redes de infraestrutura - autoestradas, ferrovias, portos - devem vir através do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura, BAII [ing. Asian Infrastructure Investment Bank (AIIB)].

O BAII portanto pode também ser interpretado como uma extensão do modelo chinês de exportações. A diferença é que, em vez de exportar bens e serviços, a China estará exportando expertise em infraestrutura, além do seu excesso de capacidade doméstica de produção.

Um desses projetos é uma ferrovia da província de Yunnan atravessando Laos e Tailândia até Malásia e Cingapura - com a Indonésia ali bem próxima (onde a China já disputa com o Japão o contrato para construir os primeiros 160 km de ferrovia para trens de alta velocidade entre Jacarta e Bandung). A China construiu nada menos que 17 mil quilômetros de ferrovias de alta velocidade - 55% do total mundial - em apenas 12 anos.

Washington não está exatamente apreciando muito as relações cada vez mais próximas entre Pequim e Bangkok. A China, por sua parte, gostaria que seus laços com a Tailândia servissem como protótipo para o relacionamento com outras nações ANSA.

Daí a pressa que mostram os empresários chineses para investir em outras nações ANSA, usando a Tailândia como sua base regional de investimentos. Trata-se sempre de investir em nações com potencial excelente para tornarem-se bases de produção chinesa.

No futuro imediato, é inevitável a integração econômica nas terras continentais do Sudeste Asiático. É possível que vá de Myanmar ao Vietnã. E logo, por ferrovia, do sul da China, pelo Laos, até o Golfo da Tailândia; e por Myanmar, até o Oceano Índico.

O mercado de trabalho está cada vez mais integrado. Há cinco milhões de pessoas de Myanmar, Cambodia e Laos já trabalhando na Tailândia - a maior parte dos quais legalmente. O comércio de fronteira está crescendo - uma vez que "fronteiras" institucionais pouco significam nas regiões centrais do sudeste da Ásia (como tampouco significam muito entre Afeganistão e Paquistão, por exemplo).

Mas ainda é jogo muito aberto. Tudo aí tem a ver com conectividade. Com cadeias globais de produção. Tem a ver com regras comerciais harmonizadas. Mas quase tudo aí é um jogo de poder de apostas tremendamente altas: para determinar quem - EUA ou China - virá eventualmente a fixar as regras globais para comércio e investimento.
 
Por: Pepe Escobar - Do:Asia Times Online - Via Pravda

Nota: Titulo original: Bem-vindos às guerras por acordos comerciais.

-

Frases

Audaces fortuna juvat - "A sorte protege os audazes" (verso da Eneida de Virgílio)
O Brasil não é um país beligerante, mas deve deter meios para defender sua soberania, caso isso seja necessário. Afinal, há de se lembrar sempre que paises não tem amigos tem interesses.

"Computadores são como bicicletas para nossa mente" - Steve Jobs

"Um homem quando está em paz não quer guerra com ninguém..."Musica Só Os Loucos Sabem - Charlie Brown Jr. - Composição: Chorão/Thiago Castanho.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
“Não precisa fazer a bomba. Basta mostrar que sabe““Abrir mão de possuir armas é uma coisa, abrir mão do conhecimento de como fazê-las é outra coisa“ - Dalton Ellery Girão Barroso do IME
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"um submarino nuclear tem muito pouco propósito a não ser que seja visto como parte de um sistema de disparo de armamento nuclear. Sem armas nucleares, é difícil entender" - Cientista indiano Prabir Purkayastha, especialista em sistemas energéticos e energia atômica
“O brasileiro é muito tranquilo. Nós dominamos a tecnologia da energia nuclear, mas ninguém aqui tem uma iniciativa para avançar nisso. Temos que avançar nisso aí. É vantagem? É, até do ponto de vista de dissuasão é"... "Nós temos que nos despertar que o Brasil para ser um país realmente forte tem que avançar nisso aí. Especialmente para fins pacíficos. E mesmo a arma nuclear utilizada como instrumento dissuasório é de grande importância para um país que tem 15 mil quilômetros de fronteiras a oeste e tem um mar territorial e agora esse mar do pré-sal, de 4 milhões de metros quadrados de área”. - Vice-Presidente do Brasil, José Alencar


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
“Nós somos contra a proliferação nuclear, nós somos signatários do tratado de não-proliferação [de armas nucleares], mas não podemos renunciar ao conhecimento científico” - Ministro de Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral


Audiência

Cotação do Hangar

Mais vistas na última semana

Postagens populares últmos 30 dias

Marcadores

Brasil (1749) USA (1722) Esquema (1427) Defesa Brasil (1367) aviação (1347) Zona de Conflito (1191) tecnologia (1132) sinistro (1103) Geopolitica (937) História (829) Video (760) aviação militar (740) Russia (699) Afeganistão (667) Espaço (658) EMBRAER (583) China (571) Defesa USA (567) OTAN (499) Estratégia (466) Diplomacia (441) ONU (436) Boeing (429) noticia (425) ww2 (410) Espionagem (405) Nuclear (392) AGRESSÃO AO BRASIL (381) Brasil Potência (375) Irã (366) Insólito (364) Libia (356) UNIÃO/Defesa America do Sul (348) Argentina (347) Terrorismo (347) By Vinna (345) Inglaterra (345) Israel (340) Industria Brasil (312) Ciberguerra/Cyber Attacks (301) França (298) opinião (294) Defesa Russia (288) Industria Americana (284) Hoje na História (273) Siria (242) Europa (237) curiosidade (232) NASA (231) direito (219) Segurança Pública (214) Chile (209) Industria Russia (209) Exercícios Militares (202) Evangelho do dia (201) Defesa Irã (200) Lockheed (200) Dassault (197) Alemanha (189) Drone (179) Industria Francesa (178) SAAB (178) Defesa India (171) NSA (164) India (160) Defesa Venezuela (157) Oriente Médio (157) Japão (155) CIA (152) Petrobrás e biocombustivel (149) Coreia do Sul (147) Nova Guerra Fria (138) Front Interno (137) Airbus (136) Arqueologia Militar (132) OVNIs (132) Defesa Chile (126) F1 (126) Defesa Europa - OTAN (122) Sukhoi (122) Defesa China (120) Eixo Bolivariano (120) Ceará (118) Acidente AF 447 (116) Defesa Israel (114) PRISM (114) AVIAÇÃO CEARÁ (113) Africa do Sul (112) Rosoboronexport (112) EADS (110) Coreia do Norte (109) Ucrania (109) Iraque (106) Palestina/Gueto de Gaza (104) Venezuela (104) Turquia (103) Malasia (100) Defesa França (99) Asia (95) Evento (94) Itália (94) Terminator (94) Dissuasão (89) Sovieticos (88) Rolls-Royce (87) Guerra Cambial Mundial (86) Acidente MH370 (85) União Europeia (85) Bolivia (84) Falkland/Malvinas (83) Industria Europeia (83) obituário (83) MiG (80) AVIC (79) Arábia Saudita (78) General Electric (77) Defesa Portugal (76) Industria Chinesa (76) Industria Sueca (76) Defesa Colombia (75) Guerra da Amazônia (74) Saúde (73) Filme (71) Paquistão (70) BRIC (68) Suécia (68) 2014 (66) Africa (66) DARPA (65) Petroleo (64) Espanha (63) Minustah (60) Crime de Guerra (58) Russian Helicopters (58) Portugal (57) Armas Quimicas (55) Canadá (55) Defesa Equador (55) Defesa Iraque (55) Estreito de Ormuz (55) De olho na Imprensa (54) AIEA (52) Elbit (52) HANGAR DO VINNA (52) AEB (51) Mar da China (51) ciência (51) 2012 (50) Colombia (50) Egito (50) Energia (50) Avião (49) BAE Systems (49) Colirio (49) FICHA TECNICA (48) Taiwan (48) Australia (47) Defesa Coréia do Sul (47) Defesa Japão (47) Emirados Árabes (47) Defesa Peru (46) Libano (46) Mali (46) Hawker Beechcraft (45) crimeia (45) Avibrás (44) Stealth (44) Industria Israel (42) Northrop Grumman Corp (42) Vietnã (42) DCNS (41) Defesa Britânica (41) Rio 2016 (41) Helibras (39) Holanda (39) esporte (39) Defesa Paquistão (38) Hindustan Aeronautics (38) MATRIX (38) Industria India (37) Peru (37) ISS (36) Paraguai (36) União Africana (36) Equador (35) Eurocopter (35) Mar do Japão (35) Star Trek (35) Uruguai (35) Finmeccanica (34) Georgia (34) Pioneiro do ar (34) Cuba (33) IAI (33) Industria (33) Industria Iraniana (33) veículo (33) Corrente do Bem (32) Odebrecht (32) Pici Field (32) Suiça (32) AEL (31) Sikorsky (31) Recebi por e-mail (30) Antonov (29) Argélia (29) Defesa Coréia do Norte (29) Iemen (29) Indonésia (29) Qatar (29) digital (29) Aircraft For Sale (28) Cazaquistão (28) Defesa Emirados Árabes (28) Defesa Haiti (28) Industria Italia (27) Mar do Sul da China (27) Nazistas (27) Polonia (27) Biografia (26) Defesa Uruguai (26) Filipinas (26) Defesa Turquia (25) IVECO (25) Angola (24) Defesa Itália (24) Defesa Polonia (24) Denel (24) FAdeA (24) Mexico (24) Narcotrafico (23) Noruega (23) OEA (23) 2013 (22) CATIC (22) Colonialismo (22) Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (22) Defesa Siria (22) Industria Portugal (22) Jordania (22) livro (22) Austrália (21) Defesa Espanha (21) Defesa Georgia (20) HESA/IAIC (20) Industria Alemanha (20) MERCOSUL (20) Romenia (20) Turkish Aerospace (20) Agusta (19) Bombardier (19) Defesa Libano (19) GS Yuasa (19) Tupolev (19) Bell (18) Defesa Indonésia (18) Defesa Paraguai (18) Dinamarca (18) Grécia (18) HESA (18) Industria Espanha (18) Rosocosmos (18) Tailandia (18) Defesa Taiwan (17) McDonnell Douglas (17) OMC (17) teoria dos falcões (17) Belgica (16) CASA (16) Defesa Libia (16) Haiti (16) Ilyushin (16) Industria Inglesa (16) MUSICA (16) Nigeria (16) Omã (16) Sierra Nevada Space Systems (16) Beechcraft (15) Bielorussia (15) Guatemala (15) Honduras (15) KAI (15) Kuwait (15) Mectron (15) OrbiSat (15) Star Wars (15) Sudão (15) Antartida (14) Bulgaria (14) Cingapura (14) Congo (14) Coréia do Sul (14) Defesa Kuwait (14) Defesa Malasia (14) HUMOR (14) Nova Zelândia (14) PreSal (14) Bahrein (13) Defesa Marrocos (13) ESA (13) Fim dos tempos (13) KMW (13) Lei do Abate (13) Raytheon (13) Servia (13) ww1 (13) Colômbia (12) Defesa Suiça (12) Defesa Suécia (12) FBI (12) Kamov (12) Liga Arabe (12) República Tcheca (12) Shenyang Aircraft (12) Sri Lanka (12) Yantar (12) industria Coreia do Sul (12) 2016 (11) Atech (11) Austria (11) Bangladesh (11) CREA (11) Defesa Rep.Dominicana (11) Defesa Romenia (11) Defesa Tailandia (11) Defesa Ucrania (11) Industria Japão (11) Irkut (11) Mitsubishi (11) PAC Kamra (11) SpaceX (11) Thales (11) Unifil (11) Anonymous (10) Croacia (10) El Salvador (10) Finlândia (10) Google (10) Hungria (10) Industria Turquia (10) Mauritania (10) Microsoft (10) Navantia (10) OPEP (10) Pilatus (10) Quirguistão (10) Revolucao do "Tudo Gratis" (10) religião (10) 2015 (9) Aero (9) COMAC (9) Cesna (9) Chad (9) Defesa Jordania (9) Guerra Fria (9) Harbin (9) INACE (9) Inteligencia Artificial (9) Sisfron (9) Somalia (9) Chengdu (8) FAA (8) Gana (8) Industria Argentina (8) MBDA (8) Niger (8) Olimpiada (8) Peninsula Coreana (8) Renault (8) ThyssenKrupp (8) defesa Iêmen (8) ANAC (7) Aero Vodochody (7) Aeroespatiale (7) Armenia (7) Defesa Noruega (7) Defesa Sudão (7) Defesa Vietnã (7) ENAER (7) FMI (7) Férias (7) General Dynamics (7) OGMA (7) OMS (7) Panamá (7) Quenia (7) Republica Theca (7) oceania (7) British Aerospace (6) Brunei (6) Defesa Qatar (6) ELTA Systems (6) Guiana (6) Guiné-Bissau (6) LET (6) Mianmar (6) Pratt Whitney (6) Rep.Dominicana (6) Tribunal de Haia (6) Tunísia (6) Uganda (6) 2018 (5) 2020 (5) ARTICO (5) Aeroeletrônica (5) Artigo (5) Azerbaijão (5) Defesa Namibia (5) Dornier (5) Estonia (5) Europa do Leste (5) Fokker (5) Inbra (5) Lituania (5) MARKETING PESSOAL (5) Nicaragua (5) Print 3D (5) Suriname (5) 2017 (4) 2040 (4) AIE (4) Alianca Pacifico (4) Apple (4) Aquecimento Global (4) Beriev (4) Cabo Verde (4) Colinas do Golã (4) ENGESA (4) Eslovaquia (4) General Eletric (4) Huawei (4) IBM (4) INDRA (4) INPE (4) ISAF (4) Irlanda (4) Islandia (4) Kalashnikov (4) Kaspersky Lab (4) Marrocos (4) Messerschmitt (4) Moçambique (4) Myanmar (4) Namibia (4) Novaer (4) OSK (4) Patria Aviation (4) Pirataria/Tortuga (4) Rekkof Aircraft (4) Resenha (4) Rio+20 (4) Rockwell (4) Rostvertol (4) SIPRI (4) Selex Galileo (4) Senegal (4) Sevmach (4) Sudão do Sul (4) Titanic (4) Yakovlev (4) ZTE (4) armas eletromagnéticas (4) 2030 (3) AGX (3) Air Race (3) Akaer (3) Albânia (3) Avia (3) Bukina Faso (3) Curdistão (3) EMBARGO (3) Eritrea (3) Facebook (3) General Atomics (3) Guinness Book (3) Harpia (3) Helibrás (3) Honda (3) IMBEL (3) MH-17 (3) MIT (3) Mercenarios (3) Neonazistas (3) OAK (3) OAS (3) Oboronprom (3) Opto Eletrônica (3) Qantas (3) Rafael (3) Samsung (3) Sirius (3) Tajiquistão (3) Tecnobit (3) Trinidad e Tobago (3) Turismo (3) Ukrspetsexport (3) VARIG (3) Zimbabwe (3) ilhas Kurilas (3) prosub (3) savis (3) 2003 (2) AIDC (2) ARAMAR (2) ASMAR (2) Agrale (2) Air Tractor (2) Andrade Gutierrez (2) Astrium (2) Bielorrússia (2) Bigelow Aerospace (2) Birmânia (2) Boston Dynamics (2) Botswana (2) BrahMos (2) Britânica (2) CIAC-Corporación de la Indústria Aeronáutica Colombiana (2) COTEMAR (2) Caltech (2) Camarões (2) Camboja (2) Cirrus (2) DROGA (2) DSME (2) De Havilland (2) ENGEPRON (2) El (2) Enstrom (2) Flight Technologies (2) Ford (2) G20 (2) GROB (2) Harris Corporation (2) Hong Kong (2) IACIT (2) INDUMIL (2) IZHMASH (2) Imperialismo (2) Itaipu (2) Iugoslávia (2) Iêmen (2) KAPO (2) Kongsberg (2) Kosovo (2) Laos (2) Launch Services (2) Letonia (2) Liebherr-Aerospace (2) Luxemburgo (2) Maldivas (2) Malta (2) Malásia (2) Marsh Aviation (2) Massacre (2) México (2) Nepal (2) Next Generation Aircraft/Fokker (2) Nissan (2) Obvilion (2) Orbital Technologies (2) PDVSA (2) Queiroz Galvão (2) RSC Energia (2) Robocop (2) Rosvertol (2) Ruag Aerospace (2) Santos Lab (2) Scania (2) Seagate (2) Sevmash (2) Sony (2) Synergy Defense (2) TAP (2) TAP Maintenance and Engineering (2) Tekever (2) Telebras (2) Togo (2) Toshiba (2) Toyota (2) United Shipbuilding Corporation (2) Usbequistão (2) Vaticano (2) Western Digital (2) YPF (2) Yugoimport (2) Zambia (2) comissao da verdade (2) panair (2) xian (2) Índia (2) 1950 (1) 1962 (1) 2011 (1) 2024 (1) 2025 (1) 2032 (1) 2035 (1) 2047 (1) 2050 (1) 2068 (1) ACS Aviation (1) ADCOM Systems (1) ALMA (1) ANATEL (1) AOL (1) ASTRAEA (1) ATE (Advanced Technologies and Engineering) Aerospace (1) ATK (1) Active Space Technologies (1) Aero-Engine Goup Corp (1) Aeromot (1) Aeroscraft (1) Aerotech (1) Araguaia (1) Ares Aeroespacial (1) Atlas Elektronic (1) Aurora Technologies (1) AutoGyro (1) Aviakor (1) Avio Group (1) BLOG (1) BMW (1) BUG (1) Baterias Moura (1) Belarus (1) Benin (1) Beretta (1) Beureau LUTCH (1) BioExplorers (1) Bloom e Voss (1) Burevestnik (1) Burocracia (1) CACMA (1) CAE (1) CAIGA (1) CBC (1) CETEC (1) CTEx (1) Camargo Corrêa (1) Cellebrite (1) Ceska Zbrojovka (1) China Broad Group (1) Chrysler (1) Citasa (1) Complejo Industrial Naval Argentino - CINAR (1) Condor Tecnologias (1) Continental Motors (1) Conviasa (1) Costa Rica (1) Costa do Marfim (1) Cotecmar (1) Curaçao (1) DNA (1) DRS (1) Da Vinci Code (1) Daewoo (1) Daimler (1) Damen Shipyard (1) Dark Web (1) Datsun (1) Dearman Engine Company (1) Democracia (1) Diageo (1) Diamond Aircraft (1) DoniRosset (1) Dropbox (1) Dígitro (1) EASA (1) EIKE (1) ELEB (1) ESO (1) Ecopetrol (1) Enercon GmbH (1) Energomash (1) Engevix (1) Equipaer (1) Eslovenia (1) Estaleiro Atlantico Sul (1) Esterline (1) Esterline Electronics (1) Etiopia (1) Evektor (1) Evolução (1) Fairchild (1) Fassmer (1) Ficantieri (1) Fincantieri (1) Flying Legends (1) Focal Aviation (1) Foxconn (1) Fujitsu (1) GCHQ (1) GM (1) GeneXus (1) General Motors (1) Genetica (1) Global tech (1) Gorizont (1) Grauna Aerospace S.A (1) Guerrilha (1) Guizhou Aviation (1) Gulfstream (1) Hamilton Sundstrand Corporation (1) Heckler e Koch (1) Heinkel (1) Holocausto (1) Hybrid Air Vehicles (1) IAMI (1) INTA (1) Ilhas Samoa (1) Ilhas Seychelles (1) Increase Aviation Service Ltda (1) Inter RAO (1) International Aero Engines (1) Israel Military Industries (1) JDI Holdings (1) Jet Propulsion Laboratory (1) Jiuyuan Hi-Tech (1) KAMAZ (1) Kangnam Corporation (1) Kawasaki (1) Kazan (1) Kazaquistão (1) LIATEC (1) LINKS (1) Lihttp://www.blogger.com/img/blank.gifbano (1) Linux (1) Lituânia (1) Lufthansa Technik (1) Líbia (1) MALAT (1) MDA (1) MPX (1) Martin-Baker (1) Maçonaria (1) Messier-Bugatti-Dowty (1) Milestone Aviation Group (1) Modelismo (1) Moldávia (1) Molgolia (1) Mongolia (1) Motor Sich (1) Motorola (1) Mowag (1) NKAU (1) NPO Saturn (1) NTSB (1) National Rifle Association (1) Near Eart Autonomy (1) Norse Corp (1) OGX (1) OTT Blindados (1) Oddyssey (1) Odessa (1) Ominsys (1) Orbital Corporation (1) Oto Melara (1) PZL Mielec (1) Pacifismo (1) PalTalk (1) Paramount Group (1) Polaris (1) Polônia (1) Porto Rico (1) QinetiQ (1) R2Tech (1) RKF Tecnologia (1) Ralls Corp (1) Reaparelhamento (1) Remington (1) Renova Goup (1) Reshetnev (1) Rontan (1) Rosatom (1) Rossin-Bertin Vorax (1) Rostekhnologii (1) Rotax (1) Rudolph Usinados (1) Sabia-Mar (1) Sagem (1) Saker Aircraft (1) Sale (1) Sanofi (1) Savis Tecnologia (1) Securaplane Technologies (1) Siemens (1) Soko (1) Solar Impulse (1) Space Exploration (1) Spyker (1) Stidd Systems (1) SwampWorks (1) São Tomé e Príncipe (1) TAO (1) TELMEX (1) TIM (1) Tanzania (1) Taser (1) Taurus (1) Telecom Itália (1) Terrafugia (1) Textron (1) Thielert Aircraft Engines (1) Timor Leste (1) Tortura (1) Troller (1) Turcomenistão (1) UEE (1) UNDOF (1) UTVA Aircraft (1) United Aircraft Corporation (1) United Technologies Corporation (UTC) (1) Urban Aeronautics (1) VSMPO-AVISMA (1) Vanguard (1) Vector Aerospace (1) Velika Gorica (1) Virgin Galactic (1) Voronezh (1) WZL-Wojskowe Zaklady Lotnicze (1) Wega (1) World Aeros (1) XMobots (1) Xi'an Aircraft (1) Yahoo (1) Yakhont (1) YouTube; Skype (1) android (1) bullying (1) clonagem (1) eco (1) feganistão (1) fine (1) htc (1) isra (1) racismo (1) rosco (1) whatsapp (1) ww3 (1) x9 (1) África do Sul (1)

Salmo

Meta: Informação Livre e um Blog novo todo dia

Bem vindo, amigo visitante: Procuro atualizar o blog várias vezes por dia e este trabalho solitário é feito pensando em vocês. Financeiramente Não ganho NADA a não ser a amizade de alguns de vocês... ALGUMAS IMAGENS RETIREI DA INTERNET SEM AUTORIA. SE ALGUMA DELAS FOR PROTEGIDA POR DIREITOS AUTORAIS, A VIOLAÇÃO NÃO FOI INTENCIONAL, NESTE CASO, SE NÃO ME FOR AUTORIZADA A EXPOSIÇÃO DA MESMA, A IMAGEM SERÁ RETIRADA DO BLOG, BASTA QUE ENTREM EM CONTATO POR COMENTARIO OU EMAIL.
Vinicius Morais - Vinna

Translate

Pesquisar este blog

Carregando...

Visitas by Google - Since 02/05/2008

Nós no Face...

Videos em Destaque

The Blue Angels - Set to Van Halen's Dreams Top Gun Music Video - "Dreams" by Van Halen

Links de Referência & PARCEIROS


Blog Cavok

Campo de Batalha

Cultura Aeronáutica

Alternativa Car

Fumaça Já!



Noticias Sobre Aviação

DEFESANET


Tecnologia & Defesa


Portal Rudnei Cunha

ANVFEB



Plano Brasil

Geo Política

Defesa Aérea

Estratégia Nacional de Defesa


Defesa BR

Revista ASAS


VAE VICTIS

Segurança & Defesa


Infodefensa

BLOG CONTROLE AÉREO

ANUNCIE - AQUI

archive