GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

quarta-feira, novembro 30, 2011

22 jatos de combate Gripen para a Força Aérea da Suiça

By on 30.11.11
O Governo da Suíça decidiu comprar 22 jatos de combate Gripen, da fabricante sueca Saab AB.

O modelo venceu a competição com o Rafale, da Dassault Systemese, e o Eurofighter, da EADS. Um porta-voz da Saab se recusou a revelar o valor do acordo. A transação está avaliada em cerca de 3 bilhões de francos suíços (aproximadamente US$ 3,3 bilhões). O fator decisivo para a escolha do jato sueco foi o preço, pois o pacote com 22 aeronaves foi cerca de 1 bilhão de francos menor do que o dos jatos Rafale ou do Eurofighter.


Fonte: Monitor Mercantil

Google quer criar computador Star Trek

By on 30.11.11
O Google divulgou um vídeo que conta a história do seu mecanismo de buscas. No final da gravação, um dos principais engenheiros da empresa diz que sonha com um computador Star Trek, capaz de responder a qualquer tipo de pergunta.

Amit Singhal, fellow do Google (um título dado à elite de pesquisadores dentro da companhia), gostaria que o buscador conseguisse trabalhar com questões mais complexas. “No meu mundo ideal, eu seria capaz de chegar até o computador e perguntar: ‘Ei! Qual é a melhor época para plantar sementes na Índia, uma vez que as monções ocorreram mais cedo neste ano?’”, afirmou, no vídeo. “Quando conseguimos responder a isso, o que ainda não é possível, as pessoas vão fazer perguntas ainda mais complexas.”

A afirmação mostra que os engenheiros do Google estão trabalhando nesse caminho. Pode ser algo que leve tempo, mas não é nem um pouco impossível. De certo modo, “o computador Star Trek” lembra muito o modo de agir da assistente digital do iPhone 4S, a Siri. Embora ela ainda não seja capaz de resolver tarefas extremamente complicadas, reage a perguntas imprevistas e consegue entender diferentes modos de se pedir uma informação.

Tudo indica que a evolução das buscas resultará em sistemas mais humanos, que compreendem linguagem natural e conseguem relacionar dados de diferentes fontes. Tudo isso, claro, em frações de segundo. E o melhor de tudo, dentro do seu computador ou smartphone, ao alcance de poucos cliques.

Veja, abaixo, o computador Star Trek e o vídeo que conta a história do Google.



Fonte: EXAME

Após 15 anos como militante de grupos neonazistas, alemão é salvo por turcos

By on 30.11.11
Ele acabou sendo salvo, ironicamente, por dois turcos. Manuel Bauer estava na prisão em Leipzig e deu a entender a seus colegas extremistas de direita que estava pensando em renunciar ao neonazismo. Pouco tempo depois, no pátio da prisão, os detentos de extrema direita atacaram Bauer e começaram a espancá-lo impiedosamente. Foi então que dois prisioneiros turcos correram a ajudá-lo, em um episódio que provocou uma reviravolta na vida de Bauer.

Bauer, que atualmente tem 32 anos de idade, é nativo da vila de Torgau, a leste de Leipzig, e durante cinco anos foi um ardente militante neonazista. Corpulento e de cabeça raspada, ele participou de um ataque com bombas incendiárias contra um quiosque de comida turca e era temido pela força dos seus punhos. Bauer usava frequentemente uma jaqueta militar verde ou uma jaqueta preta Harrington e botas de combate cor de vinho. Ele afirma que era “o cliché andante de um skinhead”.

Manuel Bauer já foi um agressivo brutamontes neonazista, mas acabou renunciando


A carreira de Bauer como skinhead teve início quando ele tinha 11 anos de idade. Ele fez amizade com um grupo de colegas de classe que glorificavam Adolf Hitler e que atacavam estudantes estrangeiro no pátio da escola. Isso foi pouco após a reunificação da Alemanha, quando o extremismo de direita, que havia permanecido preponderantemente na clandestinidade durante o regime comunista, pôde emergir subitamente das sombras. Por toda a Alemanha Oriental, os extremistas começaram a se encontrar --e a criar grupos neonazistas. No início, eles eram desorganizados e informais, o que os tornava praticamente invisível aos olhos das autoridades policiais.

Não demorou muito para que Manuel Bauer passasse a integrar um desses grupos e gradualmente galgasse postos na hierarquia neonazista. Os pais dele, cristãos profundamente religiosos, ficaram indignados.

"Eu achava que era um herói"

Bauer tornou-se o líder de um grupo que se intitulava "Wehrsportgruppe Racheakt" (algo como “Grupo de Treinamento Paramilitar de Vingança”), e criou um segundo grupo com outros neonazistas chamado "Associação de Combatentes Arianos". Cada grupo tinha cerca de 30 membros, muitos deles oriundos de Torgau, mas também da pequena cidade de Loburg, que fica mais ao norte. "Eu achava que era um herói", diz ele atualmente, emitindo um profundo suspiro. "Mas na realidade eu era um tremendo idiota".

O "movimento", conforme Bauer chama o universo da extrema direita, lhe ofereceu um lar. "Eu sentia que era livre e que eles me aceitavam. Os meus camaradas me deram força, que eu a seguir transformei em violência". Estimulado pelo álcool e pelo rock de direita que ressoava a toda altura no equipamento de som do carro, ele e outros dirigiam até o Estado da Saxônia, atacando estrangeiros durante o percurso. Roupas manchadas de sangue eram usadas com orgulho, como se fossem uma espécie de troféu.

Quando ingressou nas forças armadas alemãs em 1997, não demorou muito tempo para que ele conhecesse outros militares que compartilhavam a sua visão de mundo racista --incluindo dois indivíduos que, segundo Bauer, pertenciam a ramificações da célula terrorista de direita de Zwickau, que é acusada de ter assassinado nove imigrantes e uma policial no decorrer de vários anos. Ele se recusa a citar nomes.

Bauer diz que gostou do tempo que passou como membro de uma brigada de infantaria motorizada aquartelada nas montanhas Erzgebirge. "Aquele era um bom ambiente para uma pessoa como eu", diz ele.

Durante o serviço militar, Bauer aprendeu a manejar armas – um conhecimento que ele mais tarde repassou a neonazistas em um campo de treinamento em Ulsti nad Labem, uma cidade no norte da República Tcheca. Durante um ano, ele ensinou militantes de direita a atirar, a construir bombas e a colocar em prática técnicas de sobrevivência. Ele conta que o campo em que trabalhava estava longe de se constituir em uma anomalia – há outros do mesmo tipo na Hungria, na Polônia, na Rússia e na Romênia. Segundo Bauer, eles se inspiram na "Heimattreue Deutsche Jugend" (“Juventude Alemã Patriota”), um grupo de extrema direita que ministrava treinamento militar e ideológico a jovens até ser banido em 2009.

Apoio de patrocinadores

Na época, Bauer vivia quase que exclusivamente do dinheiro estatal do seguro desemprego, mas conseguia “ganhar” um pouco de dinheiro extra com as suas atividades de extrema direita. A extorsão era um dos métodos que ele utilizava. Bauer também envolveu-se com um grupo de extrema direita chamado “Organização de Auxílio aos Prisioneiros Políticos Nacionais e às suas Famílias”, uma das maiores organizações extremista de direita da Alemanha. Ela fornecia assistência aos detentos de extrema direita, tanto durante quanto depois do cumprimento das penas de prisão. Mas esse grupo acabou também sendo banido em setembro deste ano.

Porém, Bauer também diz que a extrema direita conta com o apoio de patrocinadores. Ele afirma que uma cervejaria alemã “ajudou a financiar a luta desses grupos durante anos” e também lhes forneceu grandes quantidades de bebidas alcoólicas. No que se refere a armas, somente aqueles que participam dessas organizações há muito tempo têm acesso a elas. Ele alega que o Partido Nacional Democrata Alemão (em alemão, Nationaldemokratische Partei Deutschlands, ou NPD), uma organização política de extrema direita, os ajudava a obter armas. Segundo Bauer, na época a maioria dessas armas era oriunda da Europa Oriental.

O relacionamento entre grupos paramilitares como aquele com o qual ele estava envolvido e o partido NPD era profundo, diz Bauer. “O NPD é a companhia e os membros paramilitares são os funcionários”, explica ele. Bauer diz que ele próprio jamais foi membro do NPD, mas conta ter conhecido vários grupos vinculados ao partido que tinham grande talento para burlar a vigilância das autoridades alemãs com táticas diversionistas.

"O Estado subestimava o extremismo de direita e concentrava as suas atenções exclusivamente no campo esquerdista e antifascista", afirma Bauer. "Mas a direita é muito mais bem organizada e estruturada do que a esquerda. E ela segue uma estratégia clara. Na tentativa de confundir os investigadores, são criadas identidades fictícias, companhias imaginárias de encomendas pelo correio e outras coisas do gênero – com o único objetivo de ludibriar as autoridades". Ele diz que o Estado provavelmente não sabe quantos grupos paramilitares existem de fato, e tampouco quantos radicais de extrema direita operam na clandestinidade. "Existem vários neonazistas cujos nomes são conhecidos pelas autoridades, mas que há anos não são vistos", diz Bauer. "Esses indivíduos estão com frequência comandando as ações por trás dos bastidores."

"Campanha maluca"

E quanto a ele próprio? Será que alguém consegue passar 15 anos como militante de grupos neonazistas e subitamente mudar de ideologia? Bauer nem sempre tem respostas para perguntas como essa, e ele próprio compreende as dúvidas que podem emergir. "A minha visão de mundo mudou oito anos atrás, mas foi só três anos mais tarde que eu fui capaz de abandonar o neonazismo". Ele diz que atualmente é um "social-democrata convicto", referindo-se ao principal partido alemão de centro-esquerda.

Ele alega que atualmente o seu círculo de amizades inclui muitos daqueles indivíduos que ele costumava perseguir: judeus, lésbicas, imigrantes. "Todas as pessoas que eu combatia naquela época", diz ele. "Hoje em dia eu me sinto feliz e com sorte por ter tais amigos". Ele insiste que todos eles conhecem o seu passado e sabem que, durante um determinado período, havia uma recompensa de 10 mil euros (US$ 13,3 mil) pela cabeça dele nos círculos extremistas de direita. Ele diz que ainda existe uma “campanha maluca” contra ele em fóruns de extrema direita na Internet.

Atualmente, Bauer mora no sul da Alemanha e ajuda neonazistas a abandonar o universo do extremismo de direita, da mesma forma como ele foi ajudado por um grupo de Berlim chamado EXIT, que durante anos procurou auxiliar os indivíduos que desejavam abandonar as organizações extremistas. "Sem tais pessoas, eu não teria sido capaz de sair daquele círculo", diz ele. "Eles me mostraram claramente que, independentemente do que acontecesse, eles não me abandonariam".

"Encontros difíceis"

Bauer conta que cinco neonazistas do leste da Alemanha decidiram imitá-lo e dar as costas ao extremismo de direita. Ele narra isso com orgulho, e é possível perceber sinais do desejo de ser aceito que o atormentou durante tanto tempo.

A ficha policial de Bauer é longa – agressão, espancamento, extorsão, criação de grupos inconstitucionais, vandalismo e destruição de propriedade alheia. Ele foi condenado a dois anos e dez meses de prisão. Depois que foi libertado, ele tentou manter contato com algumas das suas vítimas. Muitas rejeitaram a iniciativa dele, enquanto que outras ouviram as suas desculpas mas tiveram dificuldades em aceitá-las. São muito poucos aqueles que dizem ser capazes de perdoá-lo.

Recentemente, ele se encontrou com um adolescente indiano que era apenas uma criança quando Bauer o atacou brutalmente, dez anos atrás, porque ele não tinha um tipo físico germânico. Bauer também se encontrou com um empresário homossexual que ele extorquiu e ameaçou de morte. "Esses encontros foram muito difíceis", explica Bauer. Todos os dois fizeram uma série de perguntas a ele. Mas Bauer não foi capaz de respondê-las.

Fonte: O Informante

ONU - DI nomeia astronauta brasileiro Marcos Pontes como embaixador

By on 30.11.11
O astronauta brasileiro Marcos Pontos foi escolhido para ser o novo Embaixador da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Onudi). Ele foi escolhido para a posição durante a 14ª conferência geral do órgão, realizada nesta semana em Viena, capital da Áustria.

Primeiro homem brasileiro no espaço, o paulista foi destacado pela Onudi como alguém que conseguiu sucesso na carreira ligada à tecnologia aeronáutica e à engenharia, mesmo tendo nascido em condições pobres, no subúrbio de São Paulo.

Para Kandeh Yumkella, diretor-geral do órgão, a história de Pontes é "uma inspiração para muitas pessoas no mundo".

Segundo nota, ao receber a indicação, o astronauta aceitou a homenagem e disse que é preciso "preparar as novas gerações para que sejam cidadãos de apenas um mundo".

O programa de embaixadores da boa vontade da Onudi começou em 2004. Geralmente são apontadas pessoas públicas, empresários e profissionais ligados ao setor industrial para o trabalho. Entre as funções do embaixador, está a promoção de ações para reduzir a pobreza no planeta.

Fonte: G1

Segunda série de testes de mar do porta aviões chinês envolve catapulta(!) e comunicações

By on 30.11.11

O primeiro porta-aviões chinês, o Varyag, deixou o porto nessa terça-feira para uma segunda rodada de testes no mar, que provavelmente deve incluir vôos de teste de aeronaves a partir do convés de voo do navio modernizado.

“As aeronaves embarcadas possivelmente vão decolar e pousar na embarcação pela primeira vez, já que esses movimentos não podem ser feitos no cais”, disse Yin Zhuo, um almirante aposentado da Marinha e especialista em assuntos militares.

Ele disse que um componente importante do estudo será testar os cabos de aço utilizadas para para as aeronaves durante o pouso, os quais podem fazer com que o avião vá de 300 km/h a parada total no pequeno espaço do convés de voo.

As catapultas também poderão ser testada para ver se elas conseguem impulsionar os vários tipos de aeronaves ao céu.

“E claro, outra tarefa será para testar a comunicação entre o porta-aviões e as aeronaves, e se o sistema de navegação vai direcionar a aeronave para os locais designados”, acrescentou Yin.

Relatos da mídia afirmam que a plataforma terá caças J-15 no convés de voo, mas isso não foi confirmado pelos militares.

O Ministério da Defesa Nacional, disse num comunicado que o porta-aviões com motor a vapor passou por todo o trabalho de remontagem e testes, como previsto após a sua primeira avaliação no mar em meados de agosto, e estaria voltando para o mar agora para a pesquisa científica e experimentos adicionais.

O porta-aviões foi originalmente concebido para a marinha soviética, mas a construção foi interrompida quando a União Soviética entrou em colapso em 1991. Engenheiros na Ucrânia desarmaram a embarcação e seus motores foram retirados, antes de vendê-lo para a China em 1998.

O navio, um porta-aviões da classe Admiral Kuznetsov, medindo 304,5 metros de comprimento, e deslocando 58.500 toneladas, foi reformado para pesquisa e treinamento na China.

Shi Yinhong, especialista em assuntos internacionais na Universidade Renmin da China, disse que o anúncio da segunda série de testes no mar é principalmente destinada a permitir que o povo chinês saiba como estão os preparativos para o porta-aviões.

“As pessoas estão muito interessados no porta-aviões, e os militares está dizendo que devem ocorrer novos testes durante a sua longa preparação”, disse ele.

A China será o último membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas a operar um porta-aviões quando ele for entregue à Marinha do Exército de Libertação Popular.

Os Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Rússia, Espanha, Itália, Índia, Brasil e Tailândia operam 21 porta-aviões. Só os EUA, possuem 11.

Fonte: China Daily Online – Via: Cavok

Nazi chic: na China, a moda agora é se fantasiar de nazista

By on 30.11.11
As fotos mostram uma dupla no dia do seu casamento, mas algo parece fora do lugar. O noivo, apesar de ser chinês e viver no século 21, usa um uniforme nazista preto, com a suástica bordada no antebraço. A noiva, ao lado, sorri timidamente em seu volumoso vestido branco, os cabelos escondidos por uma peruca amarela. Eles não são vítimas de um improvável deslocamento de tempo e espaço, mas sim adeptos do « nazi chic », a moda que consiste em usar roupas e acessórios do Terceiro Reich como forma de contestação, sem necessariamente apoiar as políticas antissemitas.
Antes de chegar à China, a onda já existia no Japão e na Coreia do Sul. Nos dois países, muitos mangás contam histórias da Segunda Guerra Mundial e alimentam, com isso, a cultura dos cosplayers, os jovens que gostam de se fantasiar como os personagens das histórias em quadrinhos. Uma delas, « Kekko Kamen », conta as desventuras de uma estudante que luta contra professores tiranos que abusam dos alunos sexualmente. Uma das vilãs, uma espécie de dominatrix, tem traços tanto do imaginário sado-masoquista como da estética nazista.

Nesses países, o gosto pelas roupas do Terceiro Reich não vem acompanhado de um ódio contra os judeus. Alguns especialistas, como o professor Meng Zhenhua, da universidade de Nanquim, chegam a afirmar os jovens desconhecem esse pedaço da História. “Na verdade os chineses não são muito familiarizados com o que ocorreu com os judeus durante a Segunda Guerra Mundial. A Europa é muito longe”, disse ele à revista francesa Inrockuptibles.
As poses nas fotos e a ausência de mensagens de ódio nos blogs que divulgam o “nazi chic” fazem crer que a mania não prega, de fato, o antissemitismo. “Não somos racistas. Apenas gostamos da moda”, disse um tímido participante de um encontro de cosplayers coreano no início deste ano. Mesmo assim, brincar com símbolos de um movimento que matou milhares de civis e assombra os países europeus com o renascimento de suas ideias nacionalistas parece deslocado nos dias de hoje. O que você acha?

Fonte: Marrie Clarie

Coreia do Sul recebeu míssil ar-superfície AGM-84 SLAM-ER degradados?

By on 30.11.11
Um míssil ar-superfície AGM-84 SLAM-ER (Standoff Land Attack Missile-Expanded Response) caiu devido a um sistema de propulsão com defeito durante um exercício de disparo real em junho, mas a Força Aérea da Coreia do Sul não divulgou a notícia na época, conforme foi descoberto nessa segunda-feira. Um míssil SLAM-ER custa cerca de US$ 1,7 milhão.

De acordo com funcionários do governo sul coreano, a Força Aérea colocou o míssil num F-15K, o principal caça do país, que voou sobre o Mar do Oeste no dia 15 de junho. O míssil realizou a trajetória planejada após o lançamento, mas não conseguiu atingir o seu alvo e caiu no mar. A Força Aérea não conseguiu localizar os destroços.

Um dos funcionários do governo disse que a análise de dados do vídeo a partir do lançamento sugere que o acidente foi causado por um sistema de propulsão com defeito.

Dois dias depois, no dia 17 de junho, a Força Aérea realizou outro lançamento de um míssil SLAM-ER e o teste foi realizado com sucesso. Um recente teste com um míssil SLAM-ER foi realizado na quarta-feira passada, a data de um ano do bombardeio da Coréia do Norte a Ilha de Yeonpyeong.

Fabricado pela Boeing, o míssil tem um alcance de cerca de 280 km, o mais longo entre os mísseis ar-superfície da Força Aérea, que está instalando em todos seus jatos de combate.

Fonte: The Chosunilbo – Via: Cavok

terça-feira, novembro 29, 2011

Porta-aviões chinês retorna para testes de Mar

By on 29.11.11
Depois de um reaparelhamento, o porta-aviões da China iniciou nesta terça-feira (29) sua segunda navegação experimental, na qual serão realizadas pesquisas científicas, informou o Ministério chinês da Defesa.

Segundo a entidade, o porta-aviões concluiu todos os testes e trabalhos de reaparelhamento feitos após a primeira navegação em 10 de agosto.


O navio, originalmente chamado de Varyag, começou a ser construído na antiga União Soviética, mas o país entrou em colapso em 1991 sem ter concluído a obra. O porta-aviões, ainda sem nome, era um apenas casco vazio. A Ucrânia o desarmou e retirou seus motores antes de vendê-lo à China.

Atualmente, Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, Espanha, Itália, Índia, Brasil e Tailândia operam um total de 21 porta-aviões ativos.

Fonte: CRI


From last week:

Images China Defense Blog - Via Defense Tech

COMAC C919 será testado na 'pista 5' do Aeroporto de Xangai

By on 29.11.11
A futura quinta pista do aeroporto internacional de Xangai Pudong, um dos de maior tráfego da Ásia e que conta atualmente com três pistas em serviço e outras duas em construção, será utilizada para testar o primeiro 'jumbo' chinês, o C919, a partir de 2014.

Segundo o jornal oficial 'Shanghai Daily', a quinta pista, que será junto ao mar, será utilizada para testar o primeiro modelo comercial de fabricação chinesa de grandes dimensões, conforme disse o subdiretor da Comissão de Construção Urbana e Comunicações de xangai, Shen Xiaosu.

Precisamente na semana passada a Corporação de Aeronaves Comerciais da China, que fabrica o C919, com o qual aspira a se transformar algum dia no concorrente mundial das duas empresas que monopolizam a fabricação de aviões comerciais de grande tamanho, Airbus e Boeing, já tem 195 pedidos.

Seus clientes são por enquanto as filiais de aluguel de aeronaves de vários bancos chineses e as principais companhias aéreas do país oriental: Air China, China Eastern, China Southern, Hainan Airlines e Sichuan Airlines.

Segundo um estudo recente do fabricante americano Boeing, a China vai precisar de 5.000 novos aparelhos nos próximos 20 anos, dos quais 71% serão aviões de corpo estreito.

Por sua vez, Shen anunciou também que, entre janeiro e outubro de 2011, Xangai investiu 74,2 bilhões de iuanes em projetos de infraestruturas (US$ 11,620 bilhões).

Fonte: G1

Crash! American Airlines pede concordata

By on 29.11.11
English: A newer model American Airlines Airbu...A AMR, controladora da companhia aérea norte-americana American Airlines, informou nesta terça-feira (29) que pediu "proteção" ao Capítulo 11 da Lei de Falências dos Estados Unidos. A concordata se estende também às suas subsidiárias American Airlines e American Eagle.

"Para alcançar uma estrutura de custos e dívidas que seja competitiva na indústria, e garantir sua viabilidade no longo prazo (...), a Empresa e algumas de suas subsidiárias baseadas nos EUA (incluindo a American e American Eagle, entraram hoje com pedidos voluntários para reorganização sob o Capítulo 11 na Corte de Falências do Distrito Sul de Nova York", informou a AMR em nota.

A companhia informou que tanto a American Airlines quanto a American Eagle operarão seus voos normalmente nesta terça, e suas reservas, serviços ao consumidor e todas as outras operações seguirão normalmente. Durante o processo de reestruturação, a empresa diz que espera manter suas operações e pagamentos aos funcionários normalmente.

"Estou confiante de que a American vai ressurgir ainda mais forte como uma líder global reconhecida pela excelência e inovação", afirmou o presidente da holding e da companhia aérea, Thomas Horton.

A AMR atende a 260 aeroportos em mais de 50 países, com 3,3 mil voos diários.

No terceiro trimestre deste ano, a AMR registrou prejuízo liquido de US$ 162 milhões, frente a um lucro líquido de US$ 143 milhões do mesmo período do ano passado. No acumulado dos nove primeiros meses do ano, o prejuízo líquido da AMR foi de US$ 884 milhões. Segundo a empresa, o resultado foi afetado pelo "impacto adverso' da volatilidade do preço do barril de petróleo e da cotação do dólar em relação a moedas estrangeiras no período.

Entenda o Capítulo 11
O Capítulo 11 da lei de falências americana, ao qual a AMR recorreu nesta terça-feira, permite a uma empresa com dificuldades financeiras continuar funcionando normalmente, dando-lhe um tempo para chegar a um acordo com seus credores.

A proteção do Capítulo 11 pode ser requerida seja pela empresa em dificuldades, seja por um de seus credores. Este procedimento significa uma vontade de reestruturação da companhia, sob o controle de um tribunal.

O Capítulo 11 permite ao devedor manter todos seus ativos, se opor às demandas de seus credores, adiar os prazos de seus pagamentos e até reduzir unilateralmente sua dívida. Em contrapartida, obriga a empresa que se coloca sob sua proteção a dar ao juiz das falências informações detalhadas sobre o andamento das transações sobre seus credores.

A companhia que solicita esta proteção também deve preparar sua demanda da forma mais detalhada possível para informar devidamente o juiz e seus credores de sua real situação financeira.

Se as transações transcorrem bem, a empresa consegue do juiz e dos credores um plano de reorganização dentro de um prazo de até vários meses. Trata-se de um contrato que estipula a forma como a companhia vai pagar suas dívidas e de onde virá o dinheiro que servirá para este fim.

Fonte: G1

A NOITE EM QUE O MONTE VESÚVIO CAUSOU MAIS DANOS AOS BOMBARDEIROS ALIADOS DO QUE OS ALEMÃES

By on 29.11.11









































A campanha italiana na Segunda Guerra Mundial acabou coincidindo com a última grande erupção do Monte Vesúvio. Uma notícia bem ruim para o 340º Grupo de Bombardeio da Força Aérea dos EUA, que por acaso estava baseada no campo aéreo de Pompeia. Sim, aquela Pompéia.


Quase 1900 anos depois da erupção que destruiu as cidades romanas de Pompéia e Herculano no ano 79 D.C., um grupo de bombardeiros Mitchell B-25 estavam estacionados a poucos quilômetros do sopé do vulcão, parte da invasão dos Aliados à Itália que progredia na Península Apenina. Era março de 1944, e o Vesúvio estava prestes a entrar em erupção.

A erupção causaria uma das maiores perdas já sofridas por qualquer grupo de bombardeio dos EUA na Segunda Guerra. Veja como tudo começou, segundo Dana Craig, veterano do 486º Esquadrão de Bombardeio no site de Don Kaiser sobre o evento:
No dia anterior o Vesúvio estava expelindo fumaça. O céu estava nublado, com ameaça de chuva. Perto da meia-noite eu saí para atender um chamado da natureza. Quando estava lá fora, sob uma leve garoa, fui atingido na cabeça por um pedrisco. Suspeitei que fosse algum tipo de brincadeira, e entrei para pegar uma lanterna. Quando voltei, a luz revelou uma camada de cinzas úmidas no chão. Descobrimos naquela hora que o Vesúvio estava em erupção. Começamos a sentir a o chão tremer, como se uma bomba tivesse explodido.


A erupção durou cinco dias, entre 18 e 23 de março. Quando cessou, “quase todos os Mitchell B-25 do 340º Grupo estava coberto de cinzas quentes que queimaram as superfícies de controle, derreteram ou trincaram o Plexiglass, e até empinaram alguns B-25 com o peso das cinzas e resíduos”, conforme descreveu Kaiser. Entre 78 e 88 bombardeiros foram perdidos, mais que o severo ataque da Luftwaffe dois meses antes, mas ninguém morreu”.

A página de Don Kaiser tem dezenas de fotos fantásticas da erupção coletadas de várias fontes públicas e particulares. Há muita lava e muitos bombadeiros.

Fonte/Jalopnick - Via IFR - foto/National Archives and Records Administration

Argentina recebe seus dois primeiros helicópteros Mi-171E

By on 29.11.11

Segundo o site ruaviation.comdois helicópteros russo Mi-171E foram entregues para a Argentina no dia 25 de novembro. Os helicópteros e equipamentos adicionais foram entregues ao cliente por uma aeronave de transporte An-124.

Os dois primeiros helicópteros Mi-171E chegaram em Buenos Aires a bordo de um An-124. (Foto: Hernan Casciani / Fuerzas Aeronavales)

O site informa que o contrato de entrega dos dois helicópteros Mi-171E para a Força Aérea da Argentina foi assinado pelo Ministério da Defesa da Argentina e a Rosoboronexport no final de agosto de 2010, em Buenos Aires. O valor do contrato é de 20 milhões de euros e prevê o treinamento dos pilotos argentinos.

A Argentina pretende utilizar os dois helicópteros Mi-171Es basicamente nas missões de ressuprimento as estações argentinas na Antártida e para as tarefas de busca e salvamento. Ambos os helicópteros (números de cauda H-94 e H-95) estão pintados nas cores laranja-branco. Os veículos são equipados com guinchos de resgate.

O Vice-Diretor Geral da Rosoboronexport, Viktor Komardin, confirmou durante o MAKS 2011 que estava prevista a entrega de mais três Mi-171Es para a Argentina ainda este ano. Um equipe russa já está na Argentina ajudando na parte relacionada a infra estrutura e logística.

Fonte: CAVOK - Fotos do site Fuerzas Aeronavales.com

VSB-30 lançado com sucesso

By on 29.11.11
No último domingo, 27 de novembro, o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE/DCTA) pode comemorar um dos melhores vôos realizado pelo foguete de sondagem VSB-30, no centro de lançamento de Esrange, no norte da Suécia.

Ás 10h10, horário local, 7h30 no horário de São José dos Campos (SP), foi lançado o VSB-30 V14 com a carga útil TEXUS 48.

Foi o 12º vôo do VSB-30, sendo três lançamentos realizados a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, e nove lançamentos de Esrange.



Dados do vôo:

- Apogeu: 258,4 km (estimado); 263 km (real);- Alcance da carga útil: 74,16 km (estimado); 72 km (real);- Dispersão do ponto de impacto = 1 - Tempo de microgravidade: 6 min 11 seg.

Fonte: IAE/DCTA-Panorama Espacial

Lotus Renault anuncia contratação de Kimi Raikkonen

By on 29.11.11
Nesta terça-feira (29), a Lotus Renault confirmou que o finlandês Kimi Raikkonen correrá pela equipe na temporada 2012 da Fórmula 1. Com a contratação do campeão mundial de 2007, resta apenas uma vaga na escuderia, que teve Bruno Senna e Vitaly Petrov como titulares no segundo semestre de 2011.

“Estou feliz por voltar à Fórmula 1 após uma pausa de dois anos e sou grato à Lotus Renault por me dar essa oportunidade. O período que passei no Mundial de Rali foi útil em minha carreira como piloto, mas não posso negar o fato de que minha fome por F1 recentemente se tornou irresistível”, disse Raikkonen, que havia se retirado da Fórmula 1 no fim da temporada 2009, quando corria pela Ferrari.

“Foi uma escolha fácil voltar com a Lotus Renault, já que eu fiquei impressionado com a ambição da equipe. Agora, estou ansioso para exercer um papel importante e levar a equipe para o topo”, completou.

Dono da equipe, Gerard Lopez acredita que a contratação de um piloto do peso de Raikkonen fortalece a escuderia.

Veja também: Lotus Renault não ajudará Kubica se ele assinar com outra equipe

“A decisão de Kimi de voltar à Fórmula 1 conosco é o primeiro de uma série de anúncios que deverão nos tornar ainda mais favoritos no futuro. Claro, todos estamos ansiosos para trabalhar com um campeão.

Além de Senna e Petrov, titulares em 2011, Romain Grosjean, Rubens Barrichello e Heikki Kovalainen são candidatos à outra vaga disponível na equipe. O russo, que disputou a temporada inteira pela escuderia, tem contrato para o ano que vem, mas não está garantido. Grosjean, por sua vez, tem grande abertura no time e aparece como um dos favoritos. Senna também tem chances, mas, com a chegada de Raikkonen, perde um pouco de espaço. Rubinho e Kovalainen correm por fora.

Fonte: IG

Airbus A340 da Air France voa por cinco dias com 30 parafusos faltando

By on 29.11.11

Técnicos só descobriram o problema após aeronave fazer um voo transatlântico

Airbus A340 da Air France pousa no aeroporto de Roissy, na França. Segundo a companhia aérea, o jato que fez uma travessia transatlântica com 30 parafusos faltando tinha passado por revisões na China pouco antes da descoberta

Um avião da companhia aérea Air France foi impedido de decolar após equipes de manutenção em Boston (nos Estados Unidos) darem falta de 30 parafusos em uma das asas da aeronave. De acordo com o portal americano Bloomberg News, o avião passou pelo menos cinco dias operando normalmente sem esses parafusos.

A informação surgiu a partir do vazamento de um documento oficial da empresa para jornalistas da agência de notícias France Presse.

O avião do modelo A340 tinha passado por uma revisão na China no dia 10 de novembro e depois ficou três dias parado no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, antes de técnicos descobrirem o sumiço dos parafusos apenas em Boston.

O problema foi localizado no painel de proteção de uma das asas do avião. A peça existe para suavizar o contato da asa com o ar.

De acordo com a porta-voz da Air France em Paris, Marina Tymen, “em nenhum momento a segurança dos voos ficou prejudicada”. A aeronave tem capacidade para carregar 360 passageiros.

Segundo o jornal americano The New York Daily News, ainda não se sabe quando os parafusos sumiram. Entretanto, já está confirmado que o avião fez pelo menos um voo transatlântico entre a França e os EUA sem as peças.

De acordo com o tabloide britâncio Daily Mail, um outro porta-voz não identificado da Air France confirmou que a falta dos parafusos não ofereceu risco para os passageiros. Ele culpou os mecânicos chineses pela falta das peças.

Segundo o Daily Mail, a companhia aérea costuma fazer a manutenção de suas aeronaves na cidade chinesa de Xiamen por causa dos custos mais baixos.

Fonte: Avião Vício / Portal 12Horas.Aérea - Via: Direto da Pista

A corrupção na FAB - Gasto com custeio é maior que com manutenção

By on 29.11.11


O Ministério Público Federal está debruçado no que pode ser um dos maiores escândalos de desvio de verbas já descobertos envolvendo a Força Aérea Brasileira. Cerca de oito mil militares que foram demitidos nos últimos dez anos continuam ativos no cadastro interno da FAB e de órgãos federais, como o Ministério do Trabalho e da Previdência. Na enorme lista de soldados fantasmas – que corresponde a 12% do efetivo da Aeronáutica – constam até mortos, segundo documentos obtidos com exclusividade por ISTOÉ e que estão sendo analisados pelo procurador da República Valtan Timbó Furtado, do 7º Ofício Criminal, de Brasília. Depois de analisar os papéis, que incluem laudos internos da Aeronáutica e do Ministério da Defesa, o procurador encontrou elementos suficientes para investigar a FAB por crime contra o patrimônio e estelionato. “Vou pedir à Polícia Federal que instaure o inquérito”, disse Furtado à ISTOÉ. O rombo pode alcançar R$ 3 bilhões, valor equivalente a 70% de todo o investimento da Força Aérea previsto para 2012 e 20% do orçamento da Defesa. Na mira do procurador estão chefes de bases aéreas, comandantes do Estado-Maior da Aeronáutica e dos departamentos e diretorias de pessoal a eles subordinados.

Informada do caso em abril, a presidenta da República, Dilma Rousseff, ordenou uma devassa nas contas da Aeronáutica. Mas pediu sigilo para evitar ferir suscetibilidades. A suspeita da fraude aconteceu quando um grupo de ex-soldados decidiu recorrer à Justiça para tentar reingressar na FAB. Eles são parte de um contingente de 12 mil homens que entraram na Força Aérea entre 1994 e 2001, por meio de concurso público para o cargo de soldado especializado. A função fazia parte do Programa de Modernização da Administração de Pessoal, idealizado pelo brigadeiro José Elislande Bayo, que mais tarde seria secretário de Finanças da Aeronáutica. Em documento interno, classificado como reservado, Bayo atacou a “cultura viciada de improviso” e “métodos ultrapassados”. Para combater esses problemas, propôs a reestruturação de quadros e a criação da “figura do soldado especializado”, que poderia “dispensar o recrutamento para o serviço militar obrigatório”.

A ideia parecia boa, mas por algum motivo não funcionou. Dos 12 mil soldados especializados que prestaram concurso, apenas quatro mil foram aproveitados. Os demais acabaram desligados da FAB sem nenhuma justificativa, ao término de seis anos engajados. Como o edital não previa temporalidade, cerca de três mil desses soldados reuniram-se numa associação, a Anese, Associação Nacional dos Ex-Soldados Especializados, e passaram a cobrar o direito de reingresso. Foi quando descobriram que seus cadastros continuavam ativos, apesar da demissão. Luiz Carlos Oliveira Ferreira, por exemplo, trabalhou no Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos até 2001. Seu desligamento foi publicado em boletim interno, mas a FAB não comunicou a dispensa ao TCU, ao Ministério do Trabalho ou à Previdência. Quem consulta a RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), o CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) e o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) verifica que Ferreira e tantos outros, como os ex-soldados Williams de Souza, André Miguel Braga Longo, Alexandre Gregório, Edmilson Brasil e Anviel Rodrigues, nunca foram demitidos de fato. “A FAB cometeu todo tipo de fraude cadastral”, acusou o ex-soldado Marcelo Lopes, que integra a direção da Anese em Brasília.

Robson Sampaio, da Anese do Rio, cita o caso de Alexandre Gregório, que após deixar a Aeronáutica prestou concurso para a Prefeitura do Rio e se surpreendeu ao descobrir que suas guias do CNIS, da Rais e do Caged estavam em nome de Denílson Nogueira, que consta como ativo no Parque de Material Bélico de São Paulo. Outro caso é o de Edmilson Brasil, que constam no Caged como aposentado, embora tenha sido demitido da FAB e hoje trabalhe na empresa Tecnoval Laminados. “Isso é caso de polícia. É preciso investigar a fundo essa fraude bilionária”, afirma Sampaio. As fraudes, segundo ele, também envolvem duplicidade de certificado de reservista de milhares de militares, como os ex-soldados especializados Teodoro dos Santos Gomes, Sandro Roberto de Souza, Nuil Benigno Andrade Ferreira e Alessandro Baptista. Eles descobriram que foram emitidos certificados em seus nomes tanto pelo Exército como pela Aeronáutica. Até mortos figuram como ativos na FAB, como Paulo Fabrício Cavalcante Vieira, morto em outubro de 2000 numa troca de tiros.

Questionada por ISTOÉ, a FAB negou o desvio de recursos e garantiu que os soldados especializados foram desligados da folha de pagamento da Aeronáutica. Em nota, a assessoria de imprensa alegou que os militares deixaram de constar da RAIS “desde quando deixaram de receber remunerações pela Aeronáutica”, o que não é verdade. Da mesma forma, a FAB alega que o fato de os soldados desligados estarem “ativos” no CNIS, no Caged e no CBO “não implica o pagamento de benefício pecuniário e tampouco recebimento de qualquer dotação orçamentária”. A justificativa não explica, por exemplo, o caso de Paulo André Schinaider da Silva. ISTOÉ obteve uma cópia da ficha interna do banco de dados da FAB, chamada SGIPES (Sistema de Informações Gerenciais de Pessoal). O soldado, admitido em 1998 e desligado em 2004, consta no cadastro sigiloso como “militar inativo”. Ou seja, aposentado. Portanto, beneficiário da previdência militar. Schinaider, porém, garante que não recebe o dinheiro. “Quero saber para onde está indo minha aposentadoria como militar. Para a minha conta é que não é!”, diz Schinaider. Ao procurar a FAB, o ex-soldado gravou com uma câmera escondida um funcionário informando que houve uma reunião para discutir sobre como desligar os soldados do sistema da FAB. “Ele disse que não havia como e que uma tenente ficou responsável por enviar ao Ministério do Trabalho e à Previdência pedidos de retificação da RAIS. Mas isso não muda nada lá dentro”, afirma Schinaider.

Uma análise da assessoria jurídica, mantida a sete chaves pelo comando, também atestou a falha no cadastro de soldados e alunos das escolas de formação de oficiais e sargentos, recomendando à FAB que passe a comunicar “os ingressos e saídas de praças e alunos” ao Tribunal de Contas. Descobriu-se que, embora os desligamentos dos soldados constem de boletim interno da FAB, os mesmos não foram informados aos órgãos de controle, nem ao Ministério do Trabalho ou à Previdência Social. Destacado para cuidar do assunto, o ex-deputado José Genoino, assessor especial do ministro Celso Amorim, admitiu em reunião com ex-soldados o “nó jurídico e material”. Resta saber se esse nó pode ser desatado e a quem beneficia. Em 2004, o TCU condenou Jayro José da Silva, ex-gestor de finanças da Subdiretoria de Pagamento de Pessoal, a devolver quase R$ 4,6 milhões em decorrência de uma fraude no cadastro. Ouvido por ISTOÉ, o coronel, que foi expulso da FAB, diz que assumiu a responsabilidade sozinho. “Perdi minha carreira, meu emprego e minha honra. Aguentei tudo para proteger muita gente”, disse. Questionado sobre quem seriam esses oficiais, Silva foi lacônico. “Melhor não mexer nisso.”

Fonte:
Revista Isto É

quinta-feira, novembro 24, 2011

F-35 de Israel ficarão baseados no deserto de Negev

By on 24.11.11
A Força Aérea de Israel (FAI) decidiu que vai alocar a sua futura frota de 20 Lockheed Martin F-35 Lightning II na Base Aérea de Nevatim, localizada no deserto do Negev. Sendo uma das mais avançadas e com a maior pista de pouso e decolagem do Oriente Médio, a decisão em basear os novos caças de 5ª geração em Nevatim se deu pela localização, ambiente, infraestrutura e questões de treinamento.

A chegada dos F-35 em Nevatim, prevista para ocorrer a partir de 2015, vai elevar aquela base aérea para um nível ainda mais estratégico, constituindo um poderoso elemento em situações de conflito.

Os pilotos, técnicos e mecânicos israelenses deverão iniciar os treinamento a partir de 2014, um ano antes da chegada dos caças.

Fonte: Revista Asas

AT-6 Texan II 'pede pra sair' e Super Tucano é único finalista no programa 'Light Attack' da USAF

By on 24.11.11

Jatos são legais, mas não servem pra tudo. Toda a tecnologia bélica dos países de primeiro mundo foi projetada para situações de guerra total, franca e aberta. O cenário atual não foi previsto, então ninguém tem equipamentos adequados para lidar com terroristas e insurgentes. Gastar uma bomba guiada a laser de US$50 mil com dois idiotas em um camelo não é algo viável.

As missões de apoio aéreo também não estão funcionando direito. O A-10 Warthog é um avião magnífico para voar rasante em um campo de batalha hostil e destruir tanques russos, como fez na Guerra do Golfo, mas quando você está em uma trincheira a 20m do inimigo um avião passando a 300 quaquilhões de Km/h, com 0,003s para diferenciar amigo de inimigo pode não ser a melhor escolha.

Por isso os EUA (e todo mundo) estavam atrás de um avião pequeno, turbohélice, bem-armado e blindado contra armamento leve. Vários entraram na disputa, mas os finalistas foram o AT-6 Texan 2, venerável sucessor do AT-6 Texan, caça de treinamento da 2a Guerra (no qual tive a honra de voar) e o Super Tucano da Embraer.

Com os cortes no orçamento de defesa dos EUA o projeto de compra de caças havia sido suspenso, mas logo depois surgiu uma oportunidade: O Afeganistão estava pedindo caças para combater o Talibã. Queriam jatos mas a situação era perfeita para um caça de ataque leve. Assim os EUA comprarão para o governo de Kabul 20 aviões.

A um custo de US$9 milhões por cada Tucano, é um troco considerável no bolso da Embraer, mas dificilmente levariam, o AT-6 é feito pela Raytheon, “temos que valorizar o produto nacional” vale pra nós e pra eles também.

Só que agora saiu a notícia de que o AT-6 foi eliminado da competição. Sem explicações, o mais puro “sua ligação é muito importante para nós”. Tadinhos.

Alguns dizem que pode ser uma forma de amaciar o Brasil para que escolha o FA-18 para o programa FX2 de compra de caças da Força Aérea, mas uma compra de US$180 milhões como agrado em uma venda de US$8 bilhões nem de longe é um brinde substancial, e de qualquer forma o Governo Federal nem cogita dar prosseguimento ao FX2.

Se a Embraer levar essa abrirá a porta para compras bem mais substanciais, direto para a USAF, mantendo assim a tradição do Brasil de ter uma das maiores indústrias bélicas do mundo mas vender junto a conversa mole de que é um país pacífico e que somente os EUA lucram com guerras.

Fonte: Defense Tech - Via Meio Bit

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts