GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

terça-feira, outubro 30, 2012

Autoridades polonesas negam presença de explosivos no avião caído em Smolensk

By on 30.10.12

O primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, e a procuradoria militar desmentiram nesta terça-feira que tenham encontrado marcas de explosivos nos restos do avião presidencial polonês acidentado em 2010 em Smolensk, onde seus 96 ocupantes morreram, entre eles o então presidente da República, Lech Kaczynski. 

Desta forma, Tusk desmente as informações divulgadas pelo jornal local 'Rzeczpospolita', que, em sua edição de hoje, assegurou que analistas teriam encontrado restos de materiais explosivos, como trinitrotolueno (TNT) e nitroglicerina, em 30 assentos e outras partes do avião acidentado.

A informação publicada pelo jornal citado serviu de base para os líderes do partido nacionalista-conservador Lei e Justiça - a principal força da oposição - justificar sua teoria de que o acidente foi realmente um atentado.

O responsável pelo partido Lei e Justiça, Jaroslaw Kaczynski, irmão gêmeo do então chefe de Estado polonês, afirmou hoje que os novos indícios confirmam que a tragédia não foi casual, mas um 'crime atroz'. 

'Exigimos a renúncia do Governo de Donald Tusk. Não pode ser que a Polônia esteja governada por pessoas que durante 30 meses ocultaram o que agora podemos dizer que foi um crime atroz', assegurou Jaroslaw Kaczynski.

Antes, a Procuradoria Geral encarregada de investigar o acidente já tinha negado as informações divulgadas pelo jornal 'Rzeczpospolita' e desmentido que qualquer rastro de explosivos tenha sido encontrado nos destroços do avião.

Posteriormente, Donald Tusk compareceu perante a imprensa para desmentir as informações publicadas pelo jornal e também pedir serenidade à sociedade polonesa.

Segundo o 'Rzeczpospolita', os analistas poloneses não tinham como determinar a origem do material explosivo encontrado nos destroços do avião, embora algumas hipóteses apontam que esses explosivos poderiam ser procedentes de artefatos da Segunda Guerra Mundial enterrados na região.

O acidente aconteceu em abril de 2010, quando o avião presidencial da Polônia, um Tupolev 154 de fabricação russa, caiu próximo ao aeroporto russo de Smolensk, no meio de um intenso nevoeiro.

Além da morte do então chefe de Estado e de sua esposa, outras importantes figuras também perderam suas vidas no acidente, entre civis, políticos, militares e religiosos da Polônia, muitos ligados à partida nacionalista-conservador Lei e Justiça.

O relatório russo sobre o acidente culpou à tripulação e os pilotos poloneses pelo acidente, já que o mesmo decidiu seguir viagem mesmo com as péssimas condições meteorológicas e as advertências da torre de controle do aeroporto.

Fonte: EFE via Noticias Sobre Aviação

0 comentários:

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts