Comandante do Exército Brasileiro chama de 'lamentável' clamor por intervenção militar - HANGAR DO VINNA

Breaking

GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

BANNER 728X90

quarta-feira, março 23, 2016

Comandante do Exército Brasileiro chama de 'lamentável' clamor por intervenção militar

O Comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, chamou de lamentável o clamor por intervenção militar que vem de parte dos manifestantes presentes nos atos antigovernistas das últimas semanas.
O general comentou o assunto durante um simpósio jurídico realizado no Comando Militar da Amazônia (CMA), em Manaus, na manhã desta sexta-feira (18).
"Eu acho lamentável que, num país democrático como o Brasil, as pessoas só encontrem nas Forças Armadas uma possibilidade de solução da crise, mas isto não é extensivo nem generalizado e, felizmente, está diminuindo bastante a demanda por intervenção militar", declarou o general.
A autoridade militar ponderou, no entanto, que esse pedido demonstra certas necessidades do país. "[Ele indica] que as Forças Armadas são a referência de valores éticos e morais e de padrão de eficiência [de] que a sociedade se sente tão carente", disse Villas Bôas.
Sem paralelo
Segundo o comandante, a situação política e social atual não se relaciona com o clima instável que levou ao regime ditatorial militar na década de 60.
"Não há paralelo com 1964, primeiro porque hoje nós não temos o fator ideológico. Naquela época, nós vivíamos a situação de Guerra Fria e a sociedade brasileira cometeu o erro de permitir que a linha de fratura da Guerra Fria [a] dividisse. Isso não existe mais. O segundo aspecto é que hoje o Brasil tem instituições sólidas e amadurecidas, com capacidade de encontrar os caminhos para a saída dessa crise", comentou Villa Bôas.
Rotina inalterada
Villas Bôas destacou que a rotina dentro da instituição não se alterou. "Os quarteis estão prosseguindo naturalmente nas suas atividades e o Exército está profundamente empenhado em contribuir para a manutenção da estabilidade", explicou.
Para ele, a atual crise é de natureza política, econômica e ética. "Os três aspectos se interrelacionam e, em consequência, é uma crise para ser solucionada dentro desses ambientes, principalmente o ambiente político e jurídico", concluiu a autoridade militar.
Ministro rebate
O simpósio jurídico organizado pelo CMA também contou com a presença do ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).
Na ocasião, ele defendeu a instituição, que foi recentemente descreditada pelo ex-presidente Lula em uma conversa telefônica com a presidenta Dilma Rousseff, grampeada pela Polícia Federal (PF) e divulgada nesta quarta-feira (16).

2 comentários:

Marcelo Boueri disse...

PARABÉNS GRANDE GAL. DE EX. EDUARDO VILLAS BÔAS. QUE TODOS MILITARES OUÇAM E OBEDEÇAM SUAS SÁBIAS PALAVRAS . DISCIPLINA E ORDEM O BRASIL CLAMA ! VIVA A PÁTRIA !

Marcelo Boueri disse...


EXMO GAL. EX. VILLA BÔAS

COMO BRASILEIRO, ORGULHO-ME DE VOSSA POSTURA
NO COMBATE À CORRUPÇÃO PELOS MEIOS LEGAIS E
DEMOCRÁTICOS.
V.S. É UM EXEMPLO PARA NOSSAS FORÇAS ARMADAS.
SAUDAÇÕES DE UM SIMPLES ENGENHEIRO QUE, COMO
V.S. SEMPRE TRABALHOU PELO PROGRESSO DA PÁTRIA.
ATT.
MARCELO BOUERI

Sponsor

AD BANNER



Os Indianos vão acabar voltando atrás e comprando o Gripen NG