NOVO FOGUETE BRASILEIRO LANÇARÁ SATÉLITES EUROPEUS - HANGAR DO VINNA

Breaking

GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

BANNER 728X90

domingo, novembro 09, 2014

NOVO FOGUETE BRASILEIRO LANÇARÁ SATÉLITES EUROPEUS

Sueca SSC vai construir base em Alcântara e na Suécia para lançar o VLM

Por Virgínia Silveira, de Gothenburg e Satenäs (Suécia), para o jornal "Valor"

"A SSC (Swedish Space Corporation) vai construir dois centros de lançamento para o foguete brasileiro VLM (Veículo Lançador de Satélites), em Alcântara, no Maranhão, e no Centro Espacial de Esrange, na Suécia. O primeiro passo para viabilizar o plano é assinatura de um acordo de parceria com o DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), que coordena o desenvolvimento do foguete. A assinatura deve ocorrer em dezembro.

O acordo, segundo o diretor do DCTA, Brigadeiro do Ar Alvani Adão da Silva, prevê o intercâmbio de informações e de recursos humanos na área de desenvolvimento e de operações de lançamento, assim como de tecnologias de propulsão espacial e de propelentes ecológicos, entre outros projetos. A parceria, ainda segundo o brigadeiro, é desdobramento de um acordo especial assinado entre as Agências Espaciais do Brasil (AEB) e da Suécia (SNSB), em fevereiro.

A responsável pela área de tecnologia da SSC, Anna Rathsman, disse planejar utilizar o VLM para o lançamento de micro e nanossatélites para o mercado europeu. A executiva afirmou que não tem uma projeção do mercado global para veículos na categoria do VLM, mas que uma estimativa inicial feita pela SSC prevê o lançamento de, pelo menos, dois foguetes por ano do Centro de Esrange.

Segundo o "Valor" apurou, por apresentar baixo custo de produção e de complexidade técnica, além de ciclo de desenvolvimento rápido, o VLM tem mercado potencial superior a dez lançamentos por ano.

O diretor do DCTA disse que a SSC já definiu o local para a construção do sítio de lançamento em Esrange (Suécia). "Estudos já feitos por especialistas indicam a existência de um mercado promissor para o VLM, tendo em vista que não existe nenhum outro foguete dedicado para atender a essa faixa de mercado (lançamento de cargas úteis de 120 a 150 quilos)", afirmou.

Os concorrentes do VLM são foguetes de grande porte, que levam pequenos satélites de carona. O VLM teria um custo de lançamento baixo, inferior a US$ 10 milhões. Seu desenvolvimento é feito pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), órgão de pesquisa e desenvolvimento do DCTA (da FAB), em parceria com o Centro Aeroespacial Alemão (DLR), que financia parte do projeto, avaliado em R$ 100 milhões.

O próximo passo do projeto do VLM é a contratação da fabricação da parte estrutural do motor foguete, o S50. A empresa "Cenic" já concluiu o projeto de desenvolvimento do motor. Feito em fibra de carbono, o S50 será o maior motor foguete já construído pelo IAE. A Avibras fez o estudo de viabilidade de carregamento do motor com propelente (combustível).

O DLR já utiliza o foguete brasileiro suborbital VS-40 para o experimento científico Shefex, considerado o principal programa espacial da Alemanha.
 
De acordo com o DCTA, os alemães querem utilizar o foguete VLM para o lançamento do experimento Shefex 3 (da sigla em inglês "Sharp Edge Flight Experiment"), que irá testar o comportamento de novos materiais e tipos de proteção térmica necessários para o desenvolvimento de tecnologia de voos hipersônicos e de veículos lançadores reutilizáveis.

O vice-diretor do IAE, coronel aviador Avandelino Santana Júnior, disse que o teste de qualificação em voo do VLM deverá acontecer em dois anos. A fabricação do foguete será feita pelo setor espacial brasileiro. Ele afirmou que o VLM é um foguete configurado para lançar micro e nanossatélites de sensoriamento remoto, experimentos científicos e com aplicação meteorológica em baixa altitude.

A SSC já mantinha um relacionamento próximo ao DCTA desde 2005, por meio da utilização dos foguetes de sondagem suborbital VSB-30 (desenvolvidos pelo IAE), que fazem o lançamento de cargas científicas e tecnológicas em ambiente de microgravidade.



Lançamento de VSB-30

Com faturamento de 524 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 71 milhões) por ano e mais de 600 funcionários, a SSC fornece serviços de gestão de satélite e de lançamento de foguetes e balões, além do desenvolver subsistemas para aplicações aeroespaciais".

FONTE: escrito por Virgínia Silveira, de Gothenburg e Satenäs (Suécia), para o jornal "Valor". Transcrito no portal da FAB  (http://www.fab.mil.br/notimp#n81623). [Imagens obtidas no google e adicionadas por 'democracia&política'].

Nenhum comentário:

Sponsor

AD BANNER



Os Indianos vão acabar voltando atrás e comprando o Gripen NG

Videos Recomendados

Marado, o novo "porta-aviões disfarçado" da Coreia do Sul




Super Cobra para o Brasil?






A MELHOR HISTÓRIA DE AVIAÇÃO DE TODOS OS TEMPOS