Os Indianos vão acabar voltando atrás e comprando o Gripen NG

Caças Grumman F6F Hellcat; modelos do tipo perseguiram UFOs próximo a instalações atômicas em 1945
Caso aconteceu sobre uma instalação atômica que produzia material para o Projeto Manhattan, que construiu as bombas atômicas utilizadas contra o Japão.


Um dos assuntos mais recorrentes na pesquisa ufológica tem sido o interesse que os UFOs manifestam sobre as instalações de energia nuclear na Terra. Seja usinas de força ou bases militares dotadas de armas atômicas, nossa utilização desse tipo de energia parece estar sendo cuidadosamente monitorada, e aparentemente desde o princípio.

Documentos recentemente desclassificados comprovam que instalações do Projeto Manhattan, que durante a Segunda Guerra Mundial produziu as bombas atômicas utilizadas naquele conflito, foram sobrevoadas por UFOs. 


O pesquisador Robert Hastings, autor do livro Terra Vigiada, um dos maiores sucessos da Biblioteca UFO, descobriu a respeito do caso envolvendo a instalação de produção de plutônio de Hanford graças a uma mensagem de 2009.

O autor desta foi o tenente da Marinha norte-americana Clarence R. “Bud” Clem, cujo grupo de aviadores foi transferido em março de 1945 para a Estação Aérea Naval de Pasco, a pouca distância de Hanford. Em 2013, o ex-piloto foi entrevistado, como parte do projeto de um documentário que está sendo realizado por Hastings, e cujo vídeo pode ser conferido abaixo. 


A documentação descreve os acontecimentos da seguinte forma: “Resultando de uma aeronave não identificada sobrevoando as instalações da Companhia de Engenharia Hanford em Pasco, Washington, em pelo menos três noites ao longo do último mês… este quartel-general requereu do Comando de Defesa do Oeste a instalação de luzes de busca.


O Décimo-Terceiro Distrito Naval fez arranjos, junto com a Estação Aérea Naval de Pasco, de empregar tanto radares quanto aeronaves de caça para tentar interceptar essas aeronaves não identificadas. O espaço sobre a Companhia Hanford é área restrita. Nossa bateria de luzes de busca foi instalada em 15 de janeiro; um incidente aconteceu desde essa data no qual um contato radar foi feito, e uma tentativa de interceptação noturna novamente falhou”.


Mirage 2000 da FAB estão a venda

Postado por Vinna sexta-feira, abril 29, 2016 0 comentários

Desativados pela Força Aérea Brasileira (FAB) em 2013, os caças Dassault Mirage 2000 foram colocados à venda nesta semana. Ao todo, a FAB planeja vender oito das 12 aeronaves desse tipo que possui, além de um série de equipamentos e peças dos modelos. Em contato com o Airway, o porta-voz da FAB revelou que as quatro unidades restantes ficarão no Brasil e serão preservadas.

A negociação das aeronaves e componentes está sendo realizada na Inglaterra pelo BACE, sigla em inglês para “Comissão Brasileira de Aeronáutica na Europa”. Como mostram os documentos oficiais, a oferta mínima por cada caça é de US$ 2,5 milhões. Esses aviões ainda são valiosas fontes de peças de reposição para os Mirage 2000 que ainda voam.
A venda do material, mesmo desativado, ainda precisa de aprovação do governo francês, que pode barrar as intenções oriundas de países não aliados. Os caças e componentes estão armazenados na base da FAB em Anapólis (GO).
O Mirage 2000 ainda voa nas forças aéreas de países como Emirados Árabes Unidos, Egito, Peru, Índia, Grécia, além da própria França, com mais de 300 aeronaves ativas. A aeronave foi fabricada pela Dassault Aviation entre 1978 e 2007, chegando a 601 unidades produzidas.
O caça francês é até hoje o avião mais potente que já operou com a FAB. O Mirage 2000 usado no Brasil podia voar a mais de 2.500 km/h (mais de duas vezes a velocidade do som).
O Mirage 2000 foi uma solução de emergência adotada pela FAB após a desativação dos Mirage III, em 2005, e enquanto decidia a definição do programa FX-2, para aquisição de novos caças. Nessa época, o caça francês Dassault Rafale era considerado o favorito na disputa, que ainda tinha o Boeing F/A-18 Hornet e o Saab Gripen NG, que foi o escolhido.


Com quase 70 anos de atraso o FBI abre seus arquivos secretos que atestam: HITLER foi para a Argentina em vez de cometer suicídio. Outros relatos anteriores a estas provas indicavam já detalhes da vida de Hitler na Argentina e final de sua vida no Brasil.


A 30 de abril de 1945, Adolf Hitler suicida-se num bunker subterrâneo. O corpo foi descoberto mais tarde e identificado pelos soviéticos, envolto em contradições e histórias, antes de ser levado de volta para a Rússia. É realmente possível , que os soviéticos tivessem mentido todo este tempo, propositadamente para a história ser reescrita?


Ninguém pensava assim até a liberação dos documentos do FBI . Parece que é possível, que o homem mais odiado da história escapou da Alemanha devastada pela guerra e viveu uma vida bucólica e tranquila nos maravilhosos sopés da Cordilheira dos Andes ou alegadamente terá terminado a sua senda em algum longínquo lugar no Brasil. 
 
 

A comunidade secreta sabia!


Registros do FBI divulgados recentemente estão a mostrar que não só Hitler e Eva Braun tiveram suicídios falsificados, mas que a dupla infame pode ter tido a ajuda do diretor suíço dos OSS dos Estados Unidos, Allen Dulles.


Num documento do FBI de Los Angeles, é revelado que a agência estava ciente de um misterioso submarino fazendo caminho até a costa argentina levava para fora altos funcionários nazis. O que é mais surpreendente é o fato estranho que o FBI sabia que ele estava de fato a viver no sopé da Cordilheira dos Andes.

 



Quem é o misterioso informante ?


Numa carta ao escritório de Los Angeles , em agosto de 1945, um informante não identificado concordou em trocar informações de asilo político. 
 
 
O que ele disse aos agentes foi impressionante. O informante não só sabia que Hitler estava na Argentina como confirmou ser um dos quatro homens dentro do submarino alemão. Aparentemente, dois submarinos haviam desembarcado na costa argentina: Hitler e Eva Braun estavam a bordo do segundo.

O governo argentino não só se congratulou com o ditador alemão, como objetivamente também auxiliou no seu esconderijo. 
 
 
O informante não só passou a dar instruções detalhadas sobre as aldeias que Hitler e seu partido tinham passado, como também os detalhes físicos credíveis sobre Hitler. Embora por razões óbvias o informante nunca seja citado nos documentos do FBI , ele era confiável o suficiente para ser acreditado por alguns agentes.


Este informante disse ainda que o líder nazista tinha cortado o seu bigode e vivia num rancho fortemente vigiado. “Se forem a um hotel em San Antonio, Argentina, consigo arranjar um homem que se encontre lá com vocês e vos diga onde é o rancho onde está Hitler”, disse o informante.


A informação chegou ao líder do FBI, J. Edgar Hoover, que a reencaminhou para o Departamento de Guerra.


No entanto, num documento de 21 de setembro de 1945, os agentes do FBI concluíram que devido à pouca informação seria impossível continuar a seguir esta pista. 
 
 

O FBI tentou esconder paradeiro de Hitler


Mesmo com uma descrição física detalhada, o FBI ainda dá indicações sobre como não acompanhar nova tese. Mesmo com evidências que colocaram o submarino alemão U-530 circundando a costa argentina pouco antes de chegar, e uma abundância de testemunhas oculares atestando que o oficial alemão foi deixado, nada nem ninguém foi investigado.


Em 1945, um Adido Naval em Buenos Aires havia informado Washington que havia uma alta probabilidade de que Hitler e Eva Braun tinham acabado de chegar na Argentina. Isso coincidiu com as aparições do submarino U-530. 
 
 
Adicionado à prova estão, sob a forma de artigos de jornais, detalhes da construção de uma mansão em estilo bávaro, no sopé da Cordilheira dos Andes, trabalho do arquiteto Alejandro Bustillo que já escrevera sobre o seu projeto de construção de nova casa de Hitler. Tudo era financiado por ricos imigrantes alemães.



Provas irrefutáveis ​​de que Hitler escapou:


Talvez a evidência mais representativa de que Hitler sobreviveu à queda da Alemanha encontra-se na Rússia. Com a ocupação soviética da Alemanha, o corpo de Hitler deveria ser escondido rapidamente e levado para a Rússia, para nunca mais ser visto. 
 
 
Isso é até 2009, quando um arqueólogo de Connecticut State, Nicholas Bellatoni, foi autorizado a realizar testes de DNA num dos fragmentos do crânio recuperado descobrindo algo que desencadeou uma reação explosiva na comunidade acadêmica. 
 
 
Não só a de que não encontrou nenhuma das amostras de DNA que se pensava ser de Hitler, como elas não correspondem ao DNA de Hitler ou de Eva Braun. Então a questão é, o que os soviéticos descobriram no bunker, e onde estaria Hitler ?


Dwight D. Eisenhower escreveu a Washington estar preocupado com o desaparecimento de Hitler (e não com a morte) e alguns documentos apresentam que não era apenas o general Eisenhower que estava preocupado com o desaparecimento de Hitler, Stalin também expressou essa preocupação. 
 
 

Jornalista afirma que Hitler morou e morreu na Argentina


Muito antes destas certezas ou confirmações já no livro “El Exilio de Hitler” (Ediciones Absalón), do jornalista argentino Abel Basti, de 54 anos, se sustenta que o líder nazi e sua mulher, Eva Braun, não se mataram. 
 
 
“Fugiram” para Barcelona, onde passaram alguns dias, e depois foram para a Argentina de submarino, onde morreu, depois dos anos 60. Dezenas de relatórios mainstream sustentam que a polícia secreta comunista levou os restos mortais (queimados) de Hitler e Eva Braun para a União Soviética. 
 
 
Basti afirma, sem apresentar documentação confiável, que a informação não é verdadeira e que os nazis, como Hitler, o chefe da Gestapo, Heinrich Müller, e Martin Bormann plantaram pistas falsas. 
 
 
Entrevistado pelo jornal “ABC”, em Espanha, sustenta que “existem três documentos” que comprovam que o nazi não se matou: “Do serviço secreto alemão, que dá conta de que chegou a Barcelona, procedente de um voo da Áustria; do FBI, que indica que ‘o exército dos Estados Unidos está gastando a maior parte de seus esforços para localizar Hitler na Espanha’; e um terceiro do serviço secreto inglês, que fala de um comboio de submarinos com líderes nazis e ouro saindo rumo a Argentina, fazendo uma escala nas Ilhas Canárias”.


Um jesuíta nonagenário é apresentado por Basti como uma de suas mais importantes fontes. Ele dispõe de muitas informações sobre a presença de Hitler na Espanha, segundo o jornalista. No livro, porém, não revela nada de sensacional.


Para não ser reconhecido, Hitler cortou o cabelo, ficou quase careca e rapou o bigode. Teria ficado irreconhecível. “O corte do bigode deixou à mostra uma cicatriz, sobre o lábio superior, que não era conhecida por gente comum.”
 

Basti assegura que “a fuga de Hitler estava prevista em um grande plano de evasão — de homens, capital e tecnologia — preparado pelos nazis. Esse plano, em 1945, recebeu luz verde dos norte-americanos, como resultado de um pacto secreto militar de troca de conhecimento e cientistas. Os milhares de nazis que puderam fugir para o Ocidente — dos quais cerca de 300 mil foram para os Estados Unidos — foram ‘reciclados’ [recrutados] para lutar contra o comunismo. Hitler transformou-se num dinossauro vivo, protegido e refugiado”.


O entrevistador Antonio Astorga menciona documentos secretos britânicos nos quais se revela que Hitler fugiu para a Argentina num submarino, “com escala técnica nas Ilhas Canárias”. 
 
 
A versão de Basti: “Antes que o comboio de submarinos partisse da Espanha, a Armada [Marinha] norte-americana retirou todas as suas unidades navais do Atlântico Sul. Os submarinos nazis ‘trocaram mensagens’ com a frota norte-americana. As mensagens foram interceptadas pelos ingleses”. 
 
 
 
 
 
Cidadã brasileira afirma que Hitler morreu no Brasil


Adolf Hitler fugiu da Alemanha e depois de viver noutros países da América do Sul, morreu no Brasil aos 95 anos anos. Este é a tese de doutorado em jornalismo de Simoni Renée Guerreiro Dias, cidadã brasileira.



O ditador recorreu a amigos que tinha no Vaticano e fugiu da Alemanha depois de ter simulado a própria morte, alega a investigadora, que explica que o primeiro destino foi a Argentina após espera por submarino em Barcelona. Já com o apelido alterado para Adolfo Leipzig, Hitler ter-se-á depois mudado para o Paraguai, antes de rumar ao Brasil, onde morreu em 1984, com 95 anos, na cidade de Nossa Senhora do Livramento, no estado de Mato Grosso.


A investigadora, que reside no estado de Mato Grosso, revela que foram os relatos de um alemão idoso com muitas parecenças com Hitler que a levaram a investigar. 
 
 
A mulher encontrou uma fotografia desse homem, datada de 1982, e, segundo o portal Globo, ao manipular a imagem e lhe colocar um bigode, deu aquele que seria o primeiro passo da investigação: aquele homem podia mesmo ser Adolf Hitler.


A tese foi contestada por Cândido Moreira Rodrigues, professor de História Política e Contemporânea da Universidade Federal de Mato Grosso, que acusa a investigação de Simoni de falta de rigor científico.


Sobre o fato de a imagem mostrar um homem e a sua companheira, uma mulher negra, Simoni alega que era parte do disfarce, uma vez que ninguém pensaria que Hitler se envolveria com uma mulher que não fosse caucasiana. 
 
 
Outro dado tido por Simoni como indicação de que era mesmo Hitler aquele «alemão velho», como era chamado no bairro, tem a ver com os relatos de uma freira sobrevivente ao Holocausto que se sentiu mal ao reconhecer Adolfo Leipzig como sendo Hitler, durante uma visita do idoso ao hospital, em 1979.


O caso será desvendado em breve. Simoni conseguiu autorização para exumar o corpo de Adolf Leipzig e recolheu amostras de ADN, que serão comparadas com as de um descendente de Hitler.


Um outro livro, A última operação secreta do Terceiro Reich – de Juan Salinas e Carlos de Napoli – lançado pela Civilização Brasileira – com apoio do Ministério das Relações Exteriores e Cultura da Argentina, relata a misteriosa viagem da Europa à Mar del Plata de dois submarinos alemães, o U-530 e o U-977, após a rendição de 7 de maio de 1945, com grandes conjecturas sobre quais eram os objetivos dessa longa travessia, já depois da rendição alemã. 
 
 
Os submarinos se renderam à Marinha argentina, um Pais simpático ao Terceiro Reich, despertando as maiores desconfianças entre os Aliados, inclusive de que levariam altos dignatários nazistas. Stalin desconfiava que Hitler era um deles.


A calorosa recepção da Marinha em Mar del Plata aos submarinistas alemães aumentou as suspeitas que tinham como pano de fundo as evoluções da politica interna argentina, sob o domínio da dupla Farrell-Peron.


O livro é longo, quase 500 páginas, bem documentado e tem como moldura as complexas condições de rendição dos nazistas aos anglo-americanos e aos soviéticos, duas operações distintas recheadas de desconfianças mútuas, bem como do efêmero Governo do Almirante Doenitz que funcionou entre a anunciada morte do Fuhrer em 30 de abril de 45 e a rendição de 7 de maio.


Trata também das rendições paralelas no Norte da Itália e na Noruega, teatros secundários aonde as forças armadas alemãs não estavam taticamente derrotadas e poderiam resistir ainda se quisessem, bem abastecidas e com equipamento em bom estado.


Na viagem da Alemanha via Noruega para a Argentina, o U-530 torpedeou em 4 de julho, dois meses após a rendição alemã, o cruzador brasileiro BAHIA, que contava com 336 tripulantes, causando grande número de mortes após afundar em 6 minutos.


Esse episódio e outros pouco conhecidos tem um minucioso tratamento nesse livro interessante e surpreendente, mesmo para os que conhecem o tema da Segunda Guerra. São fatos e episódios que se entrelaçam à trama, como a derrota eleitoral de Churchill logo após o fim da Guerra, a Conferência de Potsdam e o encontro de Stálin com Truman pela primeira vez, a primeira deposição e prisão de Peron pela Marinha argentina, o Brasil muito presente na trama, a preparação da grande rota de fuga dos nazistas para a Argentina, que se daria entre 45 e 47. 
 
 
A obra é uma tessitura atraente que prende o leitor, como um bom romance policial e político, todavia trata-se de um livro de história sobre o fechamento da Segunda Guerra com episódios pouco conhecidos, que deixam bem mal a Argentina daquela época.

O governo do Estados Unidos está preste a autorizar duas vendas de caças da Boeing para o Qatar e Kuwait, que há muito tempo vem sendo adiada. O anúncio do negócio de bilhões de dólares pode ser anunciado esta semana durante a visita do presidente Barack Obama ao Golfo, segundo a agência de notícias Reuters, retirado de fontes familiarizadas com o assunto.
Ambas vendas foram adiadas em meio a preocupações levantadas por Israel, temendo que as aeronaves enviadas para os países do Golfo caíssem em mãos erradas e ser usadas contra Israel.
No entanto, o Pentágono e o Departamento de estado já havia dado autorização para a venda de cerca de 36 caças F-15 Eagle para o Qatar e 24 caças F/A18E/F Super Hornet para o Kuwait, ambas aeronaves construídas pela Boeing.
Ainda de acordo com a publicação Reuters, a venda para Kuwait está avaliada em cerca de $3 bilhões de dólares, enquanto a venda para o Qatar ronda os $4 bilhões de dólares.
“Agora, o último obstáculo é conseguir aprovação do Conselho de Segurança Nacional e da Casa Branca”, disse uma das fontes a Reuters.
O Pentágono e o Conselho de Segurança Nacional não comentaram sobre as vendas.
Autoridades de altas patentes norte-americanas, que inclui o secretário da Marinha Ray Mabus, mostraram publicamente a necessidade de aprovação das vendas, o que vai permitir manter a produção de caças de quarta geração da Boeing, enquanto os avançados F-35 entra em serviço nos próximos anos.
Outra alta patente da defesa americana, informou que o Pentágono está ansioso para ver os F-15 e F/A-18 em produção nas linhas de St. Louis.
Segundo a Reuters, a Boeing já está a gastar “centenas de milhões” de dólares na aquisição de materiais para uma possível encomenda do Kuwait para os F/A-18E/F Super Hornets e uma encomenda colocada na lista de “prioridades não financiadas” para 12 jatos para Marinha dos Estados Unidos.
A preocupação maior vai para a linha de produção dos F-15, que está previsto terminar em 2019, após o término de uma grande encomenda para Arábia Saudita, a menos que um pedido adicional seja aprovado.



Considerando que milhares de aeronaves comerciais decolam todos os dias pelo mundo — existem estatísticas que estimam que o número ultrapassa os 100 mil voos diários —, não é de se estranhar que alguns pilotos e tripulações tenham encontros ocasionais com objetos voadores não identificados, você não acha?

A verdade é que há vários relatos de avistamentos intrigantes, e a seguir você poderá conferir quatro testemunhos — selecionados a partir de um artigo de David Tormsen, do portal ListVerse :



1 – Explosão multicolorida 
 
 
 
Andrew Danziger foi piloto de Obama em 2008
 
 
No final da década de 80, durante um voo que ia de Kansas City a Waterloo, no estado de Iowa, depois que a aeronave alcançou a altitude de 4,5 mil metros, o copiloto Andrew Danziger percebeu que havia um disco branco visível através das nuvens no céu. Tanto ele como o comandante avistaram o objeto e, após descartarem a possibilidade de que podia ser a Lua, os dois seguiram com suas atividades enquanto ficavam de olho no círculo luminoso.


Cerca de 20 minutos mais tarde, Danziger se deu conta de que o disco branco havia se transformado em uma enorme bola vermelha que flutuava acima da linha das nuvens e que se mantinha em uma trajetória paralela à do avião. A aeronave então desceu 500 metros, o círculo que a acompanhava a certa distância desapareceu entre as nuvens, e o comandante e o copiloto testemunharam uma explosão de luzes multicoloridas. 


Segundo Danziger, após esse intrigante evento, as nuvens, as luzes e o disco vermelho desapareceram de vista. E, quando a tripulação entrou em contato com os controladores de tráfego aéreo para informar sobre o incidente, os profissionais contaram que não haviam detectado qualquer anomalia nos radares. 


Além disso, os controladores sugeriram que o caso fosse relatado para a National UFO Reporting Center — uma organização norte-americana que investiga casos de avistamentos de OVNIs — como se isso fosse a coisa mais corriqueira do mundo. Aliás, depois de descrever o ocorrido, o pessoal da organização explicou que eles frequentemente recebiam testemunhos semelhantes de outros pilotos. 
 
 

2 – O OVNI de Bariloche 


O caso que vamos contar a seguir ocorreu em Bariloche, na Argentina, em meados da década de 90. Tudo aconteceu em uma noite de inverno, enquanto a cidade sofria com um apagão elétrico, e o voo 674 das Aerolíneas Argentinas — que transportava 102 passageiros e três tripulantes — se aproximava para pousar no aeroporto local. A aeronave se encontrava a 3 mil metros de altitude quando, de repente... 


Um disco luminoso cuja trajetória desafiava as Leis da Física se aproximou e começou a acompanhar o avião. Os controladores de tráfego aéreo relataram que os instrumentos ficaram malucos, e o objeto voador chegou a ser avistado não só pelas pessoas que se encontravam no voo, mas também pelo pessoal em terra e pela polícia quando a aeronave se encontrava a apenas 600 metros do solo.




Segundo o piloto, minutos antes de pousar, depois de ter recebido autorização da torre, ele notou uma luz branca que se movia rapidamente em sua direção, parando bruscamente a 100 metros de distância diante do avião. Quando o comandante começou a manobrar novamente, o objeto fez uma curva estranha e passou a acompanhar a descida, se posicionando ao lado da aeronave. 


O OVNI — que tinha o tamanho de um avião — também mudou de cor, e o piloto descreveu que ele tinha um par de luzes verdes na traseira e um brilho intermitente e alaranjado no centro. 


O comandante também contou que, ao tentar pousar, as luzes da pista se apagaram, o que o obrigou a arremeter, e o objeto fez a mesma manobra, só que a uma velocidade alucinante, e ficou parado a uns 3 mil metros de altitude esperando a aproximação do avião. Por fim, quando a aeronave recebeu nova autorização para pousar, o OVNI simplesmente desapareceu em alta velocidade. 
 
 

3 – O incidente de Labrador 


De acordo com o comandante James R. Howard — antigo piloto da Força Aérea Real Britânica—, durante uma viagem de Nova York a Londres em 1954, o Boeing 377 Stratocruiser da companhia British Overseas Airways Corporation que ele pilotava foi cercado por diversos objetos voadores não identificados enquanto a aeronave sobrevoava a cidade de Labrador, no Canadá.





Segundo ele explicou, não se tratava de uma única nave, mas sim de um objeto maior acompanhado por vários objetos menores que voaram ao lado do Boeing por uma distância de 130 quilômetros — ou o equivalente a 18 minutos. Além disso, conforme disse Howard, as naves mudaram sua formação algumas vezes durante o trajeto. 


E além de o incidente ter sido acompanhado pela tripulação — e até por alguns passageiros do Boeing —, o encontro ainda teria sido registrado pelos radares da Força Aérea dos EUA situados em Labrador. Embora Howard estivesse convencido de que o que eles presenciaram foi um encontro real com OVNIs, algumas teorias foram propostas para explicar o que aconteceu. 


O pesquisador belga Wim Van Utrecht, por exemplo, acredita que poderia ser o caso de um grande bando de pássaros — possivelmente estorninhos — voando em formação. No entanto, o problema dessa explicação seria a altitude, já que os animais não costumam voar tão alto, sem falar na velocidade, especialmente porque os objetos teriam acompanhado o avião de Howard por mais de 100 quilômetros. 
 
 

4 – Avistamentos em Washington 


Na verdade, o caso que vamos contar agora não se refere a apenas um único relato — mas sim a vários testemunhos. O incidente aconteceu em 1952 e começou quando os controladores de tráfego aéreo do Aeroporto Nacional de Washington identificaram uma porção de sinais estranhos no radar e contataram aviões comerciais na área para checar se os pilotos haviam visto algo de estranho.




Um dos pilotos respondeu, dizendo ter visto diversas luzes que pareciam estrelas cadentes se movendo rapidamente em várias direções. Outro comandante também se pronunciou, relatando que uma luz o havia seguido enquanto sua aeronave se aproximava de seu destino — e não demorou até que vários jatos de guerra fossem mobilizados para investigar. 


Os caças não encontraram nenhuma irregularidade, mas, uma semana depois, os sinais voltaram a aparecer nos radares. Dessa vez, no lugar de contatar aviões comerciais, os controladores de voo enviaram aviões militares para descobrir o que estava acontecendo, e os pilotos contaram que perseguiram luzes estranhas que se moviam incrivelmente depressa.
 
 
 
 

Inclusive existem rumores de que o então presidente norte-americano — Harry Truman — chegou a autorizar os pilotos a abater os objetos. 
 
 
No entanto, a ordem teria sido retirada depois que diversos cientistas (entre eles ninguém menos do que Albert Einstein) alertaram que o ato poderia ser interpretado como uma quebra das leis universais de hospitalidade, resultando em os aliens devolvendo a “gentileza”. 


Sejam rumores ou não, o fato é que a explicação da Força Aérea dos EUA é que as interferências luminosas registradas pelos radares provavelmente foram provocadas por inversões de temperatura. 


Segundo essa teoria, bolsões de ar frio formados sob o ar quente durante o verão fariam com que os sinais emitidos pelos equipamentos batessem em objetos — como carros e torres de transmissão — localizados na superfície, aparecendo nas telas dos radares como se eles estivessem a vários metros de altitude.

Um incidente mal esclarecido terá posto frente a frente caças russos e israelitas, quando estes voavam no espaço aéreo sírio, ao longo da linha da costa.

O website do diário Times of Israel inventaria as notícias que ontem saíram em vários meios de comunicação israelitas, com versões desencontradas sobre o incidente. Assim, o Yedioth Aaronot relatava-o como um momento de tensão entre um caça israelita e um caça russo, que terá  descolado para interceptá-lo, mas sem consequências relevantes.
Já para a estação de televisão Channel 2, o incidente foi mais sério e envolveu uma esquadrilha russa e outra israelita, que estiveram à beira de uma verdadeira batalha aérea. O confronto só terá sido evitado no último instante, pela intervenção de um organismo de coordenação entre oficiais israelitas e russos.

Ainda uma outra versão, do Channel 10, sustenta que um caça russo foi ao encontro de uma esquadrilha israelita, mas sem ter havido risco iminente de confronto.

As notícias vieram agora a público, mas o incidente já tinha ocorrido há vários dias. Entretanto, na quinta feira, o presidente russo Vladimir Putin e o primeiro ministro israelita Benjamin Netanyahu reuniram-se, tendo em agenda, especificamente, as medidas para impedir confrontos acidentais entre forças russas e israelitas no cenário da guerra civil síria. Netanyahu anunciou que voltaria à Rússia em 7 de junho próximo.
Ainda a respeito do incidente entre as duas forças aéreas, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, emitiu um desmentido, segundo o qual seriam "distantes da realidade" as notícias veiculadas pela imprensa israelita sobre o alegado confronto, ou sua iminência.

 Do RTP


Para quem pensava que com a saída das tropas da Rússia na guerra da Síria ordenada por Vladimir Putin, o perigo de conflitos em proporções mundiais diminuiria, enganou-se redondamente. Em 24/11 do ano passado um caça SU-24 russo foi derrubado quando operava em território sírio a partir do ataque de um F-16 da Força Aérea Turca, caracterizando a violação do espaço aéreo da Síria pela Turquia. 
Poucos dias atrás foi a vez dos russos dispararem 2 vezes seguidas contra aviões de combate F-16 oriundos de Israel conforme veiculado recentemente por um jornal israelense. Apesar da fonte não ter revelado exatamente quando ocorreram os disparos, local dos mesmos ou se os aviões de Israel foram atingidos, presume-se que não faz muito tempo da ocorrência do agravamento bélico. 
Notícias veiculadas pelo Debka, que é um site de Israel, chegaram a confirmar que os disparos aéreos ocorreram dia 20/04, quarta-feira, onde uma formação de 4 aviões F-16 israelenses, invadiram novamente o espaço aéreo da Síria e se aproximaram bastante de Hamaimim, local onde fica a base aérea síria com grande concentração das tropas da Rússia no país. 
Não deu outra, pois imediatamente o comandante russo, ordenou que 2 aeronaves SU-30 alçassem vôo e interceptassem os caças de Israel, enquanto que paralelamente as temidas baterias antiaéreas russas, S-300 e S-400, foram disponibilizadas para disparar a qualquer momento, configurando estado de alerta total. 
Para quem pensava que com a saída das tropas da Rússia na guerra da Síria ordenada por Vladimir Putin, o perigo de conflitos em proporções mundiais diminuiria, enganou-se redondamente. Em 24/11 do ano passado um caça SU-24 russo foi derrubado quando operava em território sírio a partir do ataque de um F-16 da Força Aérea Turca, caracterizando a violação do espaço aéreo da Síria pela Turquia. 

Poucos dias atrás foi a vez dos russos dispararem 2 vezes seguidas contra aviões de combate F-16 oriundos de Israel conforme veiculado recentemente por um jornal israelense. Apesar da fonte não ter revelado exatamente quando ocorreram os disparos, local dos mesmos ou se os aviões de Israel foram atingidos, presume-se que não faz muito tempo da ocorrência do agravamento bélico. 
Notícias veiculadas pelo Debka, que é um site de Israel, chegaram a confirmar que os disparos aéreos ocorreram dia 20/04, quarta-feira, onde uma formação de 4 aviões F-16 israelenses, invadiram novamente o espaço aéreo da Síria e se aproximaram bastante de Hamaimim, local onde fica a base aérea síria com grande concentração das tropas da Rússia no país. 
Não deu outra, pois imediatamente o comandante russo, ordenou que 2 aeronaves SU-30 alçassem vôo e interceptassem os caças de Israel, enquanto que paralelamente as temidas baterias antiaéreas russas, S-300 e S-400, foram disponibilizadas para disparar a qualquer momento, configurando estado de alerta total. 

Autoridades norte-americanas exigiram que a empresa Boeing faça reparos “urgentes” em um dos motores que equipam os aviões modelo 787 da nova geração da companhia.

A preocupação é com a possibilidade de o equipamento se desligar durante os voos. 

A medida foi recomendada após um incidente ocorrido num voo de um 787 da Japan Airlines, em 29 de janeiro, que fazia a ligação entre a cidade canadense de Vancouver e a capital japonesa, Tóquio, destaca a agência de aviação norte-americana (FAA, na sigla em inglês), em um documento na internet. A necessidade de reparos é apenas do motor direito dos 787.
A diretriz da FAA, que tem autoridade apenas em companhias aéreas norte-americanas, abrange 43 aviões nos Estados Unidos, mas 176 Boeing 787 pertencentes a 29 companhias aéreas em todo o mundo serão afetadas. 

No incidente ocorrido com o 787 da Japan Airlines, o motor direito do aparelho parou de repente, quando a aeronave estava 20 mil pés (6,096 quilômetros) acima do nível do mar.
Os pilotos não conseguiram religar o motor, mas foram capazes de aterrissar poucos minutos após o incidente. 




Os dois pedaços de uma aeronave encontrados perto do litoral de Moçambique pertencem "quase que com toda segurança" ao voo MH370 que desapareceu no dia 8 de março de 2014 com 239 pessoas a bordo, informaram nesta terça-feira fontes oficiais.
Segundo as conclusões das análises realizadas pelo Escritório para a Segurança no Transporte da Austrália (ATBS, sigla em inglês), que lidera as buscas pela aeronave, as duas peças faziam parte da fuselagem do Boeing 777 da companhia aérea Malaysia Airlines.
Publicidade
Os dois pedaços, encontrados no dia 27 de dezembro de 2015 e em 27 de fevereiro de 2016 em dois pontos separados por cerca de 220 quilômetros, próximos de Moçambique, "serão devolvidos esta semana à Malásia", afirmou a ATBS em comunicado.
Os destroços seriam um segmento do "FTP", uma espécie de barra sobre os flaps (peças móveis) nas asas do avião, e um painel de estabilização horizontal com placa 9MN-MRO, o que indicaria sua relação com o Boeing 777 da companhia aérea malaia.
A autoridade australiana também está investigando desde a semana passada outras duas peças, encontradas na África do Sul e nas Ilhas Maurício, para determinar sua procedência.
Esses quatro fragmentos se somam a outro de uma asa que foi encontrado em julho de 2015 na ilha francesa de Reunião, a leste de Madagascar, naquele que foi o primeiro indício tangível de que o Boeing 777 caiu no Oceano Índico.
A Austrália lidera uma operação, na qual também participam Malásia e China, que busca os destroços do avião em uma área remota do Oceano Índico com cerca de 120 mil quilômetros quadrados.
O voo MH370 desapareceu 40 minutos após decolar de Kuala Lumpur, na Malásia, rumo a Pequim, na China, depois que, segundo a investigação oficial, alguém desligou os sistemas de comunicação e mudou drasticamente a rota da aeronave, que teria caído no mar assim que acabou o combustível.
Da Exame

Brasil terá uma das maiores altas na produção de petróleo

Postado por Vinna segunda-feira, abril 18, 2016 0 comentários

O Brasil será um dos países com maior aumento da produção de petróleo em 2016, segundo a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).
Em meio às discussões sobre eventual congelamento dos volumes entre os grandes exportadores globais, como Arábia Saudita, Irã e Rússia, a entidade prevê que a produção média do Brasil deve alcançar 3,1 milhões de barris diários (BDP), acima dos 3,06 milhões de barris diários de 2015. O aumento vem especialmente do pré-sal.
Publicidade
Após o Brasil ter registrado aumento de 210 mil barris na produção de petróleo no ano passado, o ano começou com queda dos volumes para 3 milhões de barris diários no primeiro trimestre.
A retração é explicada pelo declínio dos volumes extraídos em áreas maduras de produção da Bacia de Campos, diz a Opep. Ao todo, essa área tradicional de produção deve reduzir os volumes em cerca de 250 mil barris na comparação com o ano passado.
Apesar disso, o aumento da produção nas plataformas do pré-sal deverá compensar o declínio de Campos, diz o cartel dos exportadores. Assim, a Opep prevê que a produção média do Brasil se recuperará com 3,1 milhões de barris no segundo trimestre, 3,2 milhões de barris no terceiro trimestre e 3,3 milhões de barris nos últimos três meses do ano.
Na média de 2016, a entidade estima em 3,1 milhões de barris diários produzidos pelo Brasil.
"Em 2016, há expectativa de que Estados Unidos, México, Reino Unido, Casaquistão, Azerbaijão, China, Iêmen e Colômbia tenham os maiores declínios, enquanto Brasil, Canadá, Malásia, Omã e Austrália verão os maiores crescimentos", diz a entidade no relatório de abril.
De acordo com a entidade, a produção mundial deve alcançar média de 62,7 milhões de barris diários em 2016, volume 600 mil barris menor que os 63,3 milhões de barris do ano passado.
Individualmente, EUA (queda de 400 mil barris ante 2015), México, Reino Unido e China (todos com retração de 100 mil barris) darão as maiores contribuições para a queda da produção global neste ano.

Da Exame


A produção de petróleo no pré-sal chegou a 873,5mil barris de petróleo por dia (bbl/d), um aumento de 6% em relação ao mês anterior, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), nesta segunda-feira (04).
De acordo com a ANP, foram produzidos ainda 34,6 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d) de gás natural oriundos de 54 poços do pré-sal, totalizando 1,091 milhão de barris de óleo equivalente por dia (boe/d).
A produção total de petróleo e gás natural no Brasil no mês de fevereiro alcançou 2,950 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d).
Já a produção total de petróleo em fevereiro de 2016 foi de cerca de 2,335 milhões de barris por dia (bbl/d), uma redução de 0,8%, em relação ao mês anterior e de 4%, em comparação com o mesmo mês do ano passado.
Ainda de acordo com a ANP, produção de gás natural totalizou 97,7 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d), um aumento de 0,5% frente ao mês anterior e de 2,5 % na comparação com o mesmo mês em 2015.
Gás
A agência informou ainda que o aproveitamento de gás natural no mês foi de 95,2%, e que a queima de gás em fevereiro foi de 4,7 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d). Isso representa um crescimento de 43,8% em relação a janeiro e 44,3%, em comparação com fevereiro de 2015.
"O aumento da queima de gás natural no mês foi devido, principalmente, ao comissionamento da plataforma FPSO Cidade de Maricá, que iniciou suas operações no mês de fevereiro", explicou, em nota.

Do G1

-

Frases

Audaces fortuna juvat - "A sorte protege os audazes" (verso da Eneida de Virgílio)
O Brasil não é um país beligerante, mas deve deter meios para defender sua soberania, caso isso seja necessário. Afinal, há de se lembrar sempre que paises não tem amigos tem interesses.

"Computadores são como bicicletas para nossa mente" - Steve Jobs

"Um homem quando está em paz não quer guerra com ninguém..."Musica Só Os Loucos Sabem - Charlie Brown Jr. - Composição: Chorão/Thiago Castanho.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
“Não precisa fazer a bomba. Basta mostrar que sabe““Abrir mão de possuir armas é uma coisa, abrir mão do conhecimento de como fazê-las é outra coisa“ - Dalton Ellery Girão Barroso do IME
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"um submarino nuclear tem muito pouco propósito a não ser que seja visto como parte de um sistema de disparo de armamento nuclear. Sem armas nucleares, é difícil entender" - Cientista indiano Prabir Purkayastha, especialista em sistemas energéticos e energia atômica
“O brasileiro é muito tranquilo. Nós dominamos a tecnologia da energia nuclear, mas ninguém aqui tem uma iniciativa para avançar nisso. Temos que avançar nisso aí. É vantagem? É, até do ponto de vista de dissuasão é"... "Nós temos que nos despertar que o Brasil para ser um país realmente forte tem que avançar nisso aí. Especialmente para fins pacíficos. E mesmo a arma nuclear utilizada como instrumento dissuasório é de grande importância para um país que tem 15 mil quilômetros de fronteiras a oeste e tem um mar territorial e agora esse mar do pré-sal, de 4 milhões de metros quadrados de área”. - Vice-Presidente do Brasil, José Alencar


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
“Nós somos contra a proliferação nuclear, nós somos signatários do tratado de não-proliferação [de armas nucleares], mas não podemos renunciar ao conhecimento científico” - Ministro de Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral


Audiência

Cotação do Hangar

Mais vistas na última semana

Postagens populares últmos 30 dias

Marcadores

Brasil (1738) USA (1716) Esquema (1424) Defesa Brasil (1367) aviação (1342) Zona de Conflito (1190) tecnologia (1124) sinistro (1101) Geopolitica (935) História (823) Video (758) aviação militar (738) Russia (699) Afeganistão (666) Espaço (655) EMBRAER (581) China (571) Defesa USA (567) OTAN (499) Estratégia (466) Diplomacia (440) ONU (436) Boeing (428) noticia (425) ww2 (409) Espionagem (403) Nuclear (391) AGRESSÃO AO BRASIL (381) Brasil Potência (374) Irã (366) Insólito (364) Libia (356) UNIÃO/Defesa America do Sul (348) Argentina (346) Terrorismo (346) Inglaterra (345) By Vinna (343) Israel (339) Industria Brasil (312) Ciberguerra/Cyber Attacks (301) França (298) opinião (294) Defesa Russia (288) Industria Americana (284) Hoje na História (273) Siria (242) Europa (236) curiosidade (232) NASA (230) direito (218) Segurança Pública (214) Chile (209) Industria Russia (209) Exercícios Militares (202) Evangelho do dia (201) Defesa Irã (200) Lockheed (200) Dassault (197) Alemanha (188) Industria Francesa (178) Drone (177) SAAB (176) Defesa India (171) NSA (162) India (159) Defesa Venezuela (157) Oriente Médio (156) Japão (155) CIA (151) Petrobrás e biocombustivel (149) Coreia do Sul (147) Nova Guerra Fria (138) Front Interno (137) Airbus (136) OVNIs (132) Arqueologia Militar (131) Defesa Chile (126) F1 (126) Defesa Europa - OTAN (122) Sukhoi (122) Defesa China (120) Eixo Bolivariano (120) Ceará (118) Acidente AF 447 (116) Defesa Israel (114) PRISM (114) AVIAÇÃO CEARÁ (112) Africa do Sul (112) Rosoboronexport (112) EADS (110) Coreia do Norte (109) Ucrania (109) Iraque (106) Palestina/Gueto de Gaza (104) Venezuela (104) Turquia (103) Malasia (100) Defesa França (99) Asia (95) Evento (94) Itália (93) Terminator (93) Dissuasão (89) Sovieticos (88) Rolls-Royce (87) Acidente MH370 (85) Guerra Cambial Mundial (85) União Europeia (85) Bolivia (84) Industria Europeia (83) obituário (83) Falkland/Malvinas (82) MiG (80) AVIC (79) Arábia Saudita (78) General Electric (77) Defesa Portugal (76) Industria Chinesa (76) Industria Sueca (76) Defesa Colombia (75) Guerra da Amazônia (74) Saúde (73) Filme (71) Paquistão (70) BRIC (68) 2014 (66) Africa (66) Suécia (66) DARPA (65) Petroleo (64) Espanha (63) Minustah (60) Crime de Guerra (58) Russian Helicopters (58) Portugal (57) Armas Quimicas (55) Canadá (55) Defesa Equador (55) Defesa Iraque (55) Estreito de Ormuz (55) De olho na Imprensa (54) AIEA (52) HANGAR DO VINNA (52) AEB (51) Elbit (51) Mar da China (51) ciência (51) 2012 (50) Colombia (50) Egito (50) Energia (50) Avião (49) BAE Systems (49) Colirio (49) FICHA TECNICA (48) Taiwan (48) Australia (47) Defesa Coréia do Sul (47) Defesa Japão (47) Emirados Árabes (47) Defesa Peru (46) Libano (46) Mali (46) Hawker Beechcraft (45) crimeia (45) Avibrás (44) Stealth (44) Industria Israel (42) Vietnã (42) DCNS (41) Defesa Britânica (41) Northrop Grumman Corp (40) Rio 2016 (40) Helibras (39) Holanda (39) esporte (39) Defesa Paquistão (38) Hindustan Aeronautics (38) Industria India (37) MATRIX (37) Peru (37) ISS (36) Paraguai (36) União Africana (36) Equador (35) Eurocopter (35) Mar do Japão (35) Star Trek (35) Uruguai (35) Finmeccanica (34) Georgia (34) Pioneiro do ar (34) Cuba (33) IAI (33) Industria (33) Industria Iraniana (33) veículo (33) Corrente do Bem (32) Pici Field (32) Suiça (32) Odebrecht (31) Sikorsky (31) AEL (30) Recebi por e-mail (30) Antonov (29) Argélia (29) Defesa Coréia do Norte (29) Iemen (29) Indonésia (29) Qatar (29) digital (29) Aircraft For Sale (28) Cazaquistão (28) Defesa Emirados Árabes (28) Defesa Haiti (28) Industria Italia (27) Mar do Sul da China (27) Polonia (27) Biografia (26) Defesa Uruguai (26) Filipinas (26) Nazistas (26) Defesa Turquia (25) IVECO (25) Angola (24) Defesa Itália (24) Defesa Polonia (24) Denel (24) FAdeA (24) Mexico (24) Narcotrafico (23) Noruega (23) OEA (23) 2013 (22) CATIC (22) Colonialismo (22) Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (22) Defesa Siria (22) Industria Portugal (22) Jordania (22) livro (22) Austrália (21) Defesa Espanha (21) Defesa Georgia (20) HESA/IAIC (20) Industria Alemanha (20) MERCOSUL (20) Romenia (20) Turkish Aerospace (20) Agusta (19) Bombardier (19) Defesa Libano (19) GS Yuasa (19) Tupolev (19) Bell (18) Defesa Indonésia (18) Defesa Paraguai (18) Dinamarca (18) Grécia (18) HESA (18) Industria Espanha (18) Rosocosmos (18) Tailandia (18) Defesa Taiwan (17) OMC (17) teoria dos falcões (17) Belgica (16) CASA (16) Defesa Libia (16) Haiti (16) Ilyushin (16) Industria Inglesa (16) MUSICA (16) McDonnell Douglas (16) Nigeria (16) Omã (16) Sierra Nevada Space Systems (16) Beechcraft (15) Bielorussia (15) Guatemala (15) Honduras (15) KAI (15) Kuwait (15) Mectron (15) OrbiSat (15) Star Wars (15) Sudão (15) Antartida (14) Bulgaria (14) Cingapura (14) Congo (14) Coréia do Sul (14) Defesa Kuwait (14) Defesa Malasia (14) HUMOR (14) Nova Zelândia (14) Bahrein (13) Defesa Marrocos (13) ESA (13) KMW (13) Lei do Abate (13) PreSal (13) Raytheon (13) Servia (13) ww1 (13) Colômbia (12) Defesa Suiça (12) Defesa Suécia (12) FBI (12) Kamov (12) Liga Arabe (12) República Tcheca (12) Shenyang Aircraft (12) Sri Lanka (12) Yantar (12) industria Coreia do Sul (12) 2016 (11) Atech (11) Austria (11) Bangladesh (11) Defesa Rep.Dominicana (11) Defesa Romenia (11) Defesa Tailandia (11) Defesa Ucrania (11) Fim dos tempos (11) Industria Japão (11) Irkut (11) Mitsubishi (11) PAC Kamra (11) SpaceX (11) Thales (11) Unifil (11) Anonymous (10) CREA (10) Croacia (10) El Salvador (10) Finlândia (10) Google (10) Hungria (10) Industria Turquia (10) Mauritania (10) Microsoft (10) Navantia (10) OPEP (10) Pilatus (10) Quirguistão (10) Revolucao do "Tudo Gratis" (10) religião (10) 2015 (9) Aero (9) COMAC (9) Cesna (9) Chad (9) Defesa Jordania (9) Guerra Fria (9) Harbin (9) INACE (9) Sisfron (9) Somalia (9) Chengdu (8) FAA (8) Gana (8) Industria Argentina (8) Inteligencia Artificial (8) MBDA (8) Niger (8) Peninsula Coreana (8) Renault (8) ThyssenKrupp (8) defesa Iêmen (8) ANAC (7) Aero Vodochody (7) Aeroespatiale (7) Armenia (7) Defesa Noruega (7) Defesa Sudão (7) Defesa Vietnã (7) ENAER (7) FMI (7) Férias (7) General Dynamics (7) OGMA (7) OMS (7) Olimpiada (7) Panamá (7) Quenia (7) Republica Theca (7) oceania (7) British Aerospace (6) Brunei (6) Defesa Qatar (6) ELTA Systems (6) Guiana (6) Guiné-Bissau (6) LET (6) Mianmar (6) Pratt Whitney (6) Rep.Dominicana (6) Tribunal de Haia (6) Tunísia (6) Uganda (6) 2018 (5) 2020 (5) ARTICO (5) Aeroeletrônica (5) Artigo (5) Azerbaijão (5) Defesa Namibia (5) Dornier (5) Estonia (5) Europa do Leste (5) Fokker (5) Inbra (5) Lituania (5) MARKETING PESSOAL (5) Nicaragua (5) Print 3D (5) Suriname (5) 2017 (4) 2040 (4) AIE (4) Alianca Pacifico (4) Apple (4) Aquecimento Global (4) Beriev (4) Cabo Verde (4) Colinas do Golã (4) ENGESA (4) Eslovaquia (4) General Eletric (4) Huawei (4) IBM (4) INDRA (4) INPE (4) ISAF (4) Irlanda (4) Islandia (4) Kalashnikov (4) Kaspersky Lab (4) Marrocos (4) Messerschmitt (4) Moçambique (4) Myanmar (4) Namibia (4) Novaer (4) OSK (4) Patria Aviation (4) Pirataria/Tortuga (4) Rekkof Aircraft (4) Resenha (4) Rio+20 (4) Rockwell (4) Rostvertol (4) SIPRI (4) Selex Galileo (4) Senegal (4) Sevmach (4) Sudão do Sul (4) Titanic (4) Yakovlev (4) ZTE (4) armas eletromagnéticas (4) 2030 (3) AGX (3) Air Race (3) Akaer (3) Albânia (3) Avia (3) Bukina Faso (3) Curdistão (3) EMBARGO (3) Eritrea (3) Facebook (3) General Atomics (3) Guinness Book (3) Harpia (3) Helibrás (3) Honda (3) IMBEL (3) MH-17 (3) MIT (3) Mercenarios (3) Neonazistas (3) OAK (3) OAS (3) Oboronprom (3) Opto Eletrônica (3) Qantas (3) Rafael (3) Samsung (3) Sirius (3) Tajiquistão (3) Tecnobit (3) Trinidad e Tobago (3) Turismo (3) Ukrspetsexport (3) VARIG (3) Zimbabwe (3) ilhas Kurilas (3) prosub (3) savis (3) 2003 (2) AIDC (2) ARAMAR (2) ASMAR (2) Agrale (2) Air Tractor (2) Andrade Gutierrez (2) Astrium (2) Bielorrússia (2) Bigelow Aerospace (2) Birmânia (2) Boston Dynamics (2) Botswana (2) BrahMos (2) Britânica (2) CIAC-Corporación de la Indústria Aeronáutica Colombiana (2) COTEMAR (2) Caltech (2) Camarões (2) Camboja (2) Cirrus (2) DROGA (2) DSME (2) De Havilland (2) ENGEPRON (2) El (2) Enstrom (2) Flight Technologies (2) Ford (2) G20 (2) GROB (2) Harris Corporation (2) Hong Kong (2) IACIT (2) INDUMIL (2) IZHMASH (2) Imperialismo (2) Itaipu (2) Iugoslávia (2) Iêmen (2) KAPO (2) Kongsberg (2) Kosovo (2) Laos (2) Launch Services (2) Letonia (2) Liebherr-Aerospace (2) Luxemburgo (2) Maldivas (2) Malta (2) Malásia (2) Marsh Aviation (2) Massacre (2) México (2) Nepal (2) Next Generation Aircraft/Fokker (2) Nissan (2) Obvilion (2) Orbital Technologies (2) PDVSA (2) Queiroz Galvão (2) RSC Energia (2) Robocop (2) Rosvertol (2) Ruag Aerospace (2) Santos Lab (2) Scania (2) Seagate (2) Sevmash (2) Sony (2) Synergy Defense (2) TAP (2) TAP Maintenance and Engineering (2) Tekever (2) Telebras (2) Togo (2) Toshiba (2) Toyota (2) United Shipbuilding Corporation (2) Usbequistão (2) Vaticano (2) Western Digital (2) YPF (2) Yugoimport (2) Zambia (2) comissao da verdade (2) panair (2) xian (2) Índia (2) 1950 (1) 1962 (1) 2011 (1) 2024 (1) 2025 (1) 2032 (1) 2035 (1) 2047 (1) 2050 (1) 2068 (1) ACS Aviation (1) ADCOM Systems (1) ALMA (1) ANATEL (1) AOL (1) ASTRAEA (1) ATE (Advanced Technologies and Engineering) Aerospace (1) ATK (1) Active Space Technologies (1) Aero-Engine Goup Corp (1) Aeromot (1) Aeroscraft (1) Aerotech (1) Araguaia (1) Ares Aeroespacial (1) Atlas Elektronic (1) Aurora Technologies (1) AutoGyro (1) Aviakor (1) Avio Group (1) BLOG (1) BMW (1) BUG (1) Baterias Moura (1) Belarus (1) Benin (1) Beretta (1) Beureau LUTCH (1) BioExplorers (1) Bloom e Voss (1) Burevestnik (1) Burocracia (1) CACMA (1) CAE (1) CAIGA (1) CBC (1) CETEC (1) CTEx (1) Camargo Corrêa (1) Cellebrite (1) Ceska Zbrojovka (1) China Broad Group (1) Chrysler (1) Citasa (1) Complejo Industrial Naval Argentino - CINAR (1) Condor Tecnologias (1) Continental Motors (1) Conviasa (1) Costa Rica (1) Costa do Marfim (1) Cotecmar (1) Curaçao (1) DNA (1) DRS (1) Da Vinci Code (1) Daewoo (1) Daimler (1) Damen Shipyard (1) Dark Web (1) Datsun (1) Dearman Engine Company (1) Democracia (1) Diageo (1) Diamond Aircraft (1) DoniRosset (1) Dropbox (1) Dígitro (1) EASA (1) EIKE (1) ELEB (1) ESO (1) Ecopetrol (1) Enercon GmbH (1) Energomash (1) Engevix (1) Equipaer (1) Eslovenia (1) Estaleiro Atlantico Sul (1) Esterline (1) Esterline Electronics (1) Etiopia (1) Evektor (1) Evolução (1) Fairchild (1) Fassmer (1) Ficantieri (1) Fincantieri (1) Flying Legends (1) Focal Aviation (1) Foxconn (1) Fujitsu (1) GCHQ (1) GM (1) GeneXus (1) General Motors (1) Genetica (1) Global tech (1) Gorizont (1) Grauna Aerospace S.A (1) Guerrilha (1) Guizhou Aviation (1) Gulfstream (1) Hamilton Sundstrand Corporation (1) Heckler e Koch (1) Heinkel (1) Holocausto (1) Hybrid Air Vehicles (1) IAMI (1) INTA (1) Ilhas Samoa (1) Ilhas Seychelles (1) Increase Aviation Service Ltda (1) Inter RAO (1) International Aero Engines (1) Israel Military Industries (1) JDI Holdings (1) Jet Propulsion Laboratory (1) Jiuyuan Hi-Tech (1) KAMAZ (1) Kangnam Corporation (1) Kawasaki (1) Kazan (1) Kazaquistão (1) LIATEC (1) LINKS (1) Lihttp://www.blogger.com/img/blank.gifbano (1) Linux (1) Lituânia (1) Lufthansa Technik (1) Líbia (1) MALAT (1) MDA (1) MPX (1) Martin-Baker (1) Maçonaria (1) Messier-Bugatti-Dowty (1) Milestone Aviation Group (1) Modelismo (1) Moldávia (1) Molgolia (1) Mongolia (1) Motor Sich (1) Motorola (1) Mowag (1) NKAU (1) NPO Saturn (1) NTSB (1) National Rifle Association (1) Near Eart Autonomy (1) Norse Corp (1) OGX (1) OTT Blindados (1) Oddyssey (1) Odessa (1) Ominsys (1) Orbital Corporation (1) Oto Melara (1) PZL Mielec (1) Pacifismo (1) PalTalk (1) Paramount Group (1) Polaris (1) Polônia (1) Porto Rico (1) QinetiQ (1) R2Tech (1) RKF Tecnologia (1) Ralls Corp (1) Reaparelhamento (1) Remington (1) Renova Goup (1) Reshetnev (1) Rontan (1) Rosatom (1) Rossin-Bertin Vorax (1) Rostekhnologii (1) Rotax (1) Rudolph Usinados (1) Sabia-Mar (1) Sagem (1) Saker Aircraft (1) Sale (1) Sanofi (1) Savis Tecnologia (1) Securaplane Technologies (1) Siemens (1) Soko (1) Solar Impulse (1) Space Exploration (1) Spyker (1) Stidd Systems (1) SwampWorks (1) São Tomé e Príncipe (1) TAO (1) TELMEX (1) TIM (1) Tanzania (1) Taser (1) Taurus (1) Telecom Itália (1) Terrafugia (1) Textron (1) Thielert Aircraft Engines (1) Timor Leste (1) Tortura (1) Troller (1) Turcomenistão (1) UEE (1) UNDOF (1) UTVA Aircraft (1) United Aircraft Corporation (1) United Technologies Corporation (UTC) (1) Urban Aeronautics (1) VSMPO-AVISMA (1) Vanguard (1) Vector Aerospace (1) Velika Gorica (1) Virgin Galactic (1) Voronezh (1) WZL-Wojskowe Zaklady Lotnicze (1) Wega (1) World Aeros (1) XMobots (1) Xi'an Aircraft (1) Yahoo (1) Yakhont (1) YouTube; Skype (1) android (1) bullying (1) clonagem (1) eco (1) feganistão (1) fine (1) htc (1) isra (1) racismo (1) rosco (1) whatsapp (1) ww3 (1) x9 (1) África do Sul (1)

Salmo

Meta: Informação Livre e um Blog novo todo dia

Bem vindo, amigo visitante: Procuro atualizar o blog várias vezes por dia e este trabalho solitário é feito pensando em vocês. Financeiramente Não ganho NADA a não ser a amizade de alguns de vocês... ALGUMAS IMAGENS RETIREI DA INTERNET SEM AUTORIA. SE ALGUMA DELAS FOR PROTEGIDA POR DIREITOS AUTORAIS, A VIOLAÇÃO NÃO FOI INTENCIONAL, NESTE CASO, SE NÃO ME FOR AUTORIZADA A EXPOSIÇÃO DA MESMA, A IMAGEM SERÁ RETIRADA DO BLOG, BASTA QUE ENTREM EM CONTATO POR COMENTARIO OU EMAIL.
Vinicius Morais - Vinna

Translate

Pesquisar este blog

Carregando...

Visitas by Google - Since 02/05/2008

Nós no Face...

Videos em Destaque

The Blue Angels - Set to Van Halen's Dreams Top Gun Music Video - "Dreams" by Van Halen

Links de Referência & PARCEIROS


Blog Cavok

Campo de Batalha

Cultura Aeronáutica

Alternativa Car

Fumaça Já!



Noticias Sobre Aviação

DEFESANET


Tecnologia & Defesa


Portal Rudnei Cunha

ANVFEB



Plano Brasil

Geo Política

Defesa Aérea

Estratégia Nacional de Defesa


Defesa BR

Revista ASAS


VAE VICTIS

Segurança & Defesa


Infodefensa

ANUNCIE - AQUI

archive